É preciso encontrar lucidez ao analisar a Copinha 2018!

Olá, coleguinhas de Coluna do Flamengo, todo mundo animado com o título da Copinha? Vamos dar uma boa olhada no nosso time e na competição como um todo?

Para começar, como de costume, uma crítica à competição. Não é viável pensar uma competição deste tamanho, com esse número de jogos que seja disputada em menos de um mês. São garotos sim, mas é desumano o ritmo alucinante de partidas uma após a outra. Há times que viajam três dias apenas para jogar três partidas em cinco dias. Ridículo.

Para falar desta edição em especial da Copa São Paulo, gostaria primeiramente de parabenizar a direção de futebol de base. O trabalho é bem provável que seja o melhor praticado na gestão Bandeira de Melo e alguns profissionais datam ainda da presidente anterior, Patrícia Amorim. Temos que ter a humildade de entender que mesmo pessoas que desaprovamos o trabalho, podem ter feito algo bom. O mesmo tem que valer para Bandeira.

Vamos começar a falar do time do Flamengo. Bora começar pelo que tem de bom? Individualmente o Flamengo possui ótimos jogadores. Os dois goleiros são bons, os laterais são da seleção de base, os zagueiros são rápidos, jogam com inteligência e não ficam inflamáveis com a bola no pé, os pontas são bem interessantes, os reservas supriram as ausências muitas vezes até melhor do que os titulares e temos que manter um olho aberto em Vitor Gabriel. Me surpreende que um time tão mudado, que perdeu jogadores em relação ao ano passado e perdeu jogadores para o Carioca, tenha conseguido alcançar esse ótimo resultado. Muito bom mesmo!

No aspecto coletivo o time peca muito, não parecia haver uma proposta clara do futebol praticado. Parece que a nossa tônica foi encontrar um gol cedo e depois fecharmos a casinha esperando que pudéssemos marcar num contragolpe fatal. Deu certo! Mas a base não é lugar para encaixar estratégias pragmáticas que dão certo. Muricy Ramalho fez isso por onde passou e encontrou resultados. O que queremos encontrar na base são jogadores de boa técnica que já assimilaram uma parte tática mais completa. Apesar de 1×0 ser vitória, queremos cada vez mais um time que não se acanhe e busque sempre fazer mais gols.

Não quer dizer que temos que desprezar o título. Mas na Copinha do ano passado não avançamos tanto e ainda assim revelamos para o profissional Jean Lucas, Vinícius Jr, Lincoln, Klebinho, Dener e Gabriel. O objetivo tem que ser este. É possível pensar em algum jogador do time da Copinha que seja uma unanimidade para o time principal? Consigo ver promessas que precisam aprender algo sobre sua própria posição, talvez jogar alguma partida para entender como funciona. Mas cavar vaga, não.

Uma última coisa sobre o time do Flamengo, foi a quantidade de ligações diretas e chutões para frente. A partida final foi constrangedora. Na base dá para errar. É o momento de treinar os meninos para sair da marcação, ensinando a fazer triangulações, toques rápidos e de primeira, buscar pelo melhor passe, espaço. Fundamentos que se pode aprender até naquela brincadeira de “bobinho”. Mas é preciso treinar. Se não, vamos criar cada vez mais jogadores da velocidade e chutão. Não é uma crítica exclusivamente ao time sub-20, ninguém quer desmerecer nada, só gostaria de um trabalho que preparasse os jogadores que já temos e que possuem boa técnica com uma parte tática e de entendimento do jogo bem apuradas.

Mas nem só o Flamengo jogou na Copa São Paulo. Há jogadores de outros times que valem a pena estar atentos e, me parece que é o que o clube tem feito de melhor. Mapear jogadores e contratar na base. Chamo a atenção ao Cesinha da portuguesa, Carlos Miguel e Richard do Inter e Liziero do São Paulo. Houve outros jogadores que me pareceram promissores, mas aguardo para ver mais.

Anderson Alves, O otimista.
Follow @alvesotimista

32 Comentários
  • Liziero do São Paulo perdeu 2 pênaltis na semifinal contra o Internacional, um durante o jogo e outro na disputa de pênaltis.
    Como um cara desses pode ter sido eleito o craque da copinha?

  • Este rapaz deu a opinião dele, mais pra min ele só falou besteiras, não vamos revelar um VJ por ano, não tem como, estes garotos foram muito bem na copinha toda na final jogaram para ganhar, eles não tem que dar espetáculo em uma final de campeonato, fizeram o certo é estão de parabéns. E sobre eles chegarem ao profissional cavando vaga não vão msm não revelamos o Zico e msm ele quando subiu para o profissional não teve vaga e voltou para a base, então Anderson Alves pensa antes de escrever loucuras como as q vc escreveu.

    • Opa. Beleza, Geovane? Seria bom sim se revelassemos um Vinícius Jr por ano, mas não é o caso. A questão não é jogar sério distribuindo chutão, a copinha não serve para ganhar um título, serve para formar jogadores. Ou você acha que é bom quando o Flamengo usa desse expediente no profissional? SRN

      • Não é uma questão de achar bom ou ruim, quero q o Flamengo jogue bem e de espetáculos sempre mais não dá, quando se chega em uma final a primeira coisa q o mlk tem q aprender e q tem q ganhar, não importa mais a qualidade do jogo naquele momento, eles jogaram bem toda a competição só usaram desse artifício na final para ganhar e estão certos, pq se não tivessem vencido a final depois de o Flamengo vir de 2 vices no profissional, hoje estaríamos dizendo q o Flamengo está com uma identidade de perdedor, então pra eles fizeram o certo na final ganharam o jogo q era oq mais importava, Jafar bem eles jogaram o torneio inteiro o Matheus Dantas cansou de dar lançamentos (não chutões) na competição toda, o Hugo Moura cansou de rodar bola e sair jogando sem medo, não foi esse caus q tu tá falando q foi na competição toda.

        • Desculpe, Geovane, mas discordo. Boa parte dos jogos foram nervosos e desorganizados. Ganhamos pelo placar mínimo a maioria dos jogos. Chamamos o adversário para o nosso campo sempre. Mas podemos discordar, não é proibido. SRN

      • Isso é na teoria, mas pra quem está dentro de campo isso não funciona. Vc faz 1 gol logo no início e jogando com a torcida inteira pro outro time é q eu qro ver se alguém vai se preocupar que tem q revelar. Os mlqs queriam ser campeões!

  • Só falou bosta… Típico dizer ” não querendo criticar mais já criticando” que bosta hein!! O cara mesmo elogia vários jogadores do Flamengo, lembrando que vencemos com os reservas… Fizeram vários jogos que demonstra garotos maduros que sabiam jogar com o resultado, controlar o jogo, atacar e defender na hora certa!! Estão de parabéns, jogadores, responsáveis, muitos frutos serão colhidos, já vimos isso nas primeiras rodadas do Carioca.

    • Ser maduro é fazer um gol e depois se fechar? Ainda só podemos elogiar? Não há o que criticar? Lenio, vamos buscar um Flamengo mais forte sempre. Isso significa que temos que estar cientes das nossas fraquezas

  • Ele esqueceu de mencionar que era quase um Flamengo sub 17 jogando no Pacaembu contra o São Paulo e estádio lotado, ganhando de 1×0 vou querer sair tocando bola ? É bico pra frente mesmo!

    • Desculpa. Acho pouco. Bico para frente forma jogadores que não serao usados no profissional. O objetivo da base é formar jogadores, Guilherme.

  • Cara, me desculpe, mas esse elenco da Copinha não merece critica alguma. Há tempos não me alegrava com o Flamengo, e eles me proporcionaram isso. E outra amigão, o time iniciou a Copinha desacreditado, sofreu desmanche durante a competição, jogadores fazendo bate-volta para servir o time principal e ainda nos deu o prazer de ser CAMPEÃO, vencendo na final o maior clube e a melhor base de SP, na casa dos caras e com o estádio lotado e com 90% de torcedores são paulinos… Mais uma vez me desculpe, mas não vou criticar essa piazada que honrou e SABE O QUE É FLAMENGO. Coisa que a maioria dos pilantras do time principal não sabe o que é e nem se importam em saber. SRN!!

