Flamengo vira no fim sobre o Cruzeiro, em vitória espetacular em Cariacica

O Flamengo conseguiu uma virada espetacular para cima do Cruzeiro, em apenas cinco minutos, e levou a torcida ao delírio no caldeirão de Cariacica, no Espírito Santo, onde o time mantém 100% de aproveitamento. O time perdia por 1 a 0 até os 38 minutos do segundo tempo, quando Guerrero acertou a bola no ângulo superior do goleiro Rafael e empatou o jogo. Aos 43, Macuello, que entrara na etapa final, recebeu livre e também botou no ângulo, só que do outro lado, para fazer 2 a 1.

A vitória dramática, que faz a torcida sentir ainda mais forte o tal cheirinho de hepta, aumenta ainda mais a confiança do time, que não permite ao Palmeiras escapar na tabela. A equipe paulista lidera a Série A do Campeonato Brasileiro, com o rubro-negro carioca bem perto, a apenas um ponto de distância.

TABELA: Jogos e classificação da Serie A do Brasileiro

As propostas de jogo distintas não impediram que ambos criassem chances e dessem ao primeiro tempo uma cara de “lá e cá” . Ainda que o Flamengo mantivesse o controle das ações, finalizasse mais e passasse a maior parte do período no campo de ataque, o Cruzeiro soube anular as investidas e sair para o contra-ataque. Em resumo, tanto um quanto outro poderiam ir para o intervalo em vantagem.

Com Diego um pouco mais recuado, ditando o ritmo de jogo e regendo o time, o Flamengo mantinha Everton e Guerrero mais adiantados. O peruano poderia ter voltado a marcar, o que não ocorre há quatro jogos em duas ocasiões. Em uma delas, de bicicleta, Rafael encaixou, aos 22. Dois minutos antes, Guerrero já obrigara o goleiro a fazer boa defesa em um chute cruzado.

Do outro lado, Arrascaeta, aos 28, testou Muralha, que não deixou passar, espalmando a bola para escanteio. O gol saiu aos 36, com Ábila. Mas o argentino estava impedido e o gol foi anulado corretamente.

Por fim, uma chance para cada um antes de o intervalo chegar. Aos 38, Manoel cortou chute de Diego dentro da área. Márcio Araújo também cortou finalização de Henrique, aos 47. E acabou tudo igual.

Com a mesma estratégia, mas com menos tempo, o Flamengo contava os minutos em agonizante luta contra o relógio. A vitória do Palmeiras no sábado colocava a pressão no rubro-negro, que, se não vencesse, veria a vantagem do líder aumentar. Pacientemente, o Cruzeiro, mesmo em posição delicada na tabela, soube esperar pela hora certa. E ela veio aos 29. Em um rápido contra-ataque, Robinho tocou para Rafinha na esquerda. Ele carregou para o meio, passou por Réver e Pará e chutou no ângulo: 1 a 0.

Mais pressionado, o Flamengo foi para o tudo ou nada. Ao se lançar ainda mais ao ataque e buscar o resultado, foi premiado com um belo gol de Guerrero, aos 38. O peruano, da entrada da área, acertou um chute com efeito, indefensável. Um verdadeiro golaço.

O jogo entrou em ebulição. Empurrado pela torcida e pela convicção de que era possível virar o time abandonou os cuidados defensivos e poderia ter levado dois gols, ambos com o Ábila, que desperdiçou as chances claras, dentro da área, aos 39 e 41.

Certo da proximidade da virada, o Flamengo começou a jogada definitiva do jogo com Diego, que tocou para Alan Patrick, e esse, para Mancuello, livre na árrea. O argentino, com apenas um toque, tirou do goleiro e pôs a bola dentro das redes e o Flamengo mais na briga do que nunca.

FLAMENGO 2 x 1 CRUZEIRO

Flamengo: Muralha, Pará, Réver, Rafael Vaz e Jorge; Márcio Araújo, William Arão e Diego; Fernandinho, Everton (Gabriel) e Guerrero. Técnico: Zé Ricardo.

Cruzeiro: Rafael, Ezequiel, Manoel, Bruno Rodrigo e Edimar; Henrique e Ariel Cabral; Robinho, Arrascaeta e Rafael Sóbis; Ábila. Técnico: Mano Menezes.

Juiz: Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS).

Local: Kléber Andrade, em Cariacica (ES).

Fonte: O Globo

Veja também

  • Eu vou te falar, tempo que não vejo um jogo tão nervoso como esse… mesmo não sendo uma final de campeonato para os dois times, nesse caso foi final só pro flamengo, foi um jogo para testar todos nós.
    A torcida e o time…
    Vamos Flamengo.
    SRN

  • Vamos mengão rumo ao título

Comentários não são permitidos.