Flamengo e Montillo se juntam para convencer o Shandong.

O “não” já é certo há dias, mas o Flamengo segue tentando o “sim” do Shandong Luneng para ter Montillo. Pouca coisa mudou depois que os dirigentes rubro-negros receberam os chineses com delicadeza na Gávea, e os presentearam antes de um jogo-treino com o Bangu, na última quarta-feira.
A postura de manter a elegância e evitar um assédio imediato no primeiro contato se transformou em uma ação silenciosa por parte da diretoria do Flamengo. Na outra ponta, o agente do argentino, Sergio Irrigotia, chegou ao Rio para tratar pessoalmente do assunto e disse que de hoje a decisão não passaria. O Flamengo, por sua vez, não tem pressa.
O presidente do clube chinês, que não apareceu na Gávea, também já está na cidade para acompanhar a delegação e o último capítulo é aguardado, embora o final feliz seja ainda remoto.
Há na Gávea quem esteja pessimista e já dando o desfecho como impossível. Porém, alguns dirigentes com mais sangue frio sabem que o papel de franco atirador permite esperar até o último dia. Ou até esperar o meio do ano, quando uma nova janela de transferências se abriria.
Ontem, Montillo treinou com o Shandong no CFZ e tietou o ídolo rubro-negro Zico. Mais uma vez, um sinal de que quer vir para o Flamengo. As declarações públicas, por ora, cessaram e seu empresário ficará responsável por forçar mais um pouco.
O Flamengo chegou a cogitar internamente a possibilidade de envolver algum jogador na negociação, mas apenas mediante a abertura de diálogo dos chineses, que até agora não aconteceu.
Ciente da dificuldade da tarefa, a diretoria ainda não desistiu de Jadson, do Corinthians, e mantém conversas por Cícero, do Fluminense.

Fonte: Extra Globo