  • O Sub 17 do Flamengo ganhou do sub 20 do São Paulo. Outra coisa o time não Jovovich chutões para frente todos Os jogos foi só nesse jogo da final. Nos outros jogos tive nos jogadas tribulações e posse de bola. Você só deve ter assistido a final.

  • Não assistiu a copinha e fez a análise somente do último jogo, onde jogaram sobre muita pressão da torcida, e se viraram como pode diante de um adversário fortíssimo que era o São Paulo. Chegaram a final as duas hores equipes, o São Paulo até sofreu mais para chegar, passando por duas decisões nos pênaltis, enquanto que o Flamengo passou por todos no tempo normal, e, após os reservas virarem titulares, o time deslanchou e apresentou um futebol bonito que fez com que as jogadas individuais fossem executadas mais vezes, já que o coletivo estava bem. Então, não acho que você fez uma análise do que foi a Copinha, análise de um jogo só, só o Neto e Edmundo pra fazerem.

  • Cara só escreveu asneiras, taticamente o time foi muito disciplinado na final só não matamos o jogo no contra-ataque pois estávamos sem o Vitor Gabriel e o técnico tirou o Bill, Patrick o meia que entrou para fazer esssa transição do contra-ataque jogou muito mal errou tudo, não se pode esquecer que o time era praticamente um sub17 jogando contra o favorito na casa deles não dava pra partir pra cima com a velocidade dos atacantes deles, parece que só viu esse jogo

  • Olá Anderson Alves! Fico com o mesmo pensamento do Kadmara, fica parecendo que você assisitiu só a final. O time rendeu muito bem, principalmente contra o Avaí que era considerado um dos 3 favoritos junto com o próprio São Paulo e o Corinthians. Como foi lembrado por você, o time estava totalmente esfacelado, não é nem por tempo de trabalho do novo técnico e sim por conta dos jogadores que subiram para o profissional, já que o Gabriel (goleiro); Klebinho; Thuler; Ramon, Jean Lucas, Vinicius Jr e Lincoln. Portanto vi um sistema de jogo com as linhas bem definidas quando se defendia, inclusive com linhas bem avançadas na defesa, praticamente um sistema europeu nos 30m e saindo muito rápido nas transições. realmente contra o São Paulo sofreu muito porque era uma equipe muito experiente, com idade inclusive superior aos nossos, e que foi o campeão da Copa RS 2017, portanto era o grande favorito da Copinha este ano. Portanto vi bons valores a serem aproveitados como você mesmo citou, os zagueiros, laterais e o atacante Vitor Gabriel, acho muito parecido com o Richarlison ex-Fluminense, muito forte e muita velocidade. Infelizmente o ponto fraco do nosso time era o meio-campo, por isso que não tinhamos um time cadenciado e sim de muita velocidade, diferente do time de 2016. Mas estamos no caminho correto, nos ultimos 3 anos, foram 2 titulos e uma desqualificação nas quartas para o campeão Corinthians. SRN

    • Opa. Beleza, Márcio? Tive a impressão que você concordou bastante com o que escrevi. Em momento algum defendi que estava tudo errado, mas apontei momentos em que podemos e devemos melhorar. Não vejo o Vitor Gabriel dessa forma. Me parece um jogador de área mesmo com bom recurso, embora não tanta velocidade. Faz um pivô muito bem. Se não contratarmos ninguém para a 9, gostaria que jogasse uma ou outra partida. Sem ter subido, efetivamente.

  • _ Temos que levar em consideração que o Flamengo jogou sem o lateral direito que era a melhor saída de bola do time. Jogou um zagueiro sem nenhum cacoete para a posição. Também jogou sem o melhor atacante da copinha. Além do mais parte dos jogadores atuaram em duas frentes, a copinha e o campeonato carioca, com idas e vindas!

  • Criação de sites e aplicativos para celular