Higor Neves: “Chegou”

Por: Higor Neves

O Flamengo levou cerca de dois meses em negociações para selar a contratação de Bruno Henrique. Longas tratativas com o Santos, desejo do atleta e até uma “desistência” anunciada por Marcos Braz fizeram parte deste processo. Entretanto, após vestir a camisa do rubro-negro, bastaram 49 minutos em campo para o atacante mostrar que vai se esforçar para justificar o investimento. Acionado no segundo tempo do clássico contra o Botafogo, o atleta marcou dois gols e foi “o cara” da vitória por 2 a 1.

Bruno Henrique não começou a partida como titular e, do banco de reservas, viu o Alvinegro abrir o placar aos 25 minutos. Enquanto isso, Vitinho – um de seus concorrentes por posição – oscilava entre boas jogadas e decisões equivocadas, sem conseguir criar chances contundentes. Antes mesmo de o árbitro encerrar a primeira etapa do clássico, o técnico Abel Braga, um dos grandes entusiastas da contratação, mandou Bruno Henrique para o aquecimento, deixando claro que o camisa 27 seria acionado.

Quando o Flamengo retornou para o segundo tempo, Bruno Henrique pisou pela primeira vez no gramado como atleta rubro-negro. Sua missão? Encontrar soluções para vencer a defesa botafoguense, que pouco tinha sofrido nos primeiros 45 minutos.

O INÍCIO DA CAMINHADA

Com pouco mais de seis minutos em campo, o atacante mostrou uma de suas principais qualidades e, com uma forte arrancada pela ponta esquerda, foi parado com dura falta de Alex Santana, que recebeu cartão amarelo. No entanto, pouco depois, a vontade de Bruno Henrique virou contra si, e o atacante também foi penalizado com cartão amarelo após carrinho em Marcelo Benevenuto, ao tentar recuperar a posse de bola. Entretanto, a infração cometida passou a ser um mero detalhe se comparado ao que o atleta fez depois deste lance.

Aos 17 minutos, Cuéllar roubou a bola no ataque e passou para Diego. O camisa 10 acionou Uribe, que fez cruzamento rasteiro para Bruno Henrique. O estreante partiu na diagonal e, não fosse a interceptação perfeita de Jean, ali nasceria o primeiro gol de Bruno pelo Fla. Porém, no lance seguinte, não teve erro: Bruno Henrique balançou as redes.

Em escanteio cobrado por Everton Ribeiro, o camisa 27 subiu no primeiro pau e testou a bola no canto oposto, sem dar chance de defesa a Gatito Fernandez e explodindo a Nação Rubro-Negra. A felicidade pelo gol na estreia ficou clara pela comemoração efusiva do atleta. Mas ele ainda não tava satisfeito.

Insistente pela ponta, Bruno Henrique ensaiou o gol da virada aos 22 minutos. O atacante encarou a marcação, limpou para a perna esquerda e chutou forte em diagonal. A bola, caprichosamente, tirou tinta do travessão, ajudando o Flamengo a crescer no jogo.

Com tamanho empenho e aplicação, os deuses do futebol resolveram recompensar Bruno Henrique: Renê cruzou, a zaga afastou. Everton Ribeiro, que corria em direção ao lance, rebateu a bola, mas sem conseguir desenvolver uma jogada de efeito. Ainda assim, a “confusão” na área era tudo que o estreante precisava: a bola se ofereceu a Bruno, que não pensou duas vezes antes de encher o pé e estufar as redes do Botafogo aos 25 minutos.

Dois gols marcados, cartão de visitas apresentado, moral com a torcida e com Abel Braga… mas quem disse que parou por aí?

AINDA TINHA REPERTÓRIO

Aos 48 minutos, Bruno Henrique aproveitou o espaço na zaga do Botafogo e se lançou para receber o passe em profundidade realizado por Everton Ribeiro. O camisa 27 invadiu a área e, solidário, passou para que Gabigol apenas empurrasse para as redes. Lance perfeito executado pelos jogadores do Fla. Porém, a arbitragem não estava na mesma sintonia e acabou anulando o gol de forma equivocada, ao assinalar impedimento de Bruno Henrique. O erro, porém, não foi o suficiente para tirar o bom humor da estrela da partida, que ainda comentou sobre o lance: “O árbitro até brincou comigo e pediu desculpa. Falou que sou muito rápido, que achou que eu estava na frente. Mas o importante é a vitória”.

VAI DAR CONTA DO RECADO(?)

Se vai justificar o investimento (e esforço) que o Flamengo pagou para ter Bruno Henrique, ainda não se pode dizer. Entretanto, certo que é, em apenas 49 minutos, o jogador evitou o primeiro vexame da equipe em 2019 e deu um recado à torcida: ele chegou.

Veja também