Flamengo fecha patrocínio de R$ 8 milhões com a TIM no basquete!

Se as coisas não vão bem no futebol, pelo menos nos esportes olímpicos o Flamengo tem o que comemorar. E muito. No final da última semana, o Rubro-negro fechou um patrocínio com a Tim de R$ 8 milhões por temporada para o basquete do clube. O acordo, inicialmente válido por um ano, será assinado nos próximos dias.

Com a entrada do montante, o clube irá colocar os salários do time campeão do NBB em dia e evitar uma greve que já se ensaiava. Sem receber regularmente desde junho, o elenco do basquete do clube da Gávea não escondia a insatisfação e ameaçava parar as atividades enquanto a situação não fosse resolvida.
O patrocínio da Tim é o primeiro conseguido pelo Flamengo através da Lei Federal de Incentivo ao Esporte – empresas financiam projetos esportivos em troca de incentivos fiscais do governo.
Após pagar mais de R$ 40 milhões em impostos desde o início do ano, o Flamengo obteve as CNDs (Certidões Negativas de Débito), o que viabilizou a aprovação destes projetos para captar recursos através das leis de incentivo.
Salários e prêmios atrasados
Com os R$ 8 milhões, que começarão a “cair” na conta do clube nos próximos dias, o Flamengo planeja colocar regularizar os salários de atletas e comissão técnica do basquete. Investimentos em contratações de jogadores de ponta só serão realizados a partir de dezembro, visando a temporada 2014.
Campeão do último campeonato do NBB (Novo Basquete Brasil), o elenco ainda não recebeu a premiação referente ao título. Além disso, o salário de junho não foi pago integralmente e os vencimentos de julho e agosto também não foram depositados.
Em junho, no último pagamento, os jogadores não receberam mais de R$ 10 mil. Quem tem vencimentos acima deste valor só irá receber o restante agora. Na comissão técnica, ocorreu o mesmo, mas com um “teto” de R$ 5 mil.
Por conta dos atrasos e indefinições, o grupo se reuniu e chegou a ficar duas semanas sem treinar com bola, como forma de protesto. Na última semana, nova manifestação por causa da falta de pagamento. Desta vez, porém, o vice-presidente de esportes olímpicos, Alexandre Póvoa, e o diretor executivo da área, Marcelo Vido, garantiram que um acordo estava prestes a ser fechado e tudo seria quitado. Com isso, o elenco retomou às atividades normais.

Fonte: UOL

Veja também