Amoroso fala sobre sua breve passagem pelo Flamengo: “Foi muito feliz”

FOTO: REPRODUÇÃO

Grandes jogadores na história do futebol já vestiram a camisa do Flamengo. Amoroso, ex-atacante, foi um deles. Apesar da breve passagem pelo Rubro-Negro, o ex-atleta, em entrevista ao Esporte 24 Horas, falou sobre sua relação com o clube carioca.


Compre capinhas oficiais do Mengão para seu celular. São diversos modelos para você escolher o que mais combina contigo. CLIQUE AQUI para conferir!


Amoroso apontou o time do Fla em que atuou, em 1996, como uma seleção, pelos grandes jogadores que haviam no clube, como Romário e Sávio. Além disso, o ex-atacante diz que foi feliz no Rubro-Negro, mesmo tendo ficado pouco tempo no Mengo— apenas três meses.

— Minha passagem no Flamengo foi muito positiva. Estava retornando de lesão, fiquei um ano sem jogar, aí retornei no Carioca. Na oportunidade, consegui meu primeiro título no profissional e invicto. De fato, nós tínhamos um grande time, quase uma seleção em 96. Então, embora pouco tempo, foi muito feliz. Até porque meu pai é flamenguista e sempre que eu ia jogar minha família ia em peso me acompanhar. Por isso, tenho um carinho especial pelo clube —, admitiu Amoroso.

Assim como Lucas Paquetá, Amoroso saiu do Flamengo e assinou com um clube da Itália: Udinese. Apesar disso, o ex-atacante vê as semelhanças pararem por aí e ressaltou a dificuldade que o meio-campista deve encontrar no Milan.

— São momentos e clubes diferentes. Pode ser que ele dê certo logo ou demore um pouco, que é natural em sua primeira experiência fora do país. Além disso, não é fácil jogar no futebol italiano. Falo isso para todos, se você consegue se destacar lá, você consegue jogar com tranquilidade em qualquer lugar do mundo. Mas Paquetá vai ter todo suporte dentro do clube. Acredito que com força vontade, espírito de sacrifício e profissionalismo, ele vai se destacar —, garantiu Amoroso.

Zico, maior ídolo da história do Flamengo, também atuou pela Udinese. Por isso, Amoroso apontou sua idolatria pelo Galinho de Quintino e revelou que o eterno camisa 10 da Gávea que o apresentou para a torcida da Údine.

— Eu sou um privilegiado. Poder jogar na Udinese, no clube que Zico jogou, meu grande ídolo. Aliás, ele me apresentou para torcida. Então, logo após tantos brasileiros, fiquei muito feliz em ser mais um a fazer história pelo clube. Eles abriram a porta para mim e pude retribuir com artilharia. Além de ser o único brasileiro a ser artilheiro do campeonato italiano, um feito que vai completar 20 anos —, contou Amoroso.

Amoroso iniciou sua carreira profissional pelo Guarani, onde ficou de 1992 a 1995. Em 1996, após um período lesionado, o ex-atacante foi contratado pelo Flamengo. No clube carioca foram apenas três meses, 22 jogos e seis gols.

Veja também