Presidente do Shandong chega ao Brasil, e Fla corre atrás.

Liu Yu. Este é o nome do homem que tem o poder de dar ao Flamengo o camisa 10 que tanto procura desde a saída de Ronaldinho Gaúcho, em maio de 2012. O nome escolhido não é mais segredo para ninguém: Walter Montillo. E a partir desta quarta-feira começa uma nova e importante etapa de negociação para convencer o chinês, presidente do Shandong Luneng, a liberar o meia por empréstimo ao Rubro-Negro. Uma parte importante deste processo deve acontecer nesta tarde, na Gávea.
No Brasil para pré-temporada, o Shandong encara o Bangu, em jogo-treino, na sede social do Flamengo, e a expectativa é de um encontro natural entre dirigentes dos clubes. O presidente Eduardo Bandeira de Mello, o diretor executivo, Fred Luz, e o vice de futebol, Alexandre Wrobel, estão incumbidos de estreitarem a relação com Liu Yu, que chegou ao Brasil na noite de terça-feira. O grande trunfo para o sucesso da transação, no entanto, é mesmo o desejo manifestado por Montillo de vestir rubro-negro e, principalmente, não retornar para China.
Em contatos iniciais, o Shandong recusou com certa veemência a possibilidade de negócio. A decisão do jogador de não seguir a carreira na Ásia por conta de problemas de adaptação da família e não cumprimento de cláusulas contratuais que envolviam a qualidade de vida dos filhos, por sua vez, vão fazer a diferença na opinião dos envolvidos. Montillo está certo da decisão de permanecer no Brasil após a pré-temporada e até mesmo já buscou informações com pessoas próximas a respeito de onde morar no Rio de Janeiro.
A vontade do argentino de voltar ao futebol brasileiro é tanta que a questão financeira foi facilmente solucionada em conversas iniciais com o Rubro-Negro. O acerto, revelado pelo próprio jogador, envolve valores consideravelmente inferiores aos que recebe na China. O desejo do Fla é de empréstimo de um ano, e a postura irredutível do Shandong, com quem Montillo tem contrato até o fim de 2016, se dá muito pela carência de um substituto a altura no elenco. Neste caso, a compreensão de Cuca a respeito da necessidade familiar do meia será determinante.
A diretoria do Flamengo não comenta o caso e mantém a paciência confiante de que a vontade do atleta prevalecerá no fim. O Shandong Luneng permanece treinando no Brasil até o dia 6 de fevereiro, prazo visto como limite para uma definição. Em Manaus, Vanderlei Luxemburgo evitou o tema:
– Tenho que falar de quem está aqui. Vi a declaração do Montillo, e a diretoria está tratando disso. Não me interessa falar disso.
Silêncio de Vanderlei, palavras de Montillo, desejo de ambos. As cartas estão na mesa por um simples “sim”. O “sim” de Liu Yu.

Fonte: GE