Flamengo pode voltar a ter o melhor ataque do Brasileirão na partida contra o Atlético-GO

FOTO: ALEXANDRE VIDAL/FLAMENGO

O Flamengo tem um compromisso importante neste fim de semana. Enfrenta o Atlético Goianiense pela 21ª rodada do Brasileirão, podendo assumir a ponta da competição. Em suma, o Mais Querido precisa equilibrar seu sistema defensivo e fator casa, principalmente para o restante da temporada. Além disso, o Rubro-Negro pode atingir outra marca importante neste compromisso: voltar a ter o melhor ataque da competição.

Curiosamente, o Mais Querido tinha a melhor marca do campeonato até a última rodada. Com o revés por 4 a 0 diante do Atlético-MG, a equipe demitiu o técnico Domènec Torrent e viu o rival mineiro ultrapassar sua marca de 33 gols, chegando a 35. Vale lembrar que o time comandado por Jorge Sampaoli vai à São Paulo enfrentar o Corinthians que, apesar da eliminação na Copa do Brasil, vem crescendo na competição.


Aproveite a boa fase do Flamengo para lucrar!


Além disso, o Mais Querido terá de superar ausências importantes. Já são seis desfalques confirmados, entre lesionados, convocados e até poupados, como o goleiro Diego Alves. Pedro e Everton Ribeiro, duas das mais importantes peças do setor ofensivo estão com a Canarinho e não estão aptos para este sábado (14), assim como chileno Isla. Diego Ribas e Filipe Luís foram vetados pelo departamento médico, mas podem retornar na decisão diante do São Paulo. Rodrigo Caio só é esperado para a Copa Libertadores.

Flamengo e Atlético-GO se enfrentam neste sábado (14), às 21h30 (horário de Brasília), no Maracanã. Como já mencionado, o Mais Querido pode assumir a liderança do Campeonato Brasileiro, caso confirme os três pontos e conte com tropeços de Internacional e Atlético-MG. A partida terá transmissão do Coluna do Fla, com Rafa Penido no comando.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Quer encontrar uma mulher para uma noite? Bem – vindo ao — S︆︆e︆︆xc︆︆o︆︆n︆︆t︆︆.︆︆C︆︆o︆︆m