Com ajuda de Rafinha, Jogadores do Fla estão otimistas e animados com contratação de Domènec Torrent

FOTO: MARCELO CORTES / FLAMENGO

O Flamengo ficou exatos 14 dias sem treinador, desde a saída de Jorge Jesus ao anúncio de Domènec Torrent. O primeiro marcou história no Rubro-Negro, ao ficar 13 meses no clube, perder apenas quatro jogos e conquistar cinco títulos. Já o segundo chega segunda-feira (03) ao Rio de Janeiro e espera dar início da melhor forma à sua trajetória no Mais Querido. Do que depender dos jogadores, a ideia do novo técnico será bem aceita.

Rafinha foi o único atleta do atual elenco que já trabalhou com Domènec Torrent, quando este ainda era auxiliar de Pep Guardiola no Bayern de Munique, na Alemanha. O lateral é um entusiasta da chegada do treinador e deu ótimas referências aos companheiros de Flamengo, que passaram a ficar otimistas e animados com a ideia de conviverem e serem orientados por um adepto da filosofia do “Guardiolismo“, como informou o portal Uol Esporte.


Quem será o próximo a perder para o Mengão? Saiba como lucrar com previsões esportivas!


O lateral-direito do Flamengo já chegou a falar publicamente sobre Domènec Torrent: “É um cara que dispensa comentários, eu conheço bem e posso falar com propriedade porque é um cara com quem eu trabalhei. Ele fez muita gente no Bayern crescer muito“, disse o Rafinha, em entrevista à ESPN. Embora tenho demonstrado mais seriedade ao falar de “Dome“, como o treinador costuma ser chamado, o jogador está bastante animado com a chegada do técnico.

Embora exista empolgação com a oportunidade de trabalhar com Domènec Torrent, o elenco do Flamengo se fechou e decidiu manter a intensidade durante os treinamentos, visando buscar novos títulos com o Manto Sagrado. Independentemente de quem fosse contratado, o plantel compraria a ideia. Com as histórias e elogios de Rafinha, os atletas passaram a ver de forma bastante positiva o novo treinador.

Domènec Torrent tem 58 anos e fez parte da comissão técnica de Pep Guardiola durante 11 anos. Em 2018, o treinador passou a andar “com os próprios pés” e deu início à carreira solo. O comandante foi trabalhar no New York City, dos Estados Unidos, onde ficou até meado de 2019. Domènec está entusiasmado com a oportunidade que tem de ganhar os seus primeiros títulos na carreira, podendo aumentar o seu prestígio internacional como técnico, não mais somente como auxiliar.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *