Fábio Monken: “O acaso vai nos proteger!”

Salve, Salve, Nação Mais Linda do Mundo!

Antes de tudo, não querendo ser chato mas entrando num assunto delicado, por assim dizer, informo a todos que eu torci muito para o Flamengo no jogo de ontem. Ressalto aqui que o apoio incondicional é compulsório e inerente à minha pessoa, mas isso não quer dizer que eu não deva criticar o que acho pertinente, principalmente quando ganhamos as partidas, o que torna a crítica inoxidavelmente isenta de ser taxada como oportunista. Dito isso, vamos à coluna!

Mais uma rodada! Mais uma vitória! E mais uma vez o acaso jogou a nosso favor. Contrariando todas as expectativas de nossa torcida após a inexplicável (e irritante) escalação do time para o início da partida de ontem, conseguimos mais três pontos totalmente improváveis na Ilha do Retiro. Me lembrei, na hora, da música imortalizada dos Titãs, Epitáfio, que retrata o atual momento vivido pelo Mais Querido.

O jogo de ontem, contra o Ixpó, campeão “Mandrake” da série B de 1987, por si só, deveria ter ares de decisão toda vez que entramos em campo pelo simples motivo de, apenas, os colocarmos no devido lugar que eles merecem desde sempre, a segunda divisão.

Não foi o que observamos durante a partida. O Flamengo indolente de sempre entrou em campo sem importar-se em ganhar o jogo. Mal escalado, com o “potente” Geuvânio no time titular (pasmem!), com Léo Duarte deslocado para a lateral direita e com a barração de Éverton Ribeiro e a não escalação de Berrío pela ponta, o Mengão apresentou um futebol abaixo do mínimo aceitável.


Compre capinhas oficiais do Mengão para seu celular. São diversos modelos para você escolher o que mais combina contigo. CLIQUE AQUI para conferir!


Ficamos aquém em força, tática e técnica mas apresentamo-nos com a indolência e empáfia costumeiras. Isso é o que esse elenco sabe fazer de melhor, ser arrogante, prepotente e jogar de forma desleixada como o famoso dito popular apregoa: “empurrando com a barriga”. Foi desse jeito que nos apresentamos ontem a tarde.

A Magnética não merece esse bando de hipócritas, principalmente capitaneados por um técnico que parece estar de “sacanagem” com a torcida. Deslocar o Léo Duarte para a lateral até pode ser passível de explicação, mas escalar Geuvânio de titular vai além de qualquer nível de razoabilidade, é atitude indefensável e nos mostra como um treinador tem a capacidade de irritar a mais tibetana torcida. O cara simplesmente errou tudo o que tentou!

Dito isso, vamos além. O nosso “capitão lambão”, Réver, continua fazendo suas trapalhadas a nível “Didi Mocó” e segue impreterivelmente sendo privilegiado e prestigiado como conadante da Arca de Noé rubro-negra. Sua escalação não se justifica há muito tempo, mas Dorival Jr. continua o escalando de forma peremptória, mostrando que a “carteirada” continua imperando nas imediações da Gávea.

O advento da falta de laterais, para este jogo especificamente, poderia ser resolvido muito mais equilibradamente simplesmente escalando Thuller e Léo Duarte na zaga (Réver deve ser a última opção) e Klebinho na lateral, já que o garoto do ninho é originário desta posição. Não correríamos grande risco se essa escalação fosse realizada, afinal de contas o genérico não mete medo em ninguém.

Em suma, demos uma baita sorte em trazermos os três pontos de Pernambuco. O time realmente melhorou um pouco após a explusão (idiota) do pródigo Paquetá (mais uma vez fazendo cagada!) e as entradas de Éverton Ribeiro e Berrío, mas principalmente pelas saídas de Geuvânio e Dourado (dois acéfalos contumazes) e do próprio Paquetá que continua sua saga infeliz atuando de forma bisonha e colocando suas vaidades pessoais acima do bem coletivo.

Após as alterações o time se posicionou muito melhor em campo e gerou mais perigo à meta adversária, mas não darei crédito nenhum à Dorival Jr., nenhum! Fica a pergunta: por que não entrou com essa escalação desde o início? Cadê a meritocracia? São perguntas sem respostas e que todo o torcedor do Flamengo tem em mente. O gol foi oriundo de um escanteio, ou seja, numa bola parada sem qualquer jogada ensaiada sendo executada, evidenciando crédito zero a nosso técnico.

Mas louvemos a vitória pois, apesar de tudo, vencemos. Sinceramente, não tenho esperança nenhuma em título, mas devo confessar-lhes que acredito 100% em classificação para a fase de grupo da Libertadores 2019. Se ela não vier, ficarei frustradíssimo.

Enfim, estou muito feliz com a vitória, mas ela não invalida o fato de estarmos jogando de forma vexatória e inequivocamente indolente. Isso foi comprovado com a derrota acachapante para a cachorrada no Engenhão há duas rodadas atrás. Decerto nosso time está dando sorte demais. Isso se comprova nos dois últimos jogos, onde deveríamos sair com o empate devido ao nível amador de atuação da equipe, incluindo ainda as escalações estapafúrdias do Prof. Dorival “Pardal” Jr.

Vamos ver se para a próxima temporada a barca possa partir e um elenco realmente que nos represente seja montado. Um elenco encorpado, equilibrado, enxuto e com diversidade e versatilidade suficientes para que vários jogadores possam atuar nas mais diferentes posições exercendo posicionamentos táticos que nos permitam mudarmos a forma de atuação no decorrer das partidas para melhor rendimento da equipe.

Para que isso ocorra, uma limpa geral deve ocorrer no Departamento de Futebol. Além disso, uma reestruturação total deve ser realizada para que, buscando a excelência de gestão do departamento mais importante do Clube de Regatas do Flamengo possamos, num breve espaço de tempo, começarmos a colher os frutos que já estão apodrecidos devido à má gestão esportiva que permeou a atual diretoria. Rumo a uma nova safra no futebol do Mengão! Vamos aguardar o final das eleições. É votar certo e rezar para que o melhor aconteça! Vai pra cima deles Mengo!!!

O Flamengo Simplesmente é!
Saudações Rubro-Negras a todos!!!

Fabio Monken

Gostou? Ótimo! Não gostou? Ótimo também!
Ninguém é o dono da verdade! Isso é fato!
Venha debater conosco suas ideias, mas faça-o educadamente, pois a falta de respeito e de educação são os combustíveis dos fracassados e de parca argumentação!

Veja também

  • Realmente, quando vi a escalação não entendi. Porque não quis entrar com Kleber? Colocar um zagueiro interior pra jogar de lateral foi um risco desnecessário, e só não aconteceu a tragédia porque o ataque do Sport é MUITO ruim. Geuvânio foi outra cabeçada do treinador, mas isso até entendo. Foi atleta do Dorival, numa de suas passagens pelo Santos, e o treinador confia nele. O erro foi achar que Geuvânio ainda fosse aquele de tempos atrás, atacante veloz, insinuante, brigador, habilidoso, fazedor de gols. Foi pra China e desaprendeu de jogar futebol. Chegou ao Flamengo, e completou o processo. Além de desaprender de jogar bola, ainda ficou acomodado, como muitos lá. Como não tem identificação alguma com o clube, caga e anda e vai levando até terminar seu empréstimo. Não era a melhor opção. Dorival achava que a sua presença motivaria o jogador, mas se enganou. Não acho que deva escalá-lo mais. Rômulo é outro. Veio pra ser titular e até começou bem, fazendo gol contra o San Lorenzo, no Maracanã, na Libertadores 2017. Depois, se acomodou. Zé Ricardo preferia Márcio Araújo, e até Cuéllar sofreu nesse tempo. Só que Cuéllar nunca se acomodou, mas Rômulo se perdeu na pasmaceira dos acomodados, como Geuvânio, Muralha, Rafael Vaz, Trauco, Arão. O único que melhorou foi Aráo, o resto é banco e só treina. Muralha e Vaz nem estão mais lá, e jamais voltarão.
    Dorival deveria fazer o feijão com arroz, sem querer inventar. Reta final de campeonato, valendo vaga na Libertadores ou até o título, é coisa séria. É uma opção pro ano que vem, mas se no próximo jogo resolver entrar com Gabroel Batista no gol e César de centroavante, vai se comprometer. Faz o simples, que já está muito bom.

  • Pra ser sincero tambem não entendo os critérios utilizados pelo Dorival q tem feito de tudo para irritar os torcedores rubronegros onde do nada ele aparece com o Rômulo de titular onde tinha o piris é até o menino Ronaldo q ñ é aproveitado e agora para coroar a burrice dele ele simplesmente barra Everton e coloca o geuvanio tendo o berrio no banco e tbm o marlos q jogou muito contra o Palmeiras e de repente ñ foi mais a campo e ñ jogou nas duas últimas partidas. O Léo Duarte ele desloca para outra posição Portanto temos q agradecer pelos três pontos contra o sporte. Mais na realidade o amador Dorival se equívoco de forma brusca ao armar o time.

Comentários não são permitidos.