Zico faz alerta a diretoria do Flamengo contra ex-dirigentes.

Compartilhe com os amigos
presidente do flamengo zico jogador
Mesmo longe da Gávea, Zico continua atento à situação do Flamengo, clube pelo qual se consagrou como um dos maiores jogadores da história do futebol brasileiro. Agora treinador, o Galinho revelou, em entrevista ao Arena Sportv, que não tem desejo de voltar a ter cargo na diretoria do Fla, alertou o presidente Eduardo Bandeira de Mello sobre pessoas nocivas à equipe e reforçou que não voltará atrás na decisão de nunca ser técnico de times brasileiros.
“Atenção, presidente Bandeira: certas pessoas, que usufruíram do Flamengo e querem voltar, têm de ficar longe de lá. As pessoas todo mundo sabe quem são, e é preciso tomar cuidado. Eu não vivencio o Flamengo, mas a gente nota isso. A diretoria não pode se deixar levar para que o Flamengo não perca seu rumo, sua filosofia que passou a ser adotada e que pode trazer bons resultados ao clube”, declarou Zico, que trabalhou como diretor executivo na Gávea durante a gestão de Patrícia Amorim, mas deixou o cargo em outubro de 2010, fazendo críticas pesadas a Leonardo Ribeiro, então presidente do Conselho Fiscal do clube.
O Galinho não negou a possibilidade de voltar à Gávea, mas deixou claro que não é seu desejo, e, que se for para retornar, ele gostaria de trabalhar com as categorias de base. 

“Na vida a gente nunca sabe, mas não é em nenhum momento meu desejo de voltar a trabalhar no clube. A gente pode ajudar o Flamengo de outras formas, como eu tenho feito muitas vezes, de fora, aliando minha imagem ao clube. Se algum dia eu tivesse que voltar ao Flamengo, seria para poder organizar as categorias de base, sendo um gerente geral da base. Ser presidente não passa pela minha cabeça. Eu gostaria de ver a base do Flamengo revelando jogadores, com uma estrutura melhor”, relevou Zico.
Para melhorar a situação das categorias de base do clube, o Galinho gostaria de seguir o exemplo do Santos e utilizar ex-atletas como olheiros para encontrar jovens promissores. 

“Eu utilizaria pessoas experientes, ex-jogadores observando para levar jovens à base. Eu deixei essa semente lá e gostaria de ter dado continuidade. Um dos clubes que tem revelado mais jogadores nos últimos anos é o Santos, que faz utilização de ex-jogadores na base. A nossa maior joia atualmente, que é o Neymar, veio de lá”, disse.
Zico iniciou a carreira de técnico no fim da década de 1990, comandando o Kashima Antlers, do Japão. Teve breve passagem pelo CFZ-RJ (Centro de Futebol Zico), clube que fundou, e depois dirigiu a seleção japonesa por cinco anos, entre 2002 e 2006. Posteriormente passou por Fenerbahce-TUR, Bunyodkor-UZB, CKSA-RUS, Olympiacos-GRE, seleção do Iraque e Al-Gharafa-CAT. Atualmente treina o FC Goa, da Índia. Com a carreira feita entre a Europa e a Ásia, o Galinho reforça que nunca comandará clubes brasileiros.

“Essa decisão é definitiva, não tem volta”, pontuou.

Fonte: ESPN
Compartilhe com os amigos

Veja também