Um novo formato para o Brasileirão? Parte 2

Caros Rubro Negros,

Conforme prometido continuo discorrendo sobre o assunto proposto na coluna anterior.

A minha proposta é um híbrido dos pontos corridos que conhecemos. Basicamente funcionaria assim:

Teríamos 2 turnos exatamente como temos hoje. Ida e volta, todos contra todos. Caso um time fosse campeão dos 2 turnos ( obviamente seria o detentor da maior quantidade de pontos do campeonato inteiro ) seria campeão, como acontece hoje nos pontos corridos. Caso tenhamos clubes diferentes sendo campeões de ambos os turnos teríamos a uma final em 2 jogos, sendo que quaisquer vantagens do tipo “resultados iguais” e jogar o último jogo em casa seria da equipe que tivesse mais pontos na soma dos 2 turnos.

Até ai nenhuma novidade. Já existem alguns campeonatos nacionais em outros países com formato semelhante. A novidade vem agora e é o motivo desse modelo ser chamado por mim de híbrido: teríamos um terceiro ente inexistente até então nessas possíveis finais. Até agora temos os campeões do 1º e do 2º turno. A novidade é: Caso exista um 3º time, que não tenha sido campeão de nenhum dos turnos e este time seja o time que tem mais pontos somados nos 2 turnos este estaria dentro de uma fase final com os outros 2 times que foram campeões de turnos!!! E seria o detentor de qualquer vantagem das já conhecidas em finais e citadas anteriomente. Nesse caso de termos 3 times na fase final poderíamos ter apenas 3 jogos, com locais definidos sempre na “casa” do time de “melhor campanha”. ( Nesse ponto em especial podemos nos aprofundar e dicustir vários formatos… uma semi-final entre os times campeões de turnos e o vencedor jogaria contra o time de maior pontuação nos turnos…uma final entre o time com mais pontos e o time campeão de turno com mais pontos…existem várias possibilidades aqui…).

O rebaixamento prossegue da mesma forma que é hoje, exceto pelo fato de que um time que seja campeão em um turno não poderá ser rebaixado naquele mesmo campeonato, independente da pontuação final dele.

As vagas para a libertadores seriam decididas da seguinte forma:

Todos os times que participam da fase final conseguiriam vagas na libertadores. A vagas restantes ( 0,1,2, ou 3 a depender da situação e da escolha da forma da fase final ) seriam distribuídas conforme classificação geral no campeonato, considerando os 2 turnos.

“Mudar por quê?”. Vários motivos. Um deles é pelo espetáculo. Todos sabem o quanto uma final pode ser algo poderoso em termos de emoção e marketing. Olhem a final do Super Bowl. É um espetáculo. Tem shows, audiência, público incrível…e a parte financeira…o custo da um minuto de propaganda no intervalo da final do Super Bowl… É muito dinheiro arrecadado. O céu é o limite para o que pode ser feito em termos de marketing em uma final como essa. Outro motivo é cultural. O Brasileiro gosta de finais. Gosta da emoção que traz um apogeu como uma final. Não somos ( ou não éramos ) pasteurizados por nossa própria natureza.

“É injusto”. Isso é muito relativo. NBA, Futebol Americano, NHL… nunca vi ninguém ficar choramingando dizendo que eram injustos. O ideal é que o formato seja atrativo e justo na mesma medida. E o campeonato de pontos corridos corre um risco muito grande de perder parte da atratividade antes do final. No fim das contas jogamos o campeonato para saber quem será campeão. Quem vai pra libertadores, que vai ser rebaixado…isso são ( ou deveriam ser ) coisas secundárias. O mais importante é o título. E, na medida do bom senso e do razoável, devemos preservar essa decisão pelo maior tempo possível. E outra: a “grande injustiça” de um time que foi mediano no campeonato eliminar um que foi protagonista fica muito reduzida aqui. Estamos falando em uma fase final curta com 2 ou 3 times que tiveram boas campanhas e protagonizaram ao menos metade do campeonato. E mais: aplique isso ao campeonato atual. Ao invés de termos 2 times disputando o título teriamos uns 5 ou 6, em função do fato de ser campeão do turno poder ser algo muito importante. E mesmo assim existiria a forte possibilidade de termos o campeão sendo o time como mais pontos durante o campeonato, no caso o Corinthians. Sem falar que casos como o do SP em 2007, que praticamente largou o campeonato ao ( de forma justa e impressionante ) se sagrar campeão com várias rodadas de antecedência provavelmente não aconteceriam…ou ao menos não com tantas rodadas faltantes…afinal, se o time vacilar e “perder” o turno, tudo pode ser posto a perder…Me parece algo justo e interessante na mesma medida.

