Flamengo tem crescimento de sócios-torcedores após classificação à final da Libertadores

FOTO: REPRODUÇÃO

O Flamengo chegou à final da Libertadores, depois de despachar o Barcelona de Guayaquil (4 a 0 no agregado). Com isso, o clube está na segunda decisão do torneio continental nos últimos três anos e vai enfrentar o Palmeiras. Dessa forma, com a confirmação desse jogo, houve um aumento de sócios-torcedores para o Mais Querido, que registrou 5,5 mil adesões.


Aproveite a boa fase do Flamengo para lucrar!


Com a pandemia da Covid-19, aconteceu a proibição da torcida nos estádios e uma baixa considerável no número de sócios. O Flamengo ficou com 50 mil adeptos, pois um dos principais atrativos é o Maracanã e, sem ele, houve muitos cancelamentos de planos. No dia da semifinal da Copa Libertadores contra o Barcelona de Guayaquil, o Mengo tinha 59 mil sócios e, na última terça-feira (05), somava 64.624 membros.

O Mengão já estava em um crescimento por causa da volta da Nação ao Maracanã. Aliás, o time jogou três partidas no mês de setembro depois de conseguir liberação da Prefeitura do Rio de Janeiro e teve um protocolo sanitário elogiado. Contudo, a decisão da Libertadores trouxe benefícios também para o Palmeiras, o clube contou com um aumento de cerca de 2,5 mil. Vale lembrar que cada equipe terá 25% de ingressos disponíveis para a final em Montevidéu, no Uruguai.

A decisão da torneio continental é no dia 27 de novembro, enquanto isso, o Flamengo vira a chave e foca no Campeonato Brasileiro. Nesta quarta-feira (06), o Mais Querido enfrenta o Bragantino, às 20h30 (horário de Brasília), no Estádio Nabi Abi Chedid. O Mengo ocupa a terceira colocação na tabela, com 38 pontos, e o Braga está em sexto lugar, com 34. A transmissão mais rubro-negra da internet, você encontra no Coluna Do Fla, via Youtube.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Com a torcida gigantesca que o Mengão tem, o número de sócios-torcedores do clube é irrisório. Ao meu ver, o principal problema é justamente a direção do clube não levar em consideração que a maior parte da torcida rubro-negra mora fora do Rio de Janeiro, por isso o programa sócio-torcedor não deveria ser montado apenas para quem vive nesse estado. Quem não vive no Rio de Janeiro não está interessado em ser sócio para frequentar as dependências do clube nem mesmo para ter ingressos preferenciais no Maracanã nem para se envolver na política do Mengão. O torcedor off-Rio apenas quer ser sócio para ajudar o clube, por isso ele não deveria pagar quase o mesmo valor do torcedor que mora na cidade do Rio de Janeiro e pode ir ao Maracanã todo fim de semana e frequentar a sede do clube diariamente. Se o clube está se lançando para alçar voos maiores até em Portugal, seus dirigentes não podem manter a cabeça provinciana de que torcedor rubro-negro é apenas aquele que mora no Rio de Janeiro. Deveria haver um projeto no programa sócio-torcedor que atraísse cada vez mais pessoas de outros estados e de outros países para ajudar a agremiação esportiva a assumir o papel de único clube verdadeiramente nacional no Brasil.