Após jogo, jogadores de Fla e Shakhtar ficam na resenha.

Durante 90 minutos, cada um defendeu sua camisa. Mas assim que soou o apito final do empate em 0 a 0 entre Shakhtar e Flamengo, o que se viu foi uma verdadeira confraternização entre os brasileiros do time ucraniano e jogadores do Rubro-Negro. Ao invés de irem para os vestiários, muitos atletas ficaram por mais de 20 minutos pelos corredores do Mané Garrincha na famosa “resenha”.
– Mais do que o jogo, a rivalidade dentro de campo, é muito importante também essa amizade. Acabou o jogo, todo mundo é igual, tem família, amigos. A amizade sempre prevalece. Eu mesmo tenho um grande amigo no Flamengo que é o Alecsandro, que jogou comigo no Atlético-MG – afirmou Bernard.
Além de Bernard, outros jogadores do Shakhtar como Taison, Fernando, Douglas Costa e Márcio Azevedo aproveitaram para colocar o papo em dia com amigos que atuam no Flamengo como Alecsandro, Anderson Pico, Márcio Araújo e Eduardo da Silva. Antes mesmo do amistoso, os atletas já tinham tido um breve reencontro durante treino na manhã deste domingo.
– O futebol nos proporciona isso. Foi muito bem encontrar todos que conhecia aqui do Brasil, o Eduardo (da Silva), que jogou com a gente lá na Ucrânia também. Fiquei muito feliz de encontrar todo mundo – disse Douglas Costa.
Revelado pelo Grêmio, o meia, que já está na Ucrânia há mais de cinco anos, ainda brincou com o resultado da partida.
– Nada melhor que o 0 a 0, que ninguém sai brigado com ninguém – concluiu Douglas Costa.
O próximo jogo do Shakhtar no Brasil será de mais reencontros para os brasileiros. O time ucraniano enfrenta o Atlético-MG, na quarta-feira, em Belo Horizonte.

Fonte: GE