fbpx

Anderson Alves: “O nosso DNA não pode ser negligenciado!”

FOTO: DIVULGAÇÃO/FLAMENGO

“Em algum lugar, alguma coisa incrível está esperando para ser descoberta.”
(SAGAN, Carl)

Estamos colhendo os frutos de boas contratações feitas esse ano. É inimaginável para o torcedor de 5 anos atrás pensar que teríamos o melhor ataque do Brasil, que teríamos esses nomes jogando e treinando. Se Jorge Jesus chegou com alguma desconfiança, hoje goza da adesão e de crédito com toda a torcida. Claro que ainda tem muita coisa que ajustar. Aliás se hoje temos esse time, “como será o amanhã”?

Olá, coleguinhas de Coluna do Fla. Temos algumas oportunidades que precisam ser elencadas antes de fazer novas contratações. Afinal de contas, o que será da boa base do Flamengo nos próximos anos?

Tivemos uma baixa significativa no elenco há poucos dias. O colombiano queridinho da torcida nos deixou. Sem entrar em qualquer mérito do caso, temos uma “vaga” que precisa ser reposta. Como faremos?

Alguns portais sugerem que há negociação com Marchisio, bom jogador italiano que poderia estar vindo para preencher a lacuna. Será que é por aí? Recentemente vendemos Paquetá e Vinícius ambos vestindo a camisa por período inferior a uma temporada. Será esse o nosso projeto?

Claro que não sou um alienado que acredita não ter que vender ninguém, mas o período que a base tem permanecido está longe do ideal. Então como manter os garotos? Os jogadores só ficarão a partir do momento em que se sentirem valorizados e isso ultrapassa a questão financeira.

“Como dizer para Reinier que deve ficar mais três anos, conquistar títulos e sair maior do que outros, se na ausência do Cuellar contata Marchisio e não utiliza Hugo Moura”?
(PVC, adaptação)

Serve para outros também. Se não Hugo, outro e em outras posições. O Flamengo que reorganizou a base, que traz bons nomes para montá-la, deveria pensar isto também.

Contratar traz uma euforia e a nossa torcida, que por algum tempo só teve esse motivo de comemorar, avalia muitos nomes como ótimos, mas talvez em casa já haja o nome ideal para fazer o Flamengo muito mais forte e não estejamos lhe dando o devido valor.

Que venham mais vitórias para nós!

Anderson Alves, O otimista.

9 Comentários

  • A única análise a ser feita é se o jogador da base é bom o suficiente pra entrar no time principal. O nível está aumentando, logo não será qualquer um, só por que é da base, que deve jogar. Os treinamentos é que dirão se eles tem capacidade ou não.

  • Acho que a materia esquece de uma coisa muito importante. Nos ultimos anos o Flamengo foi um dos times que mais utilizou a base, mesmo tendo bons times.
    Cesar, Jorge, Leo Duarte, Thuller, Samir, Jean Lucas, Paqueta, Vjr e Vizeu… nos ultimos 3 anos foi muito jogador utilizado, fora outros que tiveram chances como Linconl e Ronaldo… e olha que nos ultimos 3 anos o poder aquisitivo do flamengo aumentou muito, a qualidade dos contratados também.
    O clube ta vivendo um entressafra agora.
    O Reinier ainda tem 17 anos, o paqueta ficou 2 anos praticamente só treinando junto aos profissionais, ou seja, O reinier ta queimando etapas e a chance dele vai aparecer.
    Entao sim, as vezes vale mais a pena ele renovar e apostar numa venda, o que define a vida dele de uma vez, mesmo que ele vá mal na europa depois.

  • O próximo passo para o projeto do Flamengo é se consolidar como um time atrativo para jogadores e técnicos.

    Nossa “escola de futebol” deve almejar ser a melhor do mundo (o que não é nenhum absurdo, já que o Brasil é o país do futebol). Dessa forma, podemos atrair os técnicos e jogadores mais promissores.

    O sonho dos jogadores de futebol hoje é jogar na Europa, ganhar uma copa do mundo, etc. Também deve ser ganhar uma libertadores pelo Flamengo, jogar uma final no Maracanã e aprender algo que só se aprende no ninho do urubu.

  • Não esqueçam que a grande maioria desses garotos são a esperança de suas famílias por uma vida melhor , é preciso ter calma e responsabilidade para colocar esses garotos à exposição, poucos deles vingam logo , corre o risco de queimar etapas e prejudicar o futuro deles , nós não sabemos do dia a dia nos treinos , vamos ter calma com os garotos .

  • Acho que o ideal é ter no elenco pelo menos 1/3 de jogadores vindos da base. A manutenção dos garotos não tem a ver só com a questão econômica mas com o fortalecimento do modelo de jogo. O ideal é que as divisões de base fossem treinadas a semelhança da equipe principal, técnica e taticamente. O jogador que subisse da base já estaria familiarizado com a forma de jogar do elenco e a partir daí fossem feitas contratações pontuais para aquelas posições em que não fossem revelados jogadores de alto nível.
    O Barcelona faz isso há muito tempo. Aqui no Brasil só o Grêmio tem conseguido se dar bem usando jogadores da base.
    E o Flamengo revela jogadores de alto nível que acabam atingindo o ápice da carreira em clubes de outros países. E que torcem pelo Mengão mesmo de longe. Porque não podem se tornar internacionais jogando aqui?

  • Anderson Alves concordo com você, apesar de termos um ELENCO MUITO BOM, necessitamos olhar melhor para a base, aqui vai um exemplo, assisti um jogo onde o mengão colocou apenas jogadores reservas, no carioca do ano passado, PEPE fez um golaço, depois VITOR GABRIEL fez outro, o treinador era Zé Ricardo, PEPE nunca mais teve outra chance, e VITOR GABRIEL praticamente NENHUMA. Fica a colocação, se LINCOLN até agora não deslanchou não seria o caso de se colocar VITOR para pelo menos ficar no banco, e concordo com você, HUGO MOURA tem feito boas partidas, de qualquer sorte o Míster já mostrou ser bom treinador, acredito que ele com certeza vai dar chance aos garotos, mesmo porque ele tem feito isso com todo elenco.

  • Esses amantes da base… tudo bem que o Flamengo revela bons jogadores nos ultimos anos, mas será que um ataque formado por Reinier, Paquetá, Vinicius Jr. Lincon e Lucas Silva faria os gols que Arrascaeta, Gerson, E.R.7, B.H. e gabigol estão fazendo? a base é tão boa assim pra grandes competições?

  • Criação de sites e aplicativos para celular