“Pensamento do grupo era de não perder o treinador”, revela Mauricinho após Flamengo demitir Ceni

FOTO: MARCELO CORTES/FLAMENGO

Os últimos dias do Flamengo foram agitados nos bastidores. Após a derrota para o Atlético-MG na última rodada do Brasileirão, o clube entrou em uma pequena crise com alguns vazamentos, o que gerou um clima tenso e, por fim, a demissão de Rogério Ceni. Em meio a isso, o Rubro-Negro venceu a Chapecoense por 2 a 1, no Maracanã, e Maurício Souza abriu o jogo.

Em entrevista coletiva após a vitória, Mauricinho foi questionado se as circunstâncias do clube durante a preparação para o duelo com a Chapecoense não teriam atrapalhado a concentração para a partida. No entanto, o técnico negou a influência, exaltou o grupo e revelou o pensamento dos jogadores com a demissão de Rogério Ceni.

– É um grupo experiente. A mudança de técnico no Brasil, infelizmente, é constante, mas não pode achar que não é traumático. O Rogério tinha uma boa relação com o grupo e o pensamento do grupo era de não perder o treinador. Mas eu considero o grupo muito experiente, eles são profissionais e sabem da responsabilidade – antes de completar:


Quem será o próximo a perder para o Mengão? Saiba como lucrar com previsões esportivas!


– Jogamos contra um adversário, que apesar de não estar bem colocado, vem vendendo caro todas as derrotas. Com a gente não foi diferente, a gente teve que lutar muito para conseguir a vitória – finalizou em entrevista coletiva.

Vale destacar que o Flamengo não demorou 24 horas para contratar um novo treinador. O escolhido, desta vez, foi Renato Gaúcho. O técnico será apresentado nesta segunda-feira (12), às 13h (horário de Brasília), no CT Ninho do Urubu. Logo em seguida, acontece o treinamento com foco total na Libertadores, contra o Defensa y Justicia, quarta (14), às 21h30 (horário de Brasília), no Estádio Norberto “Tito” Tomaghello.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • O grande problema do futebol brasileiro é a falto de apoio aos treinadores. Os diretores não assumem o papel de festores, principalmente em relação ao RH. O Ceni é um bom treinador, um cara sério, trabalhador e estudioso. Começou a ser fritado com chilique do Gabriel Barbosa ao ser substituído. Tinha que ser demitido na hora se eu fosse o Diretor. Como não teve respaldo o Gerson fez a mesma coisa e por fim o Pedro, que era um jogador que eu admirava, pois é mais inteligente, mais profissional e mais eficaz do que o marqueteiro mascarado conhecido como gabgol. Agora vamos ver o que o Renato vai arrumar.

  • Foi Ceni sair e começaram a vir a tona declarações dos jogadores mostrando que era mentira
    que o ex técnico tinha péssima relação com o elenco, na realidade, era o contrário, Ceni
    tinha excelente relacionamento com o elenco, e agora Mauricinho confirmou isso de vez,
    (o pensamento do grupo era de não perder o treinador). Mas, concordo que Ceni não podia
    continuar, ele começou a ser fritado quando Renato ficou desempregado e a torcida pediu a
    substituição, e o próprio Ceni ajudou, com escalações burras, (Bruno Viana contra o galo), e
    substituições erradas. Agora o desejo da torcida se realizou, Ceni é passado, e de boa parte
    da torcida também, Renato é o treinador, agora é incentivar e torcer pelo novo técnico.

  • Eu penso que o Ceni, não e o que aquele analista falou dele, não acredito de forma alguma que ele seja assim.
    Eu sou flamenguista, e sempre acompanhei os jogos do São Paulo por causa do Ceni, assim como acompanhava por causa do Raí e o Kaká.
    Mais no meu Flamengo como técnico o Ceni não deu certo, desejo tudo de bom para ele.