Vice Jurídico do Flamengo reforça infração cometida pelo Atlético-MG e cobra punição no STJD

FOTO: PEDRO SOUZA/ATLÉTICO-MG

O fim da 26ª rodada do Brasileirão esquentou ainda mais o clima na busca ao cobiçado título nacional. Isso porque, o Atlético-MG, líder momentâneo do torneio, culpou a arbitragem por não encontrar facilidade para vencer o Santos por 3 a 1, na última quarta-feira (13). Dirigentes do clube mineiro chegaram até desferir chutes na porta da sala do VAR e acusar os profissionais de ”ladrões”. A atitude foi questionada por Rodrigo Dunshee, vice-presidente geral e jurídico do Flamengo, que cobrou atitude do STJD.

O dirigente rubro-negro utilizou as redes sociais para esclarecer quais tipos de punições podem – e devem – ser aplicadas em casos como o do Atlético-MG. Ainda segundo Dunshee, o clube mandante é responsável por proporcionar a devida segurança aos profissionais de arbitragem durante uma partida.

“Quando o clube mandante não proporciona segurança para o trabalho da arbitragem, quando invadem ou tentam invadir a sala onde se pratica a arbitragem por vídeo, a consequência só pode ser uma: perda do mando de campo e punição severa dos invasores/agressores. Vamos aguardar o STJD”, escreveu Rodrigo Dunshee de Abranches.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


Rodrigo Caetano, diretor de futebol do Alvinegro e responsável por chutar a porta da sala do VAR, ainda cutucou o passado entre o clube mineiro e o Flamengo: “Precisou ter quatro pênaltis para que dois fossem marcados. Queremos só ter critério, defendemos o VAR sempre. Se existisse VAR nas décadas de 70 e 80, o Atlético teria outros títulos na sua coleção”, disse.

Enquanto o Atlético-MG briga pelo segundo título nacional da história, que por sinal não vence há quase 50 anos, o Flamengo segue na cola em busca do nono de sua história – e o terceiro consecutivo do atual elenco. São 11 pontos que separam as equipes, sendo que o Mais Querido ainda tem dois jogos adiados por disputar e o confronto direto com os mineiros.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Os dirigentes dos outros clubes ficaram anos acostumados a fazer bravatas na mídia contra o Flamengo e ficar por isso mesmo, mas a nossa diretoria atual faz questão de responder à altura, publicamente e juridicamente. E tem que ser assim mesmo, não pode deixar passar nenhuma declaração caluniosa desses canalhas.

  • Os atleticanos do Galo estão desesperados, pois, nem a data Fifa conseguiu tirar o Mengão do páreo. É muita apelação em jogo.

  • Ao jurídico do Flamengo pedimos para não aceitar as regras do atual Edital do Maracanã que obriga uma parceria indesejada ao exigir um número anual de jogos impossível de ser obtido por um só clube. O FLAMENGO NAO PRECISA ACEITAR ESSA CONDIÇÃO. Basta largar de mão, quero ver o Maracanã se sustentar sem o Flamengo. PAGUEM PRA VER. Em um ano o Maracanã naufraga com esses 2 interessados (de quebra ainda vai ajudar a ferrar ainda mais a concorrência) e virão bater a nossa porta.

  • O dirigente do Galo foi chutar a porta do VAR, deveria era ter batido palmas para o juiz, ai sim seria punido!