Fla aposta em cortejo a chineses e paciência por Montillo.

Não chegou a ser surpresa. O Flamengo já esperava uma negativa do Shandong Luneng pela investida em Montillo. Mas não chega, também, a dar o caso como perdido depois de ouvir dos chineses que não há interesse na negociação do meia. O assunto veio à baila no jogo-treino do Shandong com o Bangu, nesta quarta-feira, na Gávea. Em banho-maria, o Flamengo cozinha o interesse para tentar saborear o seu grande reforço como prato principal em breve.
A tarefa, sabia-se desde início, não seria de fácil concretização. Montillo, aos 30 anos, foi contratado a peso de ouro pelo Shandong e tem ainda acordo válido por mais duas temporadas. A postura dura é conhecida desde ano passado, na primeira investida. Negativa, claro. Nesta vez, novo contato, oferta por empréstimo. E mais um jogo duro. Por isso, o Flamengo opta pelo papo longo, com cortejo aos chineses e também a vontade do jogador.
Montillo já se posicionou publicamente a favor do Flamengo diversas vezes. Deseja melhores condições de educação e médica para os filhos. Para isso aceitou uma redução drástica do salário, de quase 50%. Mas sabe que no jogo de esticar a corda, o momento é de um recuo estratégico. Por isso, acompanhou calado a movimentação na quarta-feira na Gávea. Enquanto o argentino e seus companheiros encaravam o Bangu em campo, o presidente do clube, Eduardo Bandeira de Mello, e o vice de futebol, Alexandre Wrobel, encontravam dirigentes chineses à beira do gramado. Boa vizinhança de olho no futuro.
Os rubro-negros presentearam os chineses com camisas personalizadas. A relação cordial vem sendo costurada há algum tempo. O clube de Montillo utilizou o Ninho do Urubu para treinamento nesta semana e a Gávea para o jogo-treino. A esperança é de uma nova conversa até o fim da estada do Shandong pelo Brasil, no início de fevereiro. A possibilidade de prorrogar o contrato do argentino no mesmo prazo do empréstimo ao Brasil, em 18 meses, é um dos caminhos pensados para facilitar a saída atualmente.
O Shandong Luneng, no entanto, mostra-se duro na queda, ainda que tenha mais estrangeiros do que o permitido no elenco após adquirir Diego Tardelli, ex-Atlético-MG. Entre afagos, o Flamengo mantém a esperança de que a vontade de Montillo de retornar para a América do Sul prevaleça. E que a camisa 10, enfim, volte a ser utilizada. Com a bênção chinesa.

Fonte: ESPN