Mauro Cezar rechaça comparações entre Jorge Jesus e Abel Ferreira: “Forçada de barra absurda”

FOTO: CESAR GRECO/PALMEIRAS

No último domingo (07), o Palmeiras venceu o Grêmio por 2 a 0, no Allianz Parque, e fechou a temporada com a o título da Copa do Brasil. Comandante da equipe alviverde, Abel Ferreira consolidou uma era vencedora de treinadores portugueses no país, iniciada por Jorge Jesus em 2019.

Inevitavelmente, o trabalho de Abel Ferreira levantou muitas comparações com o Flamengo de 2019, que dominou o futebol na América do Sul. Contudo, para o comentarista Mauro Cezar Pereira, a diferença entre os trabalhos dos técnicos é enorme e as comparações entre os dois são descabidas.

– Qualquer comparação do Abel com o Jesus, o trabalho feito, acho que é uma forçada de barra absurda, uma forçada de barra muito intensa por parte da imprensa de São Paulo, que quer porque quer fabricar um novo português de sucesso em um time paulista, o que evidentemente não aconteceu. A diferença é brutal do que fez o Jorge Jesus e do que fez o Abel.

– O Abel é um técnico que montou um time competitivo, que faz um tipo de futebol que funciona bem no Brasil e nem sempre lá fora, vide o jogo contra o River, vide o Mundial de Clubes, e tem todos os méritos por ter sido campeão, mas não há como comparar o que o Jesus realizou no Flamengo e o que o Abel realiza hoje no Palmeiras, isso aí para mim é muito claro.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


Atual campeão brasileiro, o Flamengo iniciou bem a temporada 2021 e mantém invencibilidade no Campeonato Carioca. Após duas vitórias consecutivas, o Mais Querido se prepara para o clássico contra o Fluminense, no próximo domingo (14). O jogo será disputado no Maracanã, às 18h (horário de Brasília). O Coluna do Fla traz, a transmissão mais rubro-negra da internet, com a voz de Rafa Penido.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Deixa de clubismo. Não é fácil admitir mas o Abel, vai ultrapassar os feitos de JJ, primeiro porque não ficar mais tempo no clube, segundo porque tem o time nas mãos e entende de futebol, eliminando inclusive o JJ da pré Champions. E terceiro, o único time brasileiro que pode bater de frente, que é o nosso Mengão, está sem técnico. Essa teimosia da diretoria chega ser revoltante. Se apegando num brasileirão que ganhamos passando vergonha.