Coluna do Torcedor: “Mais um pitaco sobre as cotas de TV”

Caros,

a muito vem sendo discutido na mídia em geral e principalmente pelos torcedores dos outros times a questão da melhor distribuição das cotas de TV para diminuir as diferenças em relação a Flamengo e Corinthians. Até hoje não vi nenhum cálculo mostrando como ficaria essa possível divisão para ver ser ela seria realmente interessante ou não. Como não sabemos ainda o que foi oferecido ao Flamengo tanto pela Globo quanto pelo EI resolvi fazer umas simulações sobre os termos oferecidos ao São Paulo pela Globo conforme publicados no Blog do Menon.

Bem resumo da ópera ficou que a Globo propôs o seguinte ao São Paulo:

1. Luvas de R$ 60 milhões pela assinatura e não empréstimo de R$ 40 milhões sem juros como o acordado com os que já assinaram o contrato com a Globo.

2. Não reduzir os valores dos contratos atuais. Quem já assinou aceitou reduzir esses valores em 25% segundo o blog do PVC. (Na minha opinião aceitar essa redução para poder receber um adiantamento de R$ 40 milhões sem juros só é possível dado a precariedade financeira desses times.)

3. Distribuição do valor total de 1 bilhão e 100 milhões de reais para o futebol de forma mais equânime na proporção de 40% distribuído de forma fixa, 30% de acordo com a audiência do time e 30% de acordo com a classificação no campeonato.

Quanto aos dois primeiros itens dessa proposta o que eu posso dizer é que é uma excelente notícia para o Flamengo que ainda não assinou esse contrato. Podemos imaginar que um possível acordo entre a Globo e o Flamengo terá essas duas clausulas como base de forma que não diminuiremos o valor atual de R$ 170 milhões (lembrando que o Corinthians aceitou essa diminuição), e ainda podemos receber pelo menos R$ 60 milhões de luvas por esse contrato. Dinheiro suficiente para terminar a construção do CT da Base e ainda fazer outros investimentos necessários no time principal.

Quanto ao terceiro item, apesar de não ser matemático, acho que a diretoria do São Paulo não fez as contas direito pois ele é impossível de ser usado junto com o item 2 mesmo se o São Paulo vier a ter a maior audiência e for o time campeão do brasileiro.

Para provar isso fiz uma simulação pegando o valor total ofertado pela Globo (R$ 1.100.000.000,00) e separando em três partes sendo 40% (R$ 440.000.000,00) que serão divididos igualmente pelos 20 clubes (R$ 22.000.000,00 para cada), 30% (R$ 330.000.000,00) a serem divididos pela audiência da TV e 30% (R$ 330.000.000,00) a serem divididos pela classificação do time.

Para calcular o quanto cada time receberia de audiência e classificação eu fiz uma progressão aritmética pegando como soma dessa PA o valor total destinado a esses critérios (R$ 330.000.000,00) e determinei que o menor valor recebido por um time seria R$ 1.000.000,00. Com esses valores pude calcular quanto receberia o time com o maior valor nesse critério (R$ 32.000.000,00) e qual seria a diferença (razão) entre um time e outro nessa PA (R$ 1.631.578,95).

Para determinar a ordem de classificação dos times usei a classificação do brasileirão de 2015 onde as posições de 16 a 20 obedeceram a ordem da classificação de 1 a 4 da série B de 2015.
Já quanto a audiência utilizei as pesquisas das maiores torcidas do Brasil sendo que para os times que não haviam dados, como a Chapecoense por exemplo, eu usei o meu achismo para determinar a sua posição. As posições ficaram da seguinte forma: (Obs: Não incluí o Vasco da Gama pois ele está na segunda divisão)

tabela-cotas-posicao-br

Seguindo essa lógica ficou assim a tabela de distribuição de valores das cotas de TV:

tabela-cotas-tv-1

Nessa simples simulação nós podemos tirar algumas conclusões interessantes:

1. O valor total prometido pela Globo a ser repassado para os clubes entre 2019 e 2022 sofrerá uma redução de 15,71% em relação ao que ela já passa nos períodos 2016 e 2018.

2. Vejam que com essa simulação de distribuição, 10 times teriam perdas de repasse e 10 ganhariam mais dinheiro. Desses 10 que mais ganhariam dinheiro somente Atlético Mineiro, Grêmio, Internacional e Cruzeiro estão na lista dos 12 maiores clubes do país.

3. Vejam que o São Paulo perderia quase 30% da sua receita e por isso falei que seria impossível a Globo cumprir os itens 2 e 3 desse acordo.

4. Mesmo o Santos que é outro time que vive pedindo esse tipo de distribuição sairia perdendo mais de 20% da sua receita.

5. Quanto as perdas de Flamengo e Corinthians não precisa nem falar. Seriam catastróficas. Vejam que mesmo o Corinthians como atual campeão e dono da segunda maior torcida do país perderia 50% da sua receita dessa forma.

6. Quem se daria bem nesse esquema seriam os times considerados intermediários principalmente Sport e Atlético Paranaense.

7. Como ficaria a situação de times que caíssem para a segunda divisão? Para manter a propalada justiça eles deveriam também ter suas receitas diminuídas por causa disso.

Acho pouco provável uma proposta de divisão como essa ser aprovada com tantos clubes importantes sendo prejudicados financeiramente.

E como ficaria essa divisão se a Globo não diminuir o valor total? Nesse caso o valor fixo seria de R$ 26.100.000,00 e o máximo que um clube arrecadaria de audiência e classificação seria de R$ 38.150.000,00 sendo que a diferença de um clube para o outro seria de R$ 1.955.263,16. A tabela ficaria dessa forma:

tabela-cotas-tv-2

Nessa simulação 6 dos 12 maiores clubes do país continuam a perder receita em detrimento dos demais. Mesmo São Paulo e Santos perdem receita. Ainda assim creio que uma proposta de divisão de Cotas como o proposto não seria aceita pois os prejudicados não irão querer absorver esse prejuízo.

E qual seria o valor necessário para que uma distribuição de cotas nessa configuração ficasse interessante para os clubes? Bem fiz uma simulação onde o maior valor de cota seria igual ao maior valor pago atualmente, ou seja, R$ 170.000.000,00. Nessa simulação o Globo deveria gastar aproximadamente 2 bilhões e 400 milhões de reais assim divididos: R$ 1.360.000,00 de forma igualitária (R$ 68.000.000,00 para cada), R$ 520.000.000,00 de acordo com a audiência e R$ 520.000.000,00 de acordo com a classificação onde o campeão em cada um desses quesitos levaria R$ 51.000.000,00 e a diferença entre cada clube nesses quesitos seria de R$ 2.631.578,95. A tabela ficaria da seguinte forma:

tabela-cotas-tv-3

Nessa configuração somente Flamengo e Corinthians sairiam perdendo. O Flamengo um pouco mais devido a péssima classificação do time no campeonato anterior, mas seriam perdas facilmente absorvidas se pensarmos para o bem do campeonato como um todo. Com esses valores uma regra de distribuição conforme o desejado seria facilmente aprovado.

Ao analisar esses dados e partindo da crença que os dirigentes desses clubes fizeram essas mesmas contas concluo que essa história de divisão mais igualitária das cotas de TV é só marketing para inflamar as torcidas dos outros times e buscar na verdade maiores valores nos contratos desses clubes.

Eu sinceramente acho essa distribuição mais igualitária interessante. Como o Flamengo tem a maior torcida do país tenderá sempre a ter uma das maiores audiências e aliado ao fato que o time deverá melhorar e muito a cada ano deveremos também melhorar nossa posição na tabela de classificação. Com isso os valores recebidos pelo Flamengo sempre estão próximos do teto a ser distribuído. Porém essa ideia somente será colocada em prática quando os valores dos contratos de TV crescerem o suficiente para possibilitar uma distribuição mais justa e sem grandes prejuízos para a grande maioria dos times.

Caso encontrem algum erro nos cálculos por favor me avisem.

Abraços e SRN
Carlos Ueslei Rodrigues de Oliveira

carues@gmail.com
ST 2320740-0 OFF-RIO 0000016

Veja também

  • Caros,
    Primeiramente muito obrigado pelos elogios. Eu realmente estou envaidecido com eles quase colando esse artigo na porta da geladeira. rsrsrsr.
    Bem, verificando novamente os cálculos na última tabela percebi um erro pequeno que não muda o conteúdo do texto. Só que para chegar ao teto de R$ 170.000.000,00 a Globo precisaria investir R$ 2.150.000.000,00 e não R$ 2.400.000.000,00 como havia informado no texto. Segue uma tabela com essa nova distribuição. Abraços

  • Um artigo excelente como esse tem menos repercussão que aquela porcaria que o Viny Dunga escreve.. Vai entender. Excelente trabalho Carlos, muito esclarecedor.

  • Corinthians quase 20 milhões a mais que o FLA!

    • Camarada isso se deve única e exclusivamente porque no brasileirão de 2015 o Corinthians foi o campeão e o Flamengo o 12. Com a perspectiva de melhora que imaginamos o Flamengo terá nos próximos campeonatos essa diferença tenderá a diminuir ou o que é melhor até ser trocada. Abraços

      • Entendo, mas mesmo sendo 12, o FLA dá mais audiência que o SPFC que tá recebendo mais, sei que é por merito, mas não concordo.

        • Entendo você não concordar, mas acredito que essa distribuição das cotas uma hora vai chegar. Mas como disse como o Flamengo sempre terá uma das maiores audiências só falta mesmo o Flamengo melhorar a sua posição na tabela para sempre estar no topo das receitas.

  • O grande x da questão aí é o valor mínimo que o clube vai receber caso seja a pior audiência ou último colocado, o que vc fez bem. o cálculo é excelente. Acho essa tendência irreversível, portanto o Flamengo tem que trabalhar para reduzir sua dependência. Claro que os valores calculados representam 33% do faturamento do clube, mas com o avanço na questão do estádio e do marketing (incluindo o ST), podemos melhorwr esse quadro.

    • Excelente perspectiva. Quanto menos dependermos da Cota de Tv, mais poder de barganha teremos, pois nossa audiência é inerente ao tamanho da torcida. Vide exemplo o Palmeiras; que assim como o Flamengo não está tendo pressa para prorrogar o contrato televisivo. Essa semana mesmo eles pediram para a Globo dividir a proposta, sendo o que é Tv Aberta, Tv Fechada e Pay-Per-View.

      Se o Flamengo tiver tranquilidade poderemos fechar um contrato melhor que o do Palmeiras, que a meu ver, são os dois times melhores posicionados na negociação.

      • Exato. Cara como eu fiquei feliz de saber que não precisamos mais de adiantamentos! Vamos deixar chegar até o limite. Vai nos ajudar mais se a nossa performance subir (e ela vai), uma vez que nossa torcida descentralizada mostra força no ppv. Bons negócios nos esperam!

        • Concordo plenamente com vc Dieki e com o Bruno Bueno dos Santos. O grande desafio mesmo é depender o mínimo possível da receita de TV. E sem se afobar buscar um acordo melhor. A Globo já tem 8 times da série A (além do Vasco ) e o EI até agora só o Santos. Agora a bola esta com o EI que depois de perder o São Paulo já elevou a sua proposta tentando igualar a da Globo mas acho que para eles terem sucesso terão de elevar ainda mais essa proposta. E quem irá se beneficiar realmente com isso? Os times com melhor perfil financeiro como Palmeira, Internacional e principalmente Flamengo. Eu sinceramente não me assustarei se o Flamengo sair dessa briga com um contrato muito, mas muito mesmo, melhor que o do Corinthians.

  • O Flamengo perderia pouco em uma divisão parecida com a terceira simulação. E se melhorar sua performance atual em brasileiros, vai diminuir ainda mais a perda.

    É uma boa solução, o Esporte Interativo ofereceu um valor enorme e que pode ser interessante para nós.

    Uma divisão mais igualitária de cotas facilitaria a união entre clubes, o que seria ótimo para o nosso futebol, além de fazer a CBF e as federações regionais perderem muita força.

  • Qual é o outro campeonato que tem 12 times chamados grandes?
    O futebol brasileiro tem que reduzir isso para 5 ou 6 clubes grandes no máximo.
    Isso elevaria muito o nível dos nossos times e favoreceria até a seleção.

    A seleção espanhola campeã em 2010 tinha 6 jogadores do Barça…
    A seleção alemã campeã em 2014 tinha 6 jogadores do Bayern…

    A seleção brasileira campeã em 58,62,70 tinha o Santos e o Botafogo como base.
    A seleção brasileira da década de 80 que não ganhou nada, mas jogou muito bonito tinha o Fla e o Galo como base…

    Assim, a chamada espanholização do futebol brasileiro não vai ser tão ruim assim como se fala. Nossos times grandes ficarão muito mais fortes, mais competitivos, inclusive nos torneios internacionais…

    Triste será para quem não torcer para eles…

    • Eu sinceramente prefiro disputar um campeonato com 12 ou mais times com total condições de serem campeões do que um com no máximo 2 ou 4 times, mesmo que o Flamengo seja um desses times.

      • É mais isso dilui a força dos clubes. Já não somos uma potência econômica, o que dificulta na estrutura dos clubes e na manutenção dos jogadores que se destacam, e se diluir os poucos craques que restam no futebol brasileiro entre 12 ou mais clubes, aí o nosso futebol vai continuar perdendo e fazendo vergonha frente à outras seleções que tem de 2 a 5 clubes como base…

        • Sim, dilui a força dos clubes mas aumenta a força do campeonato com um todo e isso acaba por chamar mais a atenção de possíveis patrocinadores aumentando a concorrência das cotas de patrocínio. O resultado final disso é a melhora para todos e não só para alguns eleitos!!

          • Não concordo. O campeonato brasileiro é competitivo a 300 anos e nem por isso é o mais atrativo, nem por isso chove patrocinadores…
            E o pior, por que tem vários jovens que nem torcem mais para times brasileiros, mas preferem autointitular torcedores de Barça, Real, Milan, etc…?
            Porque os nossos times são fracos.
            Se tivéssemos de 4 a 6 times fortíssimos, ganharíamos todas as libertadores, e alguns mundiais…
            A molecada nunca iria preferir torcer para um europeu que perdeu a final do mundial pra um time brasileiro…

        • Abutre, complementando o que o Carlos disse, um campeonato com tantos favoritos seria mais facilmente vendido ao exterior, e assim é bem mais fácil conseguir contratos de transmissões internacionais. Só fazer a comparação com a Argentina, melhor exibir um campeonato com 4 clubes atraentes ou um campeonato com pelo menos 10 gigantes e outros 3 ou 4 tradicionais?

          • Não concordo. O campeonato brasileiro é competitivo a 300 anos e nem por
            isso é o mais atrativo, nem por isso chove patrocinadores…
            E o
            pior, por que tem vários jovens que nem torcem mais para times
            brasileiros, mas preferem autointitular torcedores de Barça, Real,
            Milan, etc…?
            Porque os nossos times são fracos…
            Se tivéssemos de 4 a 6 times fortíssimos, ganharíamos todas as libertadores, e alguns mundiais…
            A molecada nunca iria preferir torcer para um europeu que perdeu a final do mundial pra um time brasileiro…

          • Mas essa questão de atratividade se faz também pela gestão dos clubes/CBF. No outro comentário você lembrou que o Flamengo levava 150 mil pessoas ao estádio, isso é ser atrativo, mas foi acabando pela má gestão do nosso futebol. Éramos até a década de 90, quando saíram jogadores em massa. E saíram jogadores porque a gestão europeia era melhor, conseguiam melhores contratos, gerenciavam melhores as ligas, já havia exportação de jogos que até hoje não começamos.

            Mas falando de hoje, porque a Argentina exporta jogos e nós não? Somos piores que eles? Por lá tem sempre Boca e River, e mais uns 4 que se mostram fortes. Por enquanto esses são nossos concorrentes. Não dá para concorrer com campeonatos europeus. Mas fazendo uma comparação, somos a “Premier League” das Américas. Temos o campeonato mais competitivo, maior número de clubes tradicionais e fortes. Esses são os critérios que fazem do campeonato inglês um sucesso mundial. Por isso preferem ver Southampton e Liverpool a Barcelona e Levante. E nós temos uma vantagem se fizermos um paralelo: tem muito tempo que o melhor da Europa não joga na Inglaterra, mas é comum que o melhor da América jogue no Brasil.

            Quanto aos torcedores que preferem os europeus, não tem muito o que se fazer. Mas parte da “culpa” disso tudo são a tecnologia que possibilitou que conhecêssemos o mundo inteiro, a violência e altos preços do futebol brasileiro, que tem o ingresso mais caro em relação ao salário mínimo do mundo todo, e claro, todos os craques que por lá jogam.

  • Parabéns pela estatística usada em seus cálculos. Foi muito esclarecedor e que isso sirva de parâmetro para os clubes analisarem, principalmente o nosso Mengão.

  • Excelente artigo.

Comentários não são permitidos.