Maurício Souza revela detalhes sobre saída do Flamengo

Ex-membro da comissão técnica permanente afirmou que Paulo Sousa esteve ‘irredutível’ e confessou surpresa por demissão


No último fim de semana, uma notícia pegou a torcida do Flamengo desprevenida. Isso porque, após a contratação de Paulo Sousa, o Mais Querido demitiu o membro da comissão técnica permanente do clube, Maurício Souza. O auxiliar em boa parte das temporadas anteriores concedeu entrevista ao repórter Renan Moura, da Rádio Globo, e confirmou que foi justamente o português que pediu sua saída do Rubro-Negro.

Quando eu voltei, pedi uma reunião com o Bruno Spindel perguntando como ficaria a minha situação. Ele me pediu para aguardar e, em seguida, me chamou para a sala. Spindel me contou que teve algumas conversas com Paulo Sousa e que ele (o português) estava irredutível quanto a comissão dele. Ele não queria ninguém de uma parte do clube na comissão, essas foram as palavras do Spindel. Eu aceitei numa boa, me levantei e fui embora. Como falei, é um ciclo que se encerra, que me pegou de surpresa, não esperava isso – disse o ex-auxiliar do Flamengo.

Além de comentar sobre a atitude de Paulo Sousa, que o preteriu, o ex-membro da comissão técnica permanente do clube revelou surpresa com a demissão. Mesmo assim, jamais perdeu a postura e fez diversos agradecimentos ao Mais Querido na entrevista. Ao todo, Mauricinho comandou o Flamengo em 15 jogos e teve excelente aproveitamento, visto que acumulou dez vitórias.


Aproveite a boa fase do Flamengo para lucrar!


Vale destacar que uma das razões que fizeram com que o Flamengo contratasse o treinador português foi justamente a comissão técnica completa. Paulo Sousa chegou ao Brasil junto de seis auxiliares, preparadores físicos e treinadores de goleiros. Dessa forma, é natural que a diretoria rubro-negra opte por bancar as escolhas do novo comandante, ainda mais neste início de trabalho.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Coisas da vida, apenas isso. Num ambiente altamente contaminado e competitivo como o futebol, ninguém quer dar mole, ninguém quer dar asas à “cobras” que possam minar seu trabalho. Mauricinho tem grande futuro, e não vai ficar desempregado por muito tempo, e no futuro ainda pode retornar, mas esse momento é do Paulo Sousa, evidentemente. Tem seu staff de confiança e não quer interferências externas.
    O Flamengo é uzeiro e vezeiro nessas manobras, lembro bem da época em que o Dr. José Luiz Runco foi dispensado em 2015, depois de 34 anos de Flamengo, para que assumisse o DM justamente o Dr. Márcio Tannure. O Dr. Runco tb saiu falando cobras e lagartos da diretoria da época, do presidente Eduardo Bandeira de Mello, e tb detonando o Dr. Tannure, por conta, dentre outras coisas, da cirurgia no tornozelo do meia Ederson, e tb da demora na sua recuperação (ficou mais de 1 ano parado). O “Fera” tb foi dispensado por avaliar mal a chegada do Mister JJ, e talvez querendo agradá-lo (falando mal do Abelão) acabou perdendo o emprego, Paulo Sousa não quis correr riscos desnecessários.
    Só o futuro dirá se a demissão do Mauricinho foi uma medida acertada. No mais, são apenas coisas da vida.

  • Triste, mas fazer o quê, né. Inclusive, um analista de desempenho do Flamengo foi demitido justamente por criticar o trabalho do Rogério Ceni.

  • O Paulo Sousa assim como o Jorge Jesus não aceitou um auxiliar técnico do clube provavelmente pela fama que o Flamengo construiu ao longo desses anos de que funcionários no caso auxiliares e outros setores causavam constantes derrubadas de treinadores.
    Um caso recente que aconteceu e pegou mal foi quando o Abel Braga foi demitido do clube e o Marcelo Fera ficou provisoriamente no cargo e após 4 jogos onde conquistou 3 vitórias e 1 empate o interino foi a público fazer criticas ao Abel causando assim suspeitas de que agia contra o trabalho do ex treinador, fato esse que com certeza contribuiu e muito para criar resistências quanto a sua contratação por outros clubes.

  • Acredito que o Maurício era um excelente técnico para o sub 20, nos profissionais é difícil avaliar como auxiliar mas parecia que agregava pouco. Talvez o Flamengo pudesse fazer um “empréstimo” dele para outro clube interessado, ou até ter bancado um plano de carreira em que nesse momento o Maurício participaria de cursos para capacitação. Mas entendo que esse pensamento não é muito popular no Brasil.

  • É parece uma crueldade mas é uma coisa lógica
    O Clube não tinha para onde remanejar ele é mister Paulo Sousa já trouxe dois auxiliares com ele não ia ficar com três

  • É legítimo o treinador novo não aceitar ninguém na comissão técnica dele, mas o Flamengo precisa de um espião infiltrado na gávea e entender o que pode ser aproveitado na saída do técnico.