Esporte Interativo: “Flamengo vence o Botafogo e faz final do Fanáticos contra Paraná”

Um jogo épico. Praticamente, a final antecipada do campeonato. Ao derrotar o Botafogo por 430 a 330, Bruno Lucena e Pedro Caruso sobrepujaram a dupla alvinegra, formada por Adriano Lugon e Luiz Roberto Madoreira, e garantiram presença na grande decisão do Fanáticos, o melhor programa de conhecimento futebolístico da tevê brasileira.

A semana do Flamengo foi tensa. O caldo engrossou depois do fiasco diante do Paraná. Irritado por Caruso mais ouvir funk do que estudar a história do time, Lucena precisou contar um a um os gols de Zico para não perder a cabeça com o parceiro. Não me admiraria se, em caso de derrota para o Alvinegro, os dois trocassem cumprimentos tais quais Vizeu e Rhodolfo contra o Corinthians, no último Brasileiro.

Menos tensos, Lugon e Madoreira entraram com coragem no embate decisivo, cientes de que o Flamengo ganharia muitos pontos por meio de sua engajada torcida, além do know how abrangente de Lucena. Na realidade, o Botafogo não deve se culpar por hoje, mas sim por perder para o Vasco, na pior participação da dupla alvinegra em toda a competição.

A semifinal entre Flamengo e Botafogo teve momentos mágicos. Em sua primeira questão, Madoreira chamou o auxílio do rival na Paraná e discordou deles. Seguro, garantiu que saiu dos pés de Luiz Gustavo, e não de Fernandinho, o passe para o primeiro gol de Neymar sobre Camarões, na Copa de 2014. Depois, o jovem, confiante, dobrou a segunda derrota do time no Carioca de 2006, ocorrida diante do América.

Caruso, que confessou ter como papel principal incendiar as redes sociais do Mais Querido, surpreendentemente voltou a acertar perguntas sem utilizar recursos. No dia anterior, estudou como nunca para o jogo. Como quem já sabia de antemão o que lhe seria questionado, o “Rei Mídias” acertou o placar do único jogo em que Cristiano Ronaldo marcou gol na última Copa e cravou que o Flamengo sofreu duas derrotas na Taça Guanabara de 2007.

Na prova de visualização, o vídeo da paródia do Flamengo deu uma surra na torcida do Botafogo. Foram mais de 152 mil views para os meninos da Gávea. O fato injetou ânimo em Lucena. O historiador, que ganhou pontos com os quatro clubes onde o colombiano Freddy Rincón jogou no Brasil, mesmo só se lembrando de três (esqueceu-se do Cruzeiro), precisou do Twitter para garantir que Beto fez o primeiro gol rubro-negro no Brasileiro de 2001.

Adriano Lugon, participante do programa com melhor aproveitamento em perguntas específicas, ou seja, as relacionadas a seu time, sabia de antemão que o adversário teria pontos a mais, por ter vencido o “Jogo da Memória”. A prova consistia em escalar time e técnico em duas goleadas estaduais. O Flamengo se equivocou em dois dos doze nomes, um a menos do que o Botafogo.

O calcanhar de Achilles do “Almanaque” dos #FanáticosFogão na competição responde pelo nome de Jefferson. O goleiro do Botafogo, que por sinal fez a preleção assistida pela dupla momentos antes do programa, sem querer acabou por tirar pontos preciosos para o Glorioso. Lugon já havia se enganado ao apontar Bolívar e não o paredão alvinegro como o dono da braçadeira em 2013. Desta vez, colocou Max em seu lugar, nos 4 a 1 sobre o Fluminense em 2004, perdendo a chance de empatar com o Flamengo na prova.

Mas o erro mais doloroso de Lugon na partida foi ter limado da memória a participação de outro goleiro. Rodolfo Rodríguez é conhecido por ser lenda no Santos e pelo gol bizarro que sofreu de Ronaldo Fenômeno, quando defendia a meta do Bahia. Lugon encarou a pergunta de nível médio como se fosse fácil. Se deu mal ao desligar da mente a participação do uruguaio pela paulistana Portuguesa.

Depois, fez certo. Não gastou a última dobra do time para guardá-la para a questão decisiva do programa. Mesmo convicto da resposta, chamou as alternativas e disse que foi contra o São Caetano o primeiro triunfo do seu clube no Brasileirão de 2004.

Madoreira também estava confiante para dobrar no número de decisões de Liga dos Campeões que o camaronês Samuel Eto’o balançou redes. Não deu tempo. Com as alternativas na tela, assegurou terem sido duas. Bingo. Já o Flamengo precisou da ajuda do futuro adversário na final, os #FanáticosParaná, para dizer que o brasileiro Maxwell e o sueco Ibrahimovic atuaram juntos em quatro times europeus.

Com uma atuação fantástica, Lugon deu baile em Lucena na prova de slides. Não era nem um pouco fácil: placar de disputa por pênaltis. Dos sete jogos propostos para o Botafogo, os #FanáticosFogão cravaram cinco resultados. Pressionado, Lucena só se lembrou de duas disputas. Lugon, assim, sai do programa invicto em provas ao vivo de conhecimento.

Encerrada a participação do público nas arquibancadas virtuais, as duplas chegaram às questões finais com 100 pontos de diferença: 350 a 250. O Botafogo teria de acertar a sua e torcer para o Flamengo errar a dele, para tentar o milagre no rebote. Ao ler a pergunta, em quantos clássicos entre os dois o Botafogo não marcou gol no ano de 1989, Lugon pediu a dobra. Diria que em apenas um – o empate no primeiro jogo das finais do Carioca –, mas foi salvo de última hora por seu companheiro. Menino Prodígio, como o Róbin do Batman ou o Sancho Pança de Dom Quixote, Madoreira reforçou que a temporada não se resume a Estadual, toque que foi fundamental para a sobrevida da dupla. De imediato, a derrota por 1 a 0 no Campeonato Brasileiro foi lembrada por Lugon, que, ao diminuir a diferença para 20 pontos, botou fogo na partida.

O que aconteceu, na última pergunta do Flamengo, foi extraordinário. Mesmo com o trunfo de poder chamar o especialista, Bruno Lucena honrou o apelido de “Oráculo” e chamou os holofotes para si ao pedir para dobrar. A pergunta dizia respeito à quantidade de gols que o Maestro Junior fez no Botafogo em 1992. Lucena matou a pau ao cravar. Estava no estádio em todos os quatro: três, em igual número de partidas, pelo Brasileiro, jogos realizados no Maracanã; além de outro na Taça Rio, clássico disputado no Caio Martins, em Niterói.

Semana que vem, teremos a grande final. Alguém arrisca quem será o inédito campeão, que se unirá a Bahia e Vasco como vencedores de edições do programa? Façam suas apostas!

  • Meus Deus! Que falta de matéria!

  • Mengão é Mengão porra. Torço até no fanáticos, e ainda com emoção. Isso aqui é Flamengo.

  • Se estão sem assunto, é melhor nem pôr essas matérias lixo. PQP!!

Comentários não são permitidos.