Comprometimento de jogadores chama atenção de Paulo Sousa em primeira semana no Flamengo

Realizando mudanças nos horários e nas diretrizes, o técnico foi ‘respondido’ com trabalho e empenho

O técnico Paulo Sousa teve sua primeira semana de trabalho no Flamengo encerrada no último sábado (15). Ainda sem jogos marcados, o português aproveitou o tempo para ajustes não só em campo, mas também no dia-a-dia de treino e organização do Ninho do Urubu, e a ideia parece ter dado certo.

Após uma semana com treinos intensos de segunda-feira a sábado, o técnico demonstrou satisfação com o interesse e o desempenho dos atletas nas atividades propostas. A relação entre staff do treinador e elenco também tem sido positiva, com respeito e colaboração mútua ao longo das atividades.

O bom comportamento do plantel do Flamengo, aliás, não é novidade. Ainda em 2019, o técnico Jorge Jesus rasgou elogios aos atletas não só pela qualidade técnica, mas também pelo comprometimento: “Este foi o melhor grupo que peguei na minha vida como treinador”, chegou a dizer em entrevista à ‘RTP’, de Portugal.


Quer comprar produtos do Flamengo pela internet? Conheça a loja mais rápida e segura!


A sequência do trabalho de Paulo Sousa

Ainda sem data para estrear, Paulo Sousa volta a comandar treino no Ninho do Urubu nesta segunda-feira (17). A atividade, aliás, será em tempo integral (às 8h e às 15h). É importante frisar que o primeiro jogo do Fla na temporada acontecerá no próximo dia 26, contra a Portuguesa, pela estreia do Campeonato Carioca, contudo, nesta partida, entrará em campo uma equipe alternativa.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Fernando, concordo com quase tudo, exceto alguns detalhes: Diego Ribas tem que ficar! Se Arrascaeta e Éverton saírem (por convocação), ele é o único meia disponível para a substituição imediata. Quanto aos laterais (Rodinei e Renê), ruim com eles, pior sem eles! Quanto os desfalques por convocação, não tem jeito se desejamos ter um elenco de ponta, pois isto vai acontecer frequentemente.

  • Penso que o foco será em posições em que o Flamengo se ressente (na verdade, quase todas), na falta dos titulares, por estes não poderem enfrentar toda a temporada. É o caso do gol (se o vento muda, Diego Alves se machuca), na lateral esquerda (Filipe Luís, com quase 37 anos, não vai jogar todos os jogos, Renê é fraco e Ramón pode ser vendido), a direita (Isla sendo convocado toda hora, ficando somente Matheuzinho, pq Rodinei é uma piada), o miolo da zaga (Rodrigo Caio vive lesionado, David Luiz também, Noga ainda é bastante jovem e Gustavo Henrique e Léo Pereira não inspiram a menor confiança), o meio-campo (Éverton Ribeiro e Arrascaeta estão sendo convocados o tempo todo), o ataque (algum jogador que execute as mesmas funções de Gabigol, que tb tende a ser convocado toda hora), e as pontas (possível saída de Michael). As posições mais bem servidas são as de 1º e 2º Volantes, que tem gente boa até demais.
    Com a chegada do Andreas e a aquisição de Thiago Maia, Diego ficou sem ter onde jogar, e pode até sair pq tb já está com quase 37 anos. Vitinho não pode ser “grande promessa” a vida toda. Ou vai agora ou nunca mais. Se Michael sair, ficamos apenas com BH27 pra jogar pelas pontas. E vamos ver o coelho que o novo Mister vai tirar da cartola, pra poder encaixar Pedro e Gabigol no time.
    Lembro da época da Copa de 1970, que diziam que Rivelino não tinha vaga no time, que Pelé e Tostão não podiam jogar juntos, etc… Na realidade era uma Seleção com 5 “Camisas 10” natos (Pelé, Tostão, Rivelino, Jairzinho e Gérson), jogando na mesma faixa do campo, e Zagallo conseguiu encaixar todos eles. Jair virou ponta direita, Rivelino o “terceiro homem” pela esquerda, Tostão virou centroavante e Pelé virou um meia-atacante. O único “camisa 10” de ofício que ficou na posição clássica foi Gérson, mas que constantemente tb invadia a área, como no segundo gol da decisão contra a Itália. Com seus lançamentos, cansou de colocar Pelé, Tostão e Jairzinho na cara do gol.
    Sendo assim, dá pra Pedro e Gabigol jogarem juntos, vai depender da competência do novo Mister em conseguir encaixar 2 “camisas 9”, assim como Zagallo a teve no passado, ao encaixar 5 “camisas 10” no mesmo time.

  • Se Paulo Sousa fechou tudo, como sabem que o comportamento dos jogadores chamou atenção dele?

  • Estou muito otimista com o Flamengo 2022. Acho que poderemos voltar ao patamar de 2019 tranquilamente e em melhores condições. O grupo de 2019 envelheceu, mas depois de 2019, chegaram jogadores novos como o Pedro, Michael, Thiago Maia e o Andreas, além da subida do Matheuzinho, do João Gomes, Ramon e o Hugo. E acho que o PS vai tirar o melhor desse Flamengo atual, com sua competente comissão técnica. SRN