Comentarista da ESPN compara Flamengo com pessoa desempregada e endividada.

Derrota do Flamengo para o Audax. Torcida insatisfeita, claro. Imprensa repercute. No estádio, vaias e protestos, esses sabe-se lá se de torcedores realmente preocupados com o time de futebol ou protagonizados por gente mais interessada na política do clube.
O torcedor não vai aguentar ­ diz alguém.
O Flamengo vive de vitórias ­ afirma outro.
A diretoria precisa contratar ­ acrescenta um ainda mais chegado às conclusões óbvias.
A torcida do Flamengo terá que aguentar. O clube foi asfixiado financeiramente. Não tem caixa. Não tem crédito. Não tem como montar um time à altura de uma hora para outra. Há rivais tradicionais em situação ainda pior, caso do Palmeiras, que terá pela frente uma Série B.
A única saída existente para os rubro-negros é a do trabalho com paciência, desde que os novos comandantes do clube sejam competentes. E honestos. Vai demorar, levará tempo e mais derrotas acontecerão. Não, meus caros, espernear não mudará isso.
O Flamengo de hoje é como aquele cara que ficou desempregado e, endividado, se vê obrigado a vender o carro. Passa a andar de ônibus e a comer todo dia um “PF”, o popular “prato feito”. Ele pode odiar aquilo, mas não tem opção. Até que reorganize sua vida. Se for capaz disso.
Fonte: Mauro Cezar Pereira

E aí Nação, o que vocês acharam? Comentem! Siga-nos também no Facebook!

Veja também