fbpx

Marcos Vinicius Cabral: “O Fla-Flu por Pedro”

FOTO: TIAGO CALDAS / AGÊNCIA ESTADO

O Rubro-Negro da Gávea e o Tricolor das Laranjeiras, são dois gigantes do futebol brasileiro que se contrastam pela miudeza de duas monossílabas separadas por um hífen: Fla-Flu.

Das tantas histórias que os rivalizam, podemos dividí-las em dois tempos como os noventa minutos de uma partida: o primeiro, antes mesmo deles se enfrentarem, em 1908, quando o jornalista Mário Filho (1908-1966) saiu do ventre de sua mãe e o segundo, exatamente no primeiro confronto entre eles e vencido por 3 a 2 pelos tricolores, justamente em 1912, quando o dramaturgo Nelson Rodrigues (1912-1980) veio ao mundo.

E se “O Fla-Flu começou quarenta minutos antes do nada,” como a célebre frase dita pelo autor da renomada peça teatral Vestido de Noiva, de 1943, esperamos que o desfecho dessa negociação com o camisa 9 tricolor seja concretizada até 31 de julho, data de fechamento da janela internacional de transferência.

Além da conversa amistosa por telefone no início do mês entre Mário Bittencourt, recém-eleito presidente do Fluminense, e Rodolfo Landim, mandatário do Flamengo, no qual foi falado sobre o interesse do Flamengo em comprar o centroavante tricolor e da multa rescisória que o Fluminense não abre mão de receber.

Segundo divulgado na imprensa, os números chegariam a 12 milhões de euros (R$ 51,4 milhões de reais) pelos seus 50% dos direitos econômicos do atleta. O Artsul, dono dos outros 50%, ganharia uma pequena comissão e manteria os direitos econômicos para uma futura venda pelo Rubro-Negro.

Não bastasse, Pedro teria um aumento substancial no salário de R$ 200 mil no Flu passando para cerca deR$ 700 mil no Fla. E convenhamos, todos ganhariam nessa triangulação: Flamengo, Pedro e Fluminense.

O Flamengo, por contratar a pedido de Jesus: um centroavante de ofício, homem de área, coisa que os atacantes atuais não são; Pedro, por ter um aumento substancial em seus vencimentos, além é claro, de poder vestir a camisa do maior clube do país; e o Fluminense, por fazer dinheiro em caixa, dando ao novo presidente um oxigênio financeiro considerável, podendo o mesmo investir em outras contratações, como por exemplo, a de Nenê – atualmente no São Paulo – que interessa ao clube.

Pelo bem do Fla-Flu (termo usado a partir de 1933 por Mário Filho), que essa negociação não se arraste por mais quarenta minutos que não venham resultar em nada.

Da mesma forma, os ventilados até o presente momento, Filipe Luís e Gerson.

Mas o nome que mais me agrada e acho que cairia bem no time do Flamengo, é o da jovem revelação do Fluminense Pedro Guilherme Abreu dos Santos tem hoje 22 anos e chegou ao Fluminense em 2014 aos 17 anos, para integrar as categorias de base do clube.

Com seu estilo de jogo, chamou a atenção de todos que viam em seu futebol a reencarnação de dois ídolos tricolores: Assis e Washington, o famoso Casal 20, sucesso na década de 1980.

Assim com o ex-centroavante Washington (1960-2014), o atual camisa 9 é bom finalizador, tem boa desenvoltura dentro e fora da área e faz gols, muitos gols, como os marcado nos Torneio de Terborg, na Holanda e o Spax Cup, na Alemanha, ambos em 2015, onde também sagrou-se campeão brasileiro Sub-20.

E lembra um pouco o ex-meia Assis (1952-2014), pela habilidade, múltiplos recursos e por ser também um bom cabeceador.

Aguardemos para ver se o Flamengo vai abrir os cofres e desembolsar 50 milhões de euros – algo aproximadamente em torno de R$ 200 milhões – e se a relação entre os clubes permanecerá amistosa como a ligação telefônica entre seus presidentes no fim do mês passado.

Falando do campo…

Em tempo: depois de um curto (longo para os flamenguistas e amantes do bom futebol) período da Copa América, o revolucionário técnico Jorge Jesus estreou ontem pelo Flamengo contra o Athletico-PR, na Arena da Baixada, pelas quartas de final da Copa do Brasil.

Apesar da partida ter sido decisiva, foi uma boa oportunidade para Jorge Jesus pôr em prática sua metodologia de trabalho aplicada nesses 20 dias de treinamentos intensos no Ninho do Urubu.

Achei o resultado justo pelo que foi apresentado nos 45 minutos finais, quando ER7 e DR10 entraram.

No jogo da volta, na quarta-feira que vem,17, no Maracanã, JJ tem que colocar um dos dois, preferencialmente o camisa 7, que vem fazendo uma boa temporada nesse primeiro semestre e sacar Vitinho.

Bem, amigos internautas, é isso, e uma vez Flamengo, sempre Flamengo!
Por: Marcos Vinicius Cabral

0 Comentários

Criação de sites e aplicativos para celular