Luxa explica posição de Cirino, e analisa Arthur e amistoso.

LuxemburgoO Flamengo fecha sua pré-temporada em Atibaia nesta sexta-feira, já que no sábado viaja para Brasília a fim de se preparar para o amistoso com o Shakhtar Donetsk-UCR. O saldo do período no interior de São Paulo foi positivo, na opinião de Vanderlei Luxemburgo. O treinador acredita que a equipe ainda pode mostrar muito mais do que apresentou, principalmente no jogo-treino contra o RB Brasil-SP, que terminou empatado por 1 a 1, mas diz que o foco durante esses dias na verdade foi a preparação física, por isso não está preocupado.

– Coisas boas aconteceram, mas a produtividade foi muito aquém do que eu acho que pode produzir – disse na coletiva de imprensa após o treino da manhã.

A principal novidade apresentada por Luxa na pré-temporada foi o trio de ataque com Everton e Gabriel nas pontas, e Marcelo Cirino jogando um pouco mais centralizado. Eduardo da Silva, por sua vez, atuou mais recuado na função de meia. Em sua apresentação oficial, Cirino disse que gostava de jogar mais pelos lados do campo e ainda não mostrou boa pontaria nos treinamentos. Mesmo assim, o técnico acredita que o ex-jogador do Atlético-PR tem muito potencial para crescer nessa nova função.

– A função do técnico é ver o potencial do atleta e fazer com que ele renda ainda mais. Pelo grande jogador que é, acho desperdício ter o Marcelo longe do gol. Tenho que aproveitar o potencial que ele tem de velocidade, mudança de direção, finalização. Tem potencial para isso.

Luxemburgo afirmou também que ainda é muito cedo para avaliar os reforços, que não vê Arthur Maia com as mesmas funções de um clássico camisa 10, e que a meta para 2015 é brigar sempre na parte de cima da tabela. A seguir, veja a entrevista do treinador por tópicos:

Pré-temporada

– Foi uma pré-temporada boa, bastante produtiva. Aproveitamos bem os dias. Demos a base para entrarmos no campeonato em uma boa condição. A ideia é continuar mesmo tendo jogos, trabalhando a parte física forte em Brasília, Manaus e no início do Estadual. Reivindicamos por muitos anos que tivéssemos tempo para preparar uma equipe. Agora, é hora de pré-temporada inteligente, que dê recursos ao clube e nos dê uma base.

Rendimento da equipe

– Em termos de jogo, não foi o rendimento que a gente queria, mas já evoluiu muito. Quero um ataque como pede o futebol hoje, com equilíbrio entre os setores e velocidade muito grande.

Posicionamento de Marcelo Cirino

– Esse vai ser um questionamento o tempo todo, assim que funciona. Até o que dia que der certo. É uma discussão de que ele jogava em um lugar e eu estou colocando em outro. A função do técnico é ver o potencial do atleta e fazer com que ele renda ainda mais. Pelo grande jogador que é, acho desperdício ter o Marcelo longe do gol. Tenho que aproveitar o potencial que ele tem de velocidade, mudança de direção, finalização. Tem potencial para isso.

Reforços

– Temos que deixar para falar ao longo da temporada, é preciso sequência. Temos que deixar jogar e ver se vão ser aprovados.

Jogo-treino contra o RB

– Coisas boas aconteceram, mas a produtividade foi muito aquém do que eu acho que pode produzir.

Arthur Maia

– Arthur Maia é um limpador de frente, que serve como um terceiro atacante. Diria que é como o Wellington Nem, um jogador que se aproxima dos jogadores da frente para tentar um drible. É um jogador de condução de bola.

Performance do elenco

– Estamos trabalhando em cima de resistência, nossa preocupação é a base física. Não dá para ter um parâmetro do que foi bom. Vi jogadores com um potencial forte de crescimento.

Meta para 2015

– Nosso trabalho é para estar entre os cinco, seis primeiros da tabela. Confusão não tem esse ano.

Amistoso com o Shakhtar

– Acho que os centro de treinamentos do Brasil agora têm permitido que os europeus fujam da neve e venham para treinar no Brasil. Assim como os brasileiros podem ir para os Emirados, para Europa… É uma pré-temporada inteligente que dê condição de fazer um trabalho de preparação. Acho legal jogar com um time forte, como o Shakhtar. Vai ser legal.

Capitão e numeração fixa

– Não tem motivo para tirar o Léo de capitão. Sobre numeração, vai sair hoje. Vamos criar uma marca para o Paulo Victor. Por que tem que ser o número 1? Vamos criar algo com o marketing.

Montagem do elenco

– Nossa preocupação é com a versatilidade, ter caras como Eduardo, Márcio Araújo, que jogam em mais de uma posição. Paulinho joga pela direita e pela esquerda, Everton de atacante e lateral, Arthur Maia em várias posições. Não vamos ficar capengas como ficamos quando perdemos Gabriel e Alecsandro na Copa do Brasil.

Orientação em treinos

– Temos que ensinar o detalhezinho. O Arthur Maia tem que ter uma função de marcação também, não adianta só jogar com a bola nos pés.

Disputa na lateral esquerda

– Estou formando a equipe ainda, não está definido quem vai ser e como vai ser. Se eu pego o Pico com 98kg, consigo emagrecê-lo e ele vai bem… Aí ele se apresenta na pré-temporada com 3kg acima, mas bem abaixo do ano passado. Então, é um jogador que eu gosto, mas não está totalmente pronto. Coloquei para ele uma meta. Ele mostrou a cara. Só que para eu poder cobrar mais dele e que seja uma exigência do futebol mais efetivo para a conquista de títulos, preciso que dê mais alguma coisa. A meta é chegar aos 82kg, 83kg. Mas também não posso fazer com que perca o gostinho daquilo que apresentei para ele, que foi ter feito uma temporada menos gordo do que normalmente está (risos), e ele ter renovado o contrato por dois anos. Quero criar nele essa expectativa e também já dei a chance de mostrar um pouquinho a cara do Thallyson, que é um jogador que ninguém conhecia e está buscando seu espaço. É um trabalho que a gente faz de equipe, de motivação, e o Anderson está fazendo um esforço muito grande, o que é duro para a silhueta dele. Tenho que incentivá-lo. Ele tem que saber que não perdeu espaço comigo.

O amistoso entre Flamengo e Shakhtar ocorre neste domingo, no Mané Garrincha. Na sequência, a equipe viaja para Manaus, onde enfrentará Vasco e São Paulo nos dias 21 e 25, respectivamente, na Arena Amazônia. O retorno para o Rio de Janeiro acontece no dia 26, com a estreia no Carioca marcada para 31 de janeiro contra o Macaé, fora de casa.

Fonte: GE