Reação de Pedro não gera desconforto nos bastidores do Flamengo

FOTO: ALEXANDRE VIDAL/FLAMENGO

Na última quarta-feira (23), o Flamengo venceu o Fortaleza por 2 a 1, no Maracanã, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. O duelo marcou a despedida de Gerson do Rubro-Negro, mas quem brilhou foi Bruno Henrique, autor de dois gols. Fora dos gramados, apesar do clima ‘tranquilo’, uma situação chamou atenção: a reação de Pedro na substituição.

O atacante deixou o gramado aos 20 minutos do segundo tempo, para dar vaga a Rodrigo Muniz e, ao sair, chutou algumas garrafas e, também, o banco de reservas. A atitude foi criticada por Rogério Ceni, no entanto, o caso ‘morreu no vestiário’ e o atleta não será multado. O clima pela despedida de Gerson amenizou os bastidores do Rubro-Negro e o assunto não voltou à tona. A informação foi divulgada pelo jornal Extra.

– Acho desrespeitoso, não só comigo, mas com o atleta que está ali para entrar. Acho que esse negócio de seleção, convocação, também altera um pouco com a cabeça dele. Acho lamentável, feio. Não é muito da característica dele. É um bom garoto. Seleção, convocação, mexeu com ele. A cena é lamentável. Não acho uma atitude correta, acho feio. Não deixa de ser grande jogador -, disse Rogério Ceni em entrevista coletiva após o jogo.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


Antes de sair a convocação oficial para os Jogos Olímpicos, o Flamengo havia antecipado à CBF que Pedro não seria liberado. A entidade, entretanto, confirmou a convocação do atacante e, a partir disso, um imbróglio se iniciou. Sendo assim, o Rubro-Negro resolveu ir ao STJD em busca da desconvocação do atleta, para que ele possa entrar em campo com o Manto Sagrado sem maiores problemas.

Até o momento, o STJD ainda não definiu a situação de Pedro e a tendência é de que a decisão saia ainda nesta sexta-feira (25). Vale destacar que, para ter o jogador nas Olimpíadas, a CBF aceitou que ele se apresentasse somente após o retorno de Gabriel Barbosa ao Flamengo, que está com a Seleção Brasileira em disputa da Copa América. No entanto, ainda assim, o Rubro-Negro não aceita liberar o camisa 21.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *