Alinhada com o BEPE, torcida organizada Raça Rubro-Negra realiza recadastramento visando a volta aos estádios

FOTO: ALEXANDRE VIDAL/FLAMENGO

Por: Jonas Coelho e Guilherme Calvano

Nesta terça-feira (08), a maior torcida organizada do Flamengo, Raça Rubro-Negra, anunciou a campanha de recadastramento associativo. Fora das arquibancadas desde dezembro de 2018, a ‘Raça’ se alinhou ao BEPE (Batalhão Especializado em Policiamento em Estádios) para cumprir todos os protocolos necessários visando voltar aos estádios, assim que tiver o aval das autoridades.

Em contato exclusivo com a reportagem do Coluna do Fla, o diretor de bateria da Raça Rubro-Negra, Isaac Nascimento, explicou como funciona o sistema de recadastramento e reforçou a importância da adesão dos membros e simpatizantes da organizada.

– Foi uma medida imposta pelo BEPE, em que todas as torcidas organizadas do Rio tem que ter esse cadastro, e atualizar de seis em seis meses, pois eles tem o controle no sistema. E se nós não tivermos um mínimo de cadastro, nós não vamos conseguir colocar todas as nossas bandeiras, faixas e bateria. Queremos o máximo de cadastro possível, porque a cada 25 cadastros, já se consegue colocar uma bandeira na arquibancada.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!



A última partida do Flamengo que contou com a presença da bateria da Raça Rubro-Negra foi no dia 1º de dezembro de 2018, contra o Athletico-PR, no Maracanã. A punição da organizada ocorreu por descumprimento de Termo de Ajustamento de Conduta que havia sido firmado junto ao MP, Ministério do Esporte e com a Polícia Militar, naquele ano. Contudo, como citado, a Raça já está alinhada com o BEPE para cumprir todo o protocolo, desta vez.

VEJA A NOTA DA RAÇA-RUBRO-NEGRA:
“Mais uma vez, a diretoria do G. R. M. C. RAÇA RUBRO-NEGRA vem fazer um apelo aos seus integrantes e simpatizantes. Em nome do bem-estar da torcida e com a certeza de estarmos cada vez mais próximos do tão esperado retorno às arquibancadas, estamos aqui para lembrar a importância do cadastramento associativo. Resolvidas as pendências jurídicas, é necessário que haja uma mobilização em massa de recadastramento para que possamos, finalmente, voltar ao nosso lugar, com todos os adereços que nos permitem fazer o maior espetáculo da terra. Sem cadastro, não há bandeira, bateria e faixa. Não podemos falhar em nosso compromisso, principalmente sabendo que, em pouco tempo, todo futuro da torcida dependerá, única e exclusivamente, dos nossos próprios esforços. Colheremos em alguns meses o que for plantado hoje. Chegou a hora de você, apaixonado pelo PULMÃO DA ARQUIBANCADA, fazer parte dessa história e participar efetivamente do processo de reconstrução. Seja leal ao nosso amado movimento e regularize sua ficha cadastral, porque só assim faremos o espetáculo voltar, definitivamente, a acontecer. Você fez sua parte? Ser um casaca vermelha vai muito além de vestir a camisa; é fazer dela sua segunda pele”.

 

 

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *