Nunca haverá preço justo pro Carioca.

Teve um episódio dos Simpsons, se não me engano no ano de 1815, no qual Mestre Homer volta em uma loja para reclamar que os camarões do balde que comprara (bem barato) estavam estragados. Alguns segundos de negociações depois, Homer sai satisfeito da loja. Acabara de ganhar, sem custo adicional, mais um vistoso balde de camarões podres.
Lembrei disso enquanto ‘folheava’ páginas na Internet em busca de um tema qualquer. Vi alguns hilários trechos de matérias sobre a Casa da Mãe Joana que se formou entre a cartolagem na briga pra ver quem tem razão sobre os preços dos ingressos para o Carioqueta.
Na boa… Eu sei o que estou falando. Nutro por longos e longos anos o hábito nocivo e desprovido de justificativa de estar de corpo presente (e sempre reclamando) em TODAS as partidas do Flamengo no outrora charmoso e hoje falido campeonato.
Eurico, Federação, Smurfs, Turma do Contra e demais participantes da contenda: TÁ CARO PRA CACETE!!!!!
Sério. Você aí que tá lendo. Foi a alguma partida do Estadual de 2014? Digo… Uma partida representativa do que há de pior. Não vale, por exemplo, jogo no Maracanã. Ali, por mais horrendo que seja o nível técnico do adversário, a gente sempre tem a opção de dar aquela cochilada marota. Falo sobre os jogos de quatro da tarde, de preferência no meio da semana, em Madureira ou Bangu, por exemplo.
Ou então aqueles de dez-e-quando-o-big-brother-acabar em Macaé ou Volta Redonda. Teve um debaixo de chuva que o técnico (na época o Jayme) chamou os presentes todos, sem a menor cerimônia e coberto de razão, de malucos, sem família, e outros mimos.
Como que bota preço justo em um troço desses?
A Federação tá errada em cobrar (quanto é mesmo? Vinte e cinco?) e ainda dizer que tá barato. Os Smurfs estão quicando de putos e indo pra justiça pelo direito de cobrar mais caro. Sei lá quanto eles acham justo. Tenho até medo de perguntar. O resto dos clubes se dividiu de forma não muito meio a meio.
Por incrível que pareça acho que só o Eurico Miranda tem razão no troço. Por que? Ora… Porque a ideia de redução e tabelamento parece ter partido dele e é claro, pelo puro prazer de espezinhar os Smurfs. Conseguiu. E como ele sabe que, além de não lucrar porra nenhuma com o Estadual, também não vai ganhar o treco mesmo, se prendeu a essa pequena alegria fugaz.
Acho os Azuis pessoas sérias e com boas intenções. Deixo claro que torço pela reeleição smurfética. Por acreditar nessa seriedade é que espero que alguém do Reino Azul veja que o Carioqueta tem dois caminhos.
Ou muda tudo quanto é fórmula para que tenha atrativos para o torcedor, e atrativo aqui atende pelo nome de MAIS CLÁSSICOS, ou vira logo uma espécie de evento filantrópico-institucional. Por um lado fica ajudando os clubes nanicos a passar o pires atrás de uns míseros trocados e tentar negociar jogador, e por outro cobra um punhado de moedas, assimila o prejuízo, e pelo menos TENTA criar o hábito de ir ao estádio no povo, algo que corre sério risco de extinção.
Querer ganhar dinheiro (muito ou pouco) com mercadoria estragada pode ser muito divertido em uma animação. Na vida real não tem a menor graça.
CURTAS
CARIOCA COM PIMENTA.Sobre as soluções pro Carioqueta. Podiam perguntar lá na Bahia como eles fazem pra ter 564 ‘bavis’ na mesma edição do Estadual. Com dois times grandes, mais o botafogo e o fluminense… Vai que o Carioca engrena?
SEM MALDADE.Juro que a sentença do meu amigo Leonardo, citada na minha crônica anterior, “O Fluminense não tem torcida como ativo”, tinha conotação mercadológica e não de cunho sexual. Seus mentes estragadas!!!
NOVIDADE. Redigindo isso em um boteco, enquanto aguardo amigos vascaínos para assistirmos juntos o clássico. Oportunidade rara.

Fonte: Falando de Flamengo