CEO da Moss revela conversas com o Flamengo para ajuste de patrocínio

FOTO: DIVULGAÇÃO/VENE CASAGRANDE

Na última semana, o Flamengo e a Moss entraram em acordo e assinaram contrato de patrocínio até o final de 2021. Nesta quinta-feira (08), Luis Adaime, CEO da empresa que vai estampar a marca nos meiões do uniforme do Mais Querido, concedeu uma entrevista exclusiva ao Coluna do Fla, e revelou detalhes de conversas com o Rubro-Negro para ajustar o novo vínculo.

Para diminuir o risco financeiro para o clube, pois sabemos que patrocinadores do passado ficaram em falta com o Flamengo, não honraram seus contratos, a conversa era de um pagamento parcelado. O contrato vai até o final de 2021. Nas conversas, o clube expressou uma necessidade, uma demanda, um pedido de seguro-fiança ou pagamento de parcelas antecipadas -, disse Luis, antes de prosseguir:


Qual será a próxima vítima do Flamengo? Saiba como lucrar com previsões esportivas!


Reconheço que foi um pouco infeliz a maneira como foi anunciado, foi vazado pela nossa empresa. Já tudo que acontece no Flamengo toma um proporção absurda, ficou a impressão que a gente se antecipou, mas o fato é que os fatos tomaram uma magnitude que tivemos que fazer algum tipo de anúncio. É meu clube de coração, eu jamais faria algo para prejudicar o clube de qualquer maneira. Então, a gente resolveu pagar à vista -, revelou.

Inicialmente, o contrato com a Moss renderia R$ 3,5 milhões aos cofres do Flamengo, para a estampa da marca nos meiões do time principal. No entanto, esse valor sofreu um acréscimo de R$ 100 mil e, a partir de agora, a empresa também estará presente nos meiões da equipe feminina do Mais Querido.

Conforme revelado pelo CEO da empresa, a Moss efetuou o pagamento ao Flamengo à vista, para ajudar o clube e sacramentar o negócio. O contrato ainda não foi votado pelo conselho do clube, no entanto, há a expectativa de que isso ocorra ainda esta semana, para que o Mengo possa estrear o novo patrocínio já no domingo (11), contra o Palmeiras, pela Supercopa do Brasil.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *