Recém-promovido no Flamengo, Maurício Souza entra na mira do Botafogo

FOTO: ALEXANDRE VIDAL /FLAMENGO

Após demitir Marcelo Chamusca, o Botafogo está atrás de um novo técnico para a equipe profissional. O plano A da diretoria era Lisca, mas o ex-América-MG recusou o projeto. Agora, a cúpula mapeia o mercado e um dos nomes que interessa é Maurício Souza, atual auxiliar de Renato Gaúcho no Flamengo. A informação foi divulgada primeiramente pelo jornal “O Dia”.

Antes mesmo de Lisca declinar o convite, a diretoria do Botafogo já havia colocado o nome de Mauricinho em pauta. No entanto, a falta de experiência em uma equipe profissional pesou contra o ex-treinador do sub-20 do Rubro-Negro. A prioridade do Alvinegro é um profissional experiente, que consiga lidar bem com a pressão que o clube vive na Série B.

O principal motivo para o interesse do Botafogo em Maurício Souza é Eduardo Freeland. O atual diretor do Alvinegro trabalhou com o profissional nos tempos de Flamengo. Vale destacar que o presidente do clube de General Severiano, Durcesio Mello, também gosta da ideia de contar com Mauricinho. Contudo, a decisão será tomada em conjunto pela cúpula.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


Maurício Souza está no Mais Querido desde 2016, quando chegou ao clube para comandar a equipe sub-17. Após temporadas de sucesso treinando o sub-20 do Mengo, ele acabou promovido a auxiliar permanente do elenco principal com a chegada de Renato Gaúcho. Um ponto a ser destacado diante do interesse do Botafogo é que Mauricinho não tem multa rescisória prevista no contrato com o Rubro-Negro. O vínculo dele com o Fla é somente “CLT” e, com isso, o profissional não teria que pagar nenhuma quantia para quebrar o compromisso.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Duvido que ele toparia. Nada contra o clube Botafogo no quesito tradição, mas sua atual
    dificuldade de subsistência reduz muito as chances de projeções positivas em qualquer
    planejamento de evolução do time e consequentemente da carreira. O novo cargo seria
    um passo acima na carreira, lógico. Mas o risco de queda logo nesse primeiro voo,
    é muito alto e poderia representar um retrocesso antes do alcance de uma oportunidade
    mais segura. Principalmente sabendo que o Flamengo não poderá contratar outro técnico
    nessa temporada. Se o Renato não der jeito, o jeito pode ser por o comando nas mão do
    Maurício, e aí, a probabilidade do salto na carreira será bem maior e com menos risco.