Jornalista afirma que não há nada a ser criticado no acerto entre Flamengo e Jorge Jesus e elogia: “Merece aplausos”

FOTO: ALEXANDRE VIDAL/FLAMENGO

Desde que o próprio Jorge Jesus anunciou sua permanência no Flamengo, na última terça-feira (02), não se fala em outra coisa na imprensa esportiva e nas redes sociais. O jornalista Renato Mauricio Prado, em sua coluna no Uol Esporte, fez questão de elogiar o acerto entre o clube e o treinador. Para ele, enquanto parte da mídia e de torcedores (adversários, na maioria dos casos) questiona o valor do salário do técnico e sua comissão, não há nada a ser criticado.

Muita gente achando que os salários do português e de sua comissão técnica são altos demais, os prêmios prometidos pelos títulos importantes, estratosféricos e por aí vai. Há questionamentos também pelo fato de o novo compromisso voltar a ser de apenas um ano – até julho de 2021-, o que pode deixar o time sem treinador no meio da próxima temporada -, disse antes de completar:

Entendo que todo esse ‘mimimi’ ganhe corpo, até pela falta do que falar, em plena pandemia, com o futebol parado no Brasil e sem perspectiva de retomada a curto prazo. Por isso, respeito tantas opiniões emitidas com maior ou menor fervor. No meu modo de ver, entretanto, não há rigorosamente nada a ser criticado no acerto entre o treinador e o rubro-negro. Muito pelo contrário. Merece calorosos aplausos -, concluiu.


Aproveite a boa fase do Flamengo para lucrar!


Apesar de Mister ter se ‘auto-anunciado’, o Mais Querido ainda não comunicou oficialmente a permanência do português. Isso porque, uma cláusula contratual divergia entre as partes e. No entanto, com o ‘fico’ de Jesus, a probabilidade é que o anúncio seja oficializado pelo clube em breve. O vínculo foi estendido até junho de 2021 e, apesar do sucesso estrondoso em 2019 e no início da atual temporada, Jesus acabou renovando praticamente pelos mesmos valores do ano passado.

De acordo com Renato Mauricio Prado, houve um aumento de cerca de 10%, totalizando 4 milhões de euros anuais, o que equivale a aproximadamente R$ 1,7 milhões por mês. Entretanto, inicialmente, o técnico desejava um valor bem mais alto (6 milhões de euros/ano). Todavia, com o cenário de crise causado pela pandemia da Covid-19, Mister reduziu consideravelmente sua pedida e mostrou boa vontade em continuar fazendo história à frente do Rubro-Negro carioca.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *