Flamengo pode lucrar mais de R$ 12 milhões com vendas de Paquetá e Samir

Jogadores, agora, atuam pelo futebol inglês e mexicano, respectivamente


O Flamengo fez uma grande janela de transferências em 2022. Por sua vez, ao redor do mundo, outros clubes também aproveitaram para adquirir reforços e, inclusive, acabaram beneficiando indiretamente os cofres do Mais Querido. Isso porque, uma cláusula da FIFA garante que os times onde os jogadores foram formados recebam uma parte das transações, como será o caso do Rubro-Negro com a venda de Paquetá e Samir.

O benefício do Flamengo acontece pois a FIFA estabeleceu uma regra que determina que os clubes formadores dos jogadores recebem uma parte de todo lucro envolvido nas transações, chamado de ‘Mecanismo de Solidariedade’. Assim, o Mais Querido pode receber até 2,3 milhões de euros (cerca de R$ 11,5 milhões, na cotação atual) na venda de Paquetá para o West Ham (ING) e outros R$ 850 mil na transferência de Samir ao Tigres (MEX).

Saiba como ganhar dinheiro com jogos de futebol!

Vale ressaltar que a cláusula da FIFA garante o percentual de 4% aos times formadores, entretanto, esse valor é reduzido a cada revenda dos jogadores. Por esse motivo, o Flamengo ganhará aproximadamente 3,87% pela venda de Paquetá ao clube inglês e 2,5% pela de Samir.

Paquetá estava atuando, desde 2020, pelo Lyon, da França, e foi anunciado oficialmente pelo West Ham nesta segunda-feira (29). O negócio entre o clube francês e o time inglês foi fechado em 61,63 milhões de euros (aproximadamente R$ 310,69 milhões, na cotação de hoje), incluindo 18,68 milhões de euros (R$ 94,17 milhões) em bônus distribuídos ao longo do contrato de cinco anos.

Por sua vez, Samir estava atuando pela Udinese (ITA) e foi vendido ao Tigres, do México. O atleta foi comprado por 6,5 milhões de euros (cerca de R$ 34,1 milhões, na cotação atual). Tanto o zagueiro quanto Paquetá são Crias do Ninho e se formaram na base rubro-negra. O atual jogador do clube mexicano deixou o Fla em 2015, enquanto o meio campista saiu em 2018.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *