O que dizer de mais um Flamengo x Vasco decidido pela arbitragem?

E agora?
O que dizer de um campeonato decidido com um gol ilegal, já nos descontos?
Ponham-se no meu lugar: O que dizer de mais um clássico entre Flamengo e Vasco decidido no erro da arbitragem?
Mais, até: o que dizer de uma final entre Flamengo e Vasco decidida na arbitragem e com o equívoco sempre a favor do Flamengo?
Sei que é difícil para os torcedores dos dois times aceitarem a constatação: os que vencem, por mera paixão; os que perdem, por indignação.
Mas os erros existem e como ocorrem de forma sistemática deixam de ser meros equívocos.
Pior para o esporte e deprimente para uma sociedade que festeja o sórdido jogo sujo, com o pobre argumento de que se trata apenas de um jogo de futebol…
FLAMENGO ESTRATÉGICO
Em campo, Jayme de Almeida fez o que tinha de ser feito: linha de quatro defensores formada por jogadores experientes, dois volantes de contenção, dois meias de boa saída pelas laterais como Luís Antônio e Éverton, e dois atacantes _ um velocista, o outro de boa recomposição.
Jogadores desgastados física e mentalmente, diretoria pressionada e clube em ebulição política.
Time não produziu, mas como o Flamengo precisava só do empate, e como o Vasco é também de mais transpiração do que inspiração, Jayme deu a posse de bola e defendeu a vantagem.
Nada mais.
Sofreu o gol num pênalti de Erazo em Pedro Ken, bem cobrado por Douglas a 15m do fim, e foi atrás do empate com Gabriel e Nixon, que talvez pudessem ter entrado antes.
O gol de Márcio Araújo, em posição irregular, foi mero acaso.
Mas foi validado!
VASCO HERÓICO.
Adílson Batista, por sua vez, já sabia que a missão não seria fácil, ainda que o Vasco tivesse força total: o Flamengo fez ótima campanha na primeira fase do Estadual, venceu com folga a Taça Guanabara e perdeu apenas uma partida em toda competição _ clássico contra o Fluminense.
Imaginem enfrentá-lo sem os atacantes titulares.
E precisando vencê-lo!
Pois o Vasco foi à luta com Bárbio e Thales…
E, a meu juízo, saiu vitorioso.
Não ficou com o título porque o auxiliar de linha a serviço da Federação não quis cumprir a regra.
Impedimento semelhante ao gol do Vasco anulado na final da Taça Guanabara de 2013, contra o Botafogo.
Lá, marcado com olho clínico.
Aqui, ignorado por puro prazer.
Paciência…
NO MAIS . Parabéns ao Flamengo pela conquistado do 33º título estadual…
Fonte: Blog do Gilmar Ferreira

Veja também