Casemiro desconversa sobre boicote à Copa América, mas admite: “Todo mundo sabe nosso posicionamento”

FOTO: REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Nesta sexta-feira (04), a Seleção Brasileira venceu o Equador por 2 a 0, em jogo válido pela sétima rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo. Ao final do duelo, Casemiro, capitão da Canarinho, concedeu entrevista na beira do gramado e falou sobre um possível boicote à Copa América. O jogador ‘desconversou’ sobre o assunto, mas admitiu o posicionamento da Amarelinha que, ao que tudo indica, é contra a realização da competição no Brasil.

Não podemos falar do assunto. Todo mundo já sabe qual o nosso posicionamento, mas não vamos falar desse assunto. Nosso posicionamento todo mundo sabe, acho que mais claro impossível. O Tite deixou claro para todo mundo qual o nosso posicionamento e o que nós pensamos sobre a Copa América. Existe o respeito, existe a hierarquia que temos que respeitar. Claro que queremos dar opinião nossa. Rolaram muitas coisas, mas, existe respeito e, infelizmente… Queremos falar (após o jogo contra Paraguai). Queremos falar porque não queremos desviar o foco –, disse, antes de prosseguir:


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


A Copa do Mundo é isso para nós. Hoje, ganhamos um jogo de Copa do Mundo, é importante para nós. Mas, queremos falar, expressar nossa opinião. Se é certo ou não, cada um vai determinar o que é, mas queremos expressar nossa opinião e nós iremos falar. O Tite explicou a situação, o Tite realmente falou. Eu, como capitão, como líder, rolou isso mesmo, nós nos posicionamos, rolou isso mesmo. Mas, no momento oportuno, iremos falar. Não sou eu, não são ‘jogadores da Europa’. Quando fala alguém, fala o grupo. Todos os jogadores, com o Tite e comissão técnica. Todos juntos. É unânime -, concluiu.

Na última quinta-feira (03), após a mudança da sede da Copa América, que seria disputada na Argentina e, agora, vai ocorrer no Brasil, Tite concedeu uma entrevista e revelou que os jogadores da Seleção Brasileira solicitaram uma reunião com Rogério Caboclo, presidente da CBF, para debater sobre a participação no torneio. No entanto, o técnico garantiu só externar qualquer posicionamento após a rodada dupla das Eliminatórias, contra o Equador e Paraguai.

O discurso de Tite foi reforçado por Casemiro nesta sexta (04), ao final do duelo contra o Equador. Capitão da Seleção, o atleta ‘deixou claro o posicionamento da equipe’, e garantiu que o desejo é unânime, mas voltou a afirmar que a opinião do grupo só será externada após o jogo contra o Paraguai. Vale destacar que, entre os convocados por Tite, tem três jogadores do Flamengo: Gabigol, Everton Ribeiro e Rodrigo Caio.

Ao que tudo indica, a Seleção Brasileira pretende não disputar a Copa América, mas o posicionamento só será amplamente divulgado na próxima terça-feira (08). Até lá, a Canarinho mantém seu foco nas Eliminatórias e se prepara para o embate contra o Paraguai, que será disputado no estádio Defensores Del Chaco, às 21h30 (de Brasília).

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • E a Fla TV se presta a participar deste jogo político, a favor de seu carrasco de décadas….
    Perguntem ao Gabigol, Lucas Paquetá, e outros que vão disputar vaga na seleção, se não gostariam de ter outras oportunidades de jogar, ainda mais no seu país, contra equipes rivais de décadas, com condições reais de conquista de título.
    Ou então, peçam ao Casemiro para encaminhar o seu descontentamento à FIFA, pela realização da EUROCOPA.
    É ruim, heim! Perde logo um contrato valioso de imagem.

  • Deprimente, quase vergonhosa a situação que a rede globo colocou os jogadores, para insistentemente falarem sobre a realização da Copa América, no Brasil. Trocaram um apoio por outro, pois não jogaram bem, mas foram “aplaudidos” pelos repórteres.
    Sabemos que esta empresa, com dívida bilionário e lesiva ao país, não vai poder transmitir o evento e sim, a SBT. Então, mais uma vez, promove a comoção nacional de apelo puramente político.
    Pet ficou desconcertado e preferiu comentar que opiniões divergem, para cada jogador.
    Perguntem ao Gabigol, Lucas Paquetá e outros novos, se eles não gostariam de ter mais oportunidades na seleção, ainda mais contra rivais tradicionais e com possibilidade de conquista em seu país.
    Gostaria de perguntar aos euro-brasileiros da seleção (já com alguma dificuldade de falar o português) se eles votarão contra a realização Euro-Copa. Se eles vão enviar seus posicionamentos à FIFA e demonstrarem publicamente que são contra o evento.