Tempo de contrato, concorrência e Covid-19: Flamengo encontra barreiras na busca por novo técnico

FOTO: PAULA REIS / FLAMENGO

O Flamengo está à procura de um novo treinador. Marcos Braz, vice-presidente de futebol, e Bruno Spindel, diretor-executivo, encontram-se na Europa e conversaram com diversos técnicos, em uma espécie de entrevista de emprego. Porém, os dirigentes esbarraram em algumas barreiras.

Os técnicos, em sua maioria, querem um contrato de um ano, ou seja, 12 meses. O Flamengo, no entanto, deseja um vinculo maior, com duração até dezembro de 2021, quando termina a gestão do presidente Rodolfo Landim, como informou primeiramente o Uol Esporte.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


Outros fatores também atrapalham, como a concorrência. Alguns técnicos procurados pelo Flamengo já estavam negociando com clubes europeus. Carlos Carvalhal, por exemplo, recusou a oferta rubro-negra, pois preferiu permanecer em Portugal e acertar com o Braga.

A fato de o Brasil ser um dos epicentros do novo coronavírus também aparece como empecilho. Em boa parte da Europa a doença está controlada. Os treinadores temem sair de uma região “segura” e vir para um local onde a Covid-19 ainda está bem forte em determinados estados.

Embora tenham alguns empecilhos, o Flamengo também conta com algumas atratividades, como o fato de o elenco estar montado e poder brigar por títulos importantes, tanto nacionalmente quanto no continente.

Domènec Torrent, ex-auxiliar de Guardiola, é o nome da vez. Marcos Braz e Bruno Spindel vão se reunir com o profissional nesta terça (28). Dessa vez, os dirigentes farão uma proposta oficial ao técnico, que vê com bons olhos acertar com o Flamengo para poder conquistar seus primeiros títulos como treinador.

Veja também