Jornalista avalia estreia de Renato no Fla: “Proporcionou sustos que não se via desde Abel Braga”

FOTO: ALEXANDRE VIDAL/FLAMENGO

A vitória por 1 a 0 diante do Defensa y Justicia, na Argentina, pela Libertadores, não foi o suficiente para esconder a má atuação do time na estreia de Renato Gaúcho no comando técnico rubro-negro. Para o jornalista André Rocha, no entanto, o jogo abaixo não deveria ser considerado surpresa, mas o treinador não pode ser avaliado por esses 90 minutos.

Não deveria ser surpresa. Queriam uma equipe menos previsível, certo? Pois o Flamengo de Renato proporcionou sustos e temores em Florencio Varela. Como não se via desde os tempos de Abel Braga, treinador com perfil semelhante ao de Renato. Mas entregou a vitória e boa vantagem para a volta.

O torcedor do Flamengo pediu a saída de Rogério Ceni, entre outras coisas, pelo roteiro previsível de quase todos os jogos. Renato Gaúcho não pode ser julgado pela estreia. Apenas um treinamento, muito papo e importantes ausências. Mas pela primeira partida parece que Renato fará o que sempre fez: adaptação ao contexto. Foi curioso observar algumas análises sobre ”as ideias táticas de Renato”-, escreveu em seu blog no UOL Esportes.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


Renato é treinador há mais de duas décadas. Nos últimos dez anos, comandou basicamente o Grêmio e o Fluminense, além da breve passagem pelo Athletico em 2011. Ele assume o trabalho, analisa e vai ajustando. No Grêmio recebeu uma equipe de Roger Machado, que já tinha padrão.

Não há filosofia ou conceito. É ‘camaleão’ mesmo. Mas como algumas mudanças são simples, é possível percebe-las na primeira partida. Saída de bola com Filipe Luís aberto como lateral, um 4-2-3-1 bem definido e marcação por encaixe com bola rolando e individual nas faltas laterais. Foi suficiente pra virar do avesso o outrora Flamengo dominante.

Ainda na análise, o jornalista Renato Gaúcho não apresentará nada além do que já foi visto entre as constantes mudanças técnicas do Flamengo. Outro ponto questionado pelo especialista, foi sobre a coletiva pós-jogo do treinador: “Ele abordou apenas a óbvia valorização da vitórias e a esperada falsa dicotomia: perder jogando bem x vencer jogando mal”.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Na verdade o jogo de ontem foi o pior do Flamengo desde quando o clube brigava contra o rebaixamento. Nem o Abel Braga, nem o Carpeggiani proporcionaram partidas tão ruins. Mas é totalmente impossível atribuir culpa ao Renato por ontem, muito menos fazer qualquer tipo de análise sobre ele.

  • PELO JOGO DE ONTEM NÃO DÁ PARA SE TIRAR UMA CONCLUSÃO. ACHO QUE O RENATO CONHECE O FLAMENGO E SABE QUE O TOME SÓ JOGA PARA VENCER. ACHO QUE PELO PRIMEIRO JOGO DO TREINADOR ELE PRIORIZOU A CLASSIFICAÇÃO. VAMOS VER O QUE ELE VAI USAR COMO ESQUEMA NO MENGÃO. ELE SÓ NÃO PODE SER RETRANQUEIRO, O ROGÉRIO CAIU POR NÃO TER DADO PADRÃO DE JOGO AO FLA. SE O RENATO NÃO SOUBER MONTAR O TIME COM UM ESQUEMA AGRESSIVO, TAMBÉM VAI “CAIR” VALEU RENATO PELOS TRÊS PONTOS. MAS NÃO SEJA RETRANQUEIRO.