Flamengo atua nos bastidores, e ‘vence’ luta em busca de modernização da Lei Pelé

Nesta quarta-feira (23), a Câmara dos Deputados irá instaurar a Comissão Especial para a modernização da Lei Pelé. Por dentro dos bastidores, o Flamengo esteve presente na logística, com a participação do presidente Rodolfo Landim também em cena. Entre idas e vindas do Rubro-Negro à Brasília, o Mais Querido conseguiu acelerar o processo e ‘vencer’ na causa.


Aproveite a boa fase do Flamengo para lucrar!


A necessidade de revisar a Lei Pelé passou pelas mãos de Rodolfo Landim em um café da manhã reservado com 25 parlamentares num bairro nobre de Brasília. Naquela época, o dirigente tentava oferecer apoio à Medida Provisória 984/2020, a chamada MP do Mandante, e conversou com os políticos em nome de 16 dos 20 clubes da Série A 2020: Athletico-PR, Atlético-GO, Atlético-MG, Bahia, Ceará, Corinthians, Coritiba, Flamengo, Fortaleza, Goiás, Internacional, Palmeiras, Bragantino, Santos, Sport e Vasco. Cabe destacar quatro times foram contra o movimento: São Paulo, Grêmio, Fluminense e Botafogo.

No encontro, Rodolfo Landim também sugeriu a necessidade da criação de uma comissão especial no Congresso Nacional para reformular a Lei Pelé. O discurso do dirigente do Flamengo convenceu duas figuras: secretária de Esporte do GDF e deputada federal licenciada Celina Leão, que abraçou a causa, e Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados.

No início de maio, Arthur Lira publicou em edição extra no Diário Oficial da Câmara autorização para instauração de uma comissão especial para que a Lei Pelé seja revista. Questionada, Celina Leão respondeu acerca do plano da modernização: “Vamos atualizar tudo. Lei muito antiga. Precisa de uma revisão e atualização”. Dessa forma, além de favorecer o Rubro-Negro, foi possível constatar a importância da diretoria dentro do Parlamento brasileiro.

 

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Esta é uma notícia da mais alta relevância, muita coisa precisa mudar. Prêmios do brasileiro
    valor muito baixo. Cota de tv, as televisões pagam muito pouco, principalmente quando a
    globo detém a hegemonia. Os estaduais, ocupam quase a metade do ano e reduzem o
    espaço dos campeonatos importantes, brasileiro e libertadores. Convocações de jogadores
    fora da data fifa. O flamengo está batalhando pra formar uma liga pra tentar mudar essas
    questões, mas, vai ser muito difícil, o que pode ajudar são is integrantes do legislativo se
    reunirem e começarem a fazer leis que mudem o sistema atual, o flamengo como o mais
    bem estruturado clube no pais só tende a ganhar com isso. Valeu Landin.