“Isso vai elitizar ainda mais o campeonato, afinal nas finais o ingresso será caríssimo”. Isso já vem acontecendo nas arenas e também em finais de diversos campeonatos… e nesse caso a briga deixa de ser comigo e passa a ser com o sistema capitalista e os custos cada vez mais altos do nosso futebol. Boa sorte!!!

“Á fórmula é complexa”. Não…não é.

“É possivel haver manipulação na tabela”. Isso já é possivel hoje. Por exemplo, posso fazer a tabela do Brasileirão 2016 colocando um certo time para fazer 3 ou 4 partidas no ínicio do campeonato contra times que se classificarem para a libertadores do ano que vem, que possivelmente jogarão as primeiras rodadas do campeonato com times mistos…

“A influência da arbitragem pode decidir o campeonato”. Hoje já decide segundo alguns. Tem gente que diz que o campeonato está manchado pelos erros de arbitragem…

“Mas na Europa é assim”. Pois é. Seria a prova que podemos fazer algo melhor do que o que eles tem feito.

“Não tem datas”. Os campeonatos estaduais estão a caminho do cemitério no formato que nós conhecemos. As mais de 20 datas que serão deixadas por eles podem muito bem compor um novo formato de estadual, bem mais curto ( ou não ), compor a pré-temporada e ainda sobra 2, 3 ou 4 datas para nossa fase final.

“E o que os times que não estão nessa fase final vão fazer?”. Os turnos do campeonato devem acabar por volta da primeira semana de Dezembro. E a fase final,se existir, tem que acabar antes do Natal. Os times que não se classificam à fase final podem antecipar as férias e começarem seus trabalhos na primeira semana de Janeiro. Os outros terão 2 ou 3 semanas a menos de pré-temporada que podem perfeitamente ser “recuperadas” com menos amistosos que também estariam contemplados nessa pré-temporada, que esse ano já foi um pouco maior e também poderá ser complementada com algumas datas dos falidos estaduais.

Enfim…essa minha sugestão é absolutamente rudimentar, mas tenta manter todos os ganhos adquiridos com o sistema de pontos corridos e colocar “uma pimenta” nessa história. E não vejo motivos para pensar que, no caso dessa proposta aprofundada e  implementada, o planejamento dos clubes seja de alguma forma desestimulado. Lembrando que muitos acréscimos podem ser feitos e elementos podem ser retirados dessa minha idéia. Por exemplo…na fase final podíamos ter jogos de ida e volta em caso de 3 times na fase final…mas ai seriam necessárias mais datas. Ou ainda… podíamos ter uma final entre o time com mais pontos e o campeão de turno com mais pontos entre os 2 campeões de turno. São muitas possibilidades a serem exploradas. E é uma discussão que passa por outro tema complexo que é uma reformulação do calendário do futebol brasileiro. Mas repito: acho que vale a pena discutir esse assunto agora antes que algum cartola aloprado jogue pro alto toda a evolução conquistada nesses últimos anos. Pra mim vale a pena tentar. Se eu pude idealizar esse torneio de modo simplório, como numa conversa de bar, fico imaginado o que poderiam fazer especialistas esportivos e em maketing, dedicados ao tema, com suporte e em equipe…  (A sim…e um viva a Recopa Brasileira, aonde o Campeão Brasileiro enfrenta o campeão da copa do Brasil. “Valendo o quê?” Título, dinheiro, mídia, show,espetáculo…Os jogos valendo esse título poderiam até ser os mesmo que esses times eventualmente disputariam pelo campeonato do ano seguinte, em se tratando de equipes de série A…mas isso é assunto pra outra coluna. ).

E você o que acha? Devaneio da minha parte? Boa idéia? Curta, comente, compartilhe, critique…participe!!!!!!!!

 Saudações Rubro Negras!!!

Luiz Henrique Amorim

contato@colunadoflamengo.com.br

Veja também

  • Em primeiro lugar, as pessoas precisam compreender melhor as noções de liga e copa.
    Os conceitos não se resumem a liga = pontos corridos / copa = mata-mata.
    Isso na verdade é um dos métodos mais usados e mais eficientes, mas não é a finalidade em si, e sim um meio.
    Liga significa vc colocar times pra jogar uma temporada de jogos com times com interesses em comum. Ligas paralelas surgiram na passagem para o futebol profissional pq times queriam continuar amadores. A liga inglesa optou por pontos corridos pq era mais fácil captalizar as receitas dessa forma, qd ainda não haviam as milionárias verbas de tv, enquanto copa seria uma competição para colocar todos os times de um determinado universo frente a frente (todos os times do país, mesmo amadores/todos os times de uma estrutura de ligas/todos os times de melhor desempenho do continente/etc), mesmo que alguns realizem pouquíssimos jogos.
    E diante disso, pode-se começar a pensar na estruturação.

    • Partindo desses princípios, deve-se traçar o que se quer do futebol brasileiro.
      Independente da prioridade, não se deve deixar o outros objetos de lado, mas a nível de ligas, existem basicamente 2 opções a serem feitas:

      1) opta-se por fortalecimento do futebol local, mesmo que custe, a curto e médio prazo, perda de competitividade internacional;
      2 ) fortalecimento da elite do futebol, mesmo que sufoque times de menor estrutura, que teriam que se adequar a realidade do futebol profissional de alto nível ou fechar as portas.

      Partindo dessas possibilidades, os extremos seriam:
      1) estaduais em pontos corridos o ano todo e brasileiro estilo ucl, copa do brasil com os vencedores das copas estaduais;
      2) um modelo semelhante ao inglês, onde a copa da liga seria preenchida pelos estaduais.

      Mas como disse anteriormente, existem formas que mesmo que priorizem um determinado objetivo, mantenham um melhor equilíbrio.

      • Então analisando as seguintes colocações, temos a seguinte proposta:

        Copas estaduais todas em mata-mata. Número de vagas variando conforme estado e região. Campeões jogam as copas regionais. Campeões jogam o nacional.
        Teríamos
        Copa RJ/SP (1 fase
        Copa Sul-MG (2 fases)
        Copa nordeste (sem Maranhão e Piauí, 7 times) (3 fases, com um time entrando na segunda fase)
        Copa verde (14 times) (4 fases com, com 2 times entrando na segunda fase)
        Num total de 10 fases, todas em jogo único, o time sorteado decide se será mandante ou visitante, porém o visitante com vantagem de empate, as demais fases (além das semifinais e final nacionais e e dos regionais) completadas a níveis estaduais)

        E a liga em 2 castas:
        -> Ligas estaduais classificam pra copa de acesso da liga;
        -> Liga nacional em 2 regiões (sul-SP-centro oeste/RJ-MG-ES-nordeste-norte) com 2 divisões cada;
        >>Segunda divisão em pontos corridos dentro da região, 18 times, campeão sobe e mais 4 jogam um mata-mata por mais uma vaga. 3 caem e se não ganharem vaga pela copa de acesso tem que jogar a liga estadual;
        >> primeira divisão com 12 times em cada região, os 4 “credenciados” imunes a rebaixamento, campeonato dividido em 3 etapas:

        • >>> abertura: Turno único contra os times do outro grupo (12 datas). Classificam os 2 primeiros de cada grupo pra semifinal regional e os outros 4 melhores de cada grupo pras quartas de finais regionais. (4 datas de mata-mata ao todo)
          >>> encerramento: Turno e returno dentro da região (22 datas)
          Mata-mata nos mesmos moldes do abertura (4 datas)
          >>> > SuperCopa:
          Os 2 campeões de turno e os dois times com melhor campanha em cada região, contando a soma das duas etapas mais os jogos de mata-mata estão credenciados;
          Caso um time ganhe duas credenciais está direto na final, aguardando as semifinais;
          Caso dois times conquistem 2 credenciais, jogam as finais;
          Caso um time conquiste 3 credenciais, mas não tenha a melhor campanha geral, leva vantagens como mando de campo e vantagem de empate no confronto para a decisão contra a melhor campanha;
          Caso vença as 2 etapas e tenha a melhor campanha geral é campeão.

          Obs.:
          Mata-mata de fase em jogo único com vantagem de empate e mando de campo pra melhor campanha da etapa;
          Semifinais do torneio em 2 jogos com segundo jogo e vantagem de empate pra melhor campanha;
          Finais em melhor de 3, ou, caso não haja semifinais, em melhor de 5.

          57 datas nacionais ao todo pro campeão de tudo (algo parecido com o calendário inglês)

  • Campeonato é campeonato, copa é copa. A questão chave do calendário é como reenquadrar os estaduais, valorizando-os.

    Acho que deveria manter o brasileirão em pontos corridos com quem pontuar mais é o campeão. Porém no Brasil temos excesso de jogos. Minha sugestão para o Brasileirão é seria A, B com 24 clubes, turno único, 23 datas, somente as finais de semana e excluindo as datas FIFAS, de abril a dezembro). No turno único não há chance de uma equipe disparar, mantendo a disputa até o final. O mata mata fica para as copas estaduais, copa do Brasil, torneios regionais,…

    Para os estaduais sugiro assim: um campeonato