Apesar das altas despesas, VP de Marketing do Fla afirma que contrato com o Maracanã é “vantajoso” para o clube

FOTO: DIVULGAÇÃO

Um dos grandes questionamentos feitos pela torcida são os altos custos operacionais do Maracanã, que fazem com que a receita do Flamengo após os jogos disputados no estádio fique abaixo do esperado, mesmo considerando a boa média de público da equipe no Maracanã. Daniel Orlean, vice-presidente de Marketing do clube, afirmou que o contrato firmado com a empresa que administra o estádio segue vantajoso para o Rubro-Negro.


Compre capinhas oficiais do Mengão para seu celular. São diversos modelos para você escolher o que mais combina contigo. CLIQUE AQUI para conferir!


Durante entrevista concedida ao Blog Ser Flamengo, o dirigente evidenciou os benefícios após o acordo com o Maracanã, como a possibilidade de negociação dos custos operacionais. Orlean ainda falou que o Fla tinha opções, caso optasse por não firmar um contrato para contar com o estádio.

O contrato está sendo vantajoso para o Flamengo, olhando de forma mais ampla. A gente tinha algumas opções. Uma era ficar jogando com liminar, que era o que a gente tinha. A liminar definia um preço que o consórcio deveria cobrar da gente. Só que uma liminar pode cair a qualquer momento. Então como que vai fazer um pacote de ingressos sem saber onde jogar? Como conseguir cobrar barato sem saber onde jogar? Como conseguir aumentar o sócio-torcedor sem saber onde jogar? Todas as despesas na qual temos influência na gestão do Maracanã, quando se tem um contrato mais longo, dá para negociar, que é a limpeza, segurança, operação. Dá para se otimizar, também, o uso de energia.

O VP detalhou, por fim, as vantagens com o acordo e avaliou que as metas foram cumpridas, citando ganhos financeiros e desportivos, além do balanço positivo em relação à operação do estádio.

A questão é que conseguimos colocar mais gente a preço menor, diminuímos as despesas que são necessárias, mas quando você tem mais gente acaba gastando mais. Mas acho que a gente teve um ganho desportivo, financeiro e a operação acabou sendo positiva. Gastamos mais nas despesas fixas e variáveis, porque tivemos mais gente frequentando o estádio, mas tivemos mais receita de sócio-torcedor, dentro da nossa meta. A única coisa que não estava na nossa meta era a gente estar em segundo (no Brasileirão). Tínhamos que estar em primeiro – avaliou o VP de Marketing.

Dentre questionamentos e elogios, o Maracanã segue sendo a “casa” do Flamengo nesta temporada. O Governador eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, prometeu, inclusive, o lançamento do edital para a concessão do palco de duas Copas do Mundo, possibilidade esta vista com bons olhos pelas duas principais chapas que disputam as eleições do clube carioca, encabeçadas por Ricardo Lomba (situação) e Rodolfo Landim (oposição). O pleito acontece no dia 8 de dezembro.

CONFIRA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA:

 

1 Comentários
  • Se ficar com o Maracanã, vai ter que dividir com o Fluminense, e Botafogo e Vasco, que têm seus estádios, tb tirariam uma casquinha desse acordo. A casa nunca seria só do Flamengo. Precisamos de um estádio próprio. Além disso, o VP de Marketing “descobriu a pólvora”, ao dizer que “preços mais baixos colocam mais gente nos estádios”. Uma pena que tivesse descoberto isso tão tarde. Sócio Torcedor é bom, mas ver o povão nos estádios, como sempre foi com o Flamengo, tb é ótimo.

  • Criação de sites e aplicativos para celular