Gabigol vive fase de seca de gols, mas ganha destaque como ‘garçom’ do elenco

FOTO: ALEXANDRE VIDAL/FLAMENGO

Desde que chegou ao Flamengo em 2019, Gabigol é a referência do ataque rubro-negro. Porém, ao não marcar na partida contra o Fluminense, válida pela final da Taça Rio, o camisa 9 completou três jogos sem marcar gol. Com esta marca, o atacante igualou sua pior série sem gols sob comando de Jorge Jesus. 

Os números de Gabigol com o Manto Sagrado são respeitáveis. São 72 jogos, 54 gols marcados e 20 assistências. Mas, se levar em conta somente o rendimento do atacante com o técnico português, o retrospecto impressiona ainda mais: 40 gols em 46 jogos. A última vez que balançou as redes foi em 11 de março, contra o Barcelona de Guayaquil, pela Libertadores. 


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


Se a fase individual não é tão boa, vale destacar o coletivo. O camisa 9, que tem faro de gol, agora aprendeu a ser garçom. Apesar de não ter marcado após o retorno do futebol, Gabigol deu quatro assistências: duas na partida contra o Bangu e duas na semifinal contra o Volta Redonda. Das quatro assistências, três foram para Bruno Henrique. 

Autor do gol que deu o título da Libertadores para o Flamengo, esse tempo de seca aumenta a responsabilidade do artilheiro. Caso marque um gol em alguma das partidas contra o Fluminense, pela final do Campeonato Carioca, o camisa 9 se isola na artilharia do Estadual, visto que o João Carlos, do Volta Redonda, com quem divide o posto de artilheiro, não joga mais pelo campeonato.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *