Goiás é punido por não pagar parcela em transferência de Michael

Negociação do atleta entre Esmeraldino e Goianésia não foi paga, fato que resultou na punição


Em 2021, Michael teve a melhor temporada da carreira pelo Flamengo. Após um 2020 complicado, o atacante se encontrou na jornada, especialmente desde a chegada de Renato Gaúcho, e foi um dos artilheiros do Mengão no ano. Apesar das boas, o extremo está envolvido em uma polêmica com seu ex-clube, o Goiás. Isso porque, o Esmeraldino não pagou as parcelas da compra do camisa 19 junto ao Goianésia. Por isso, a equipe do Centro-Oeste foi punida e não pode registrar atletas por seis meses.

A Câmara Nacional de Resolução de Disputas (CNRD) divulgou a punição na última sexta-feira (17). No requerimento, o órgão afirma que o Goiás não pagou as últimas parcelas da compra de Michael, no valor de R$ 719.698,32 em seis de dezembro, conforme determinado em contrato. Vale destacar que a sanção pode ser quebrada, caso o Esmeraldino quite a dívida com o Goianésia. A informação é do portal ‘Lei em Campo’.

CONFIRA TRECHO DA DECISÃO:

“… aplica-se ao Goiás a sanção de proibição de registro de novos atletas por seis meses por violação ao art.64 do RNRTAF, na forma dos arts. 64, § 3º, do RNRTAF e art. 42, § 1º, II, c/c art.40, § 3º, III, do RCNRD e em linha com a Ordem Processual nº4. A CNRD esclarece que pode considerar a possibilidade de suspender condicionalmente os efeitos das sanções aqui mencionados se o Goiás provar o pagamento do valor incontroverso ao Goianésia ou apresentar plano de parcelamento da dívida, na forma do art. 42, §§ 4º e 6º, do RCNRD”


Aproveite a boa fase do Flamengo para lucrar!


Para entender o caso, é preciso retornar ao momento da transferência de Michael para o Flamengo. Em 2020, o Rubro-Negro contratou o atacante por cerca de R$ 40 milhões e, nas tratativas, o Goianésia vendeu 5% dos direitos econômicos do jogador. No entanto, a equipe não recebeu o dinheiro da última de três parcelas, cada uma de cerca de 500 mil euros e, por isso, acionou a CNRD.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *