“Uma zona inacreditável”: Tabet relembra época que assumiu vice-presidência de comunicação do Flamengo

Conhecido pelo trabalho à frente do ‘Porta dos Fundos’ e também do ‘Kibe Louco’, Antônio Tabet foi vice-presidente de comunicação do Flamengo entre 2015 e 2018. Em entrevista ao programa ‘Dividida’, do Uol Esporte, apresentado por Mauro Cezar Pereira, o humorista falou sobre a época que assumiu a pasta.

Quando eu cheguei no Flamengo, a comunicação do Flamengo estava uma zona. Uma zona inacreditável, as prioridades eram completamente outras e isso não era culpa dos funcionários que lá estavam. Era um ciclo vicioso, resquício ainda daquele Flamengo do passado que, infelizmente, não tinha sido mudado pelo vice-presidente que lá estava e que agora está lá de novo -, disse, antes de completar:

As prioridades eram falar com uma determinada rádio do Rio de Janeiro. As redes sociais… ninguém olhava para as redes sociais do Flamengo, o canal do Flamengo no YouTube era vergonhoso, um canal de iniciantes em uma faculdade era melhor. Eu fiz um trabalho de RH praticamente, eu cheguei no Flamengo, sentei com cada um dos funcionários, do estagiário ao gerente da área e falei assim ‘o que você quer fazer? Você está no lugar certo? Você está fazendo a coisa que você gosta?’ e eu percebi que estava todo mundo no lugar errado -, concluiu.


Quem será o próximo a perder para o Mengão? Saiba como lucrar com previsões esportivas!


Vale ressaltar que, na época de Tabet, o Flamengo viu suas redes sociais e canal oficial do YouTube crescerem exponencialmente. O humorista, rubro-negro declarado, herdou o amor pelo Clube da Gávea ainda na infância. Na época em que comandou a vice-presidência de comunicação do Fla, o Mais Querido adotou uma postura mais debochada e divertida.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Ele foi muito bem no seu mandato. É perceptível que já se começou a se perder estes “ganhos”. Trabalho bem feito que não é dado continuidade ou que a filosofia é a de “quem estiver no momento” é caminho sem rumo.