Renato Gaúcho aceita ser demitido do Flamengo, mas diretoria decide manter técnico

FOTO: ALEXANDRE VIDAL / FLAMENGO

O Flamengo viveu uma noite de vexame nesta quarta-feira. A equipe foi derrotada pelo Athletico por 3 a 0, em pleno Maracanã e deu adeus à Copa do Brasil na semifinal, vendo a disputa do título ficar entre o time de Curitiba e o Atlético-MG. Após a queda, o técnico Renato Gaúcho, que foi extremamente criticado ao longo do duelo, colocou o cargo à disposição. O Fla, no entanto, se recusou a demitir o treinador e o manteve no cargo.

A informação foi divulgada inicialmente pelo ‘ge’. Ainda segundo o portal, a ideia teria sido rechaçada pelo vice-presidente de futebol, Marcos Braz, e por Bruno Spindel, homem forte na pasta. Renato, no entanto, disse que não veria problema em ser demitido, assumindo a culpa pelo rendimento baixo.

A situação evidenciou um clima que ficou negativo após a sequência de quatro resultados negativos. Além de ter sido eliminado da Copa do Brasil, o Fla também somou apenas um ponto dos últimos ser disputados no Brasileirão, fato que o afastou da briga pela liderança e gerou descontentamento da torcida.

Em meio a todo esse problema, o Flamengo tem a chance de um ‘último suspiro’ no Brasileirão. Isso porque, no sábado (13), a equipe encara o Atlético Mineiro na competição. Atualmente, o Fla tem 13 pontos e uma vitória no confronto direto poderia, além de aumentar as chances matemáticas, dar moral à equipe, que precisa de fôlego para chegar bem à final da Libertadores, no dia 27 de novembro – partida que se tornou grande prioridade na temporada.

Veja também