Jayme relembra título da Copa do Brasil de 2013 e revela: “Me pediram só para não ser rebaixado”

FOTO: DIVULGAÇÃO

O Flamengo se reestruturou na última década para conseguir ter um padrão elevado nas finanças e buscar atletas acima da média. No entanto, no início desse processo, em 2013, o time era limitado e vivia uma ‘turbulência’. Naquela ocasião, Mano Menezes deixou o cargo depois de três meses e Jayme de Oliveira entrou no comando da equipe. Em entrevista ao Lance, o último treinador campeão da Copa do Brasil pelo Fla destacou alguns pontos daquela temporada.


Aproveite a boa fase do Flamengo para lucrar!


— Era um momento delicado, o Mano tinha acabado de pedir demissão. Eu tenho muita experiência no Flamengo, fui criado e trabalhei lá, mas ali era algo muito difícil, até porque estávamos beirando a zona do rebaixamento no Brasileiro. Quando eu assumi, o Bandeira e o Wallim (Vasconcelos, ex-VP) me pediram só para não cair para a Série B. Imagina o Flamengo caindo naquele projeto! Iria tudo por água abaixo. E tinha a Copa do Brasil, tínhamos passado pelo Cruzeiro (oitavas)… O início foi complicado, mas o mata-mata joga o seu time para cima -, recordou Jayme.

Na edição de 2013, o Flamengo foi campeão em cima do Athletico-PR, em um Maracanã lotado pela Nação rubro-negra. O apoio fez total diferença e mostrou a raça da equipe. Desta forma, o título foi conquistado depois de um empate em 1 a 1, na Arena da Baixada, e 2 a 0, no Rio de Janeiro. Além disso, o clube conseguiu escapar do rebaixamento naquele ano, terminando o Brasileirão em 16º lugar.

Em um cenário totalmente diferente de oito anos atrás, o Flamengo enfrenta o mesmo Athletico-PR. A segunda e decisiva partida acontece no Maracanã, às 21h30 (horário de Brasília). O Mais Querido quer continuar no caminho para conseguir o tetracampeonato da Copa do Brasil. Vale lembrar que no primeiro duelo, a partida terminou 2 a 2 , na Arena da Baixada.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Ainda bem que você sabe que não tem nada a ver o que você falou calado seria bem melhor.

  • O que vou falar não tem nada a ver com a reportagem. Mas tá muito estranho esse silêncio, da Conmebol, do Fla e da imprensa, quanto à venda dos ingressos pra final. Parece haver alguma maracutaia. Ontem “deveriam” ter sido abertas as vendas para o “publico em geral”, e nada. Muita gente ficou acordada a noite toda. Uma vergonha.