“Pedro sabia desde o início que não ia ser liberado”: dirigente abre o jogo sobre convocação olímpica

FOTO: ALEXANDRE VIDAL / FLAMENGO

Flamengo, Pedro e CBF estiveram em conflito nas últimas semanas, por conta da convocação da Seleção às Olímpiadas de Tóquio. O jogador, inclusive, chegou a demonstrar o desejo e pediu para o Rubro-Negro liberá-lo para ir ao Japão, mas o clube recusou. Marcos Braz, no entanto, abriu o jogo sobre a situação envolvendo o centroavante.

Vice-presidente de futebol, Marcos Braz fez questão de apaziguar os ânimos, para não pôr mais polêmica em cima do assunto. Sendo assim, o dirigente tratou de minimizar o fato de o Flamengo não ter liberado Pedro para as Olímpiadas. Braz ainda disse enxergar a situação com naturalidade, pois o atacante sempre soube, desde o início, da decisão do clube.


Quem será o próximo a perder para o Mengão? Saiba como lucrar com previsões esportivas!


O Pedro, diferente do que alguns disseram, sabe desde o início que não ia ser liberado. As coisas tem que ser tratadas com mais naturalidade, menos conflito e menos ‘mimimi’. Eu entendo os jornalistas que abordam os temas, mas temos que tratar isso com naturalidade para não impactar no dia a dia. O Pedro sabia desde a convocação que não seria liberado. Aqui no Flamengo, a gente trata as coisas com transparência -, disse o dirigente, em entrevista ao jornalista Gabriel Reis.

Logo após a convocação de Pedro, o Flamengo entrou no Superior Tribunal de Justiça Desportiva para pedir a liberação do centroavante. Na quarta-feira (30), o STJD concedeu liminar favorável ao Rubro-Negro, permitindo assim que o camisa 21 entre em campo pelo clube carioca, ficando então, definitivamente, de fora da lista de selecionáveis para os Jogos Olímpicos.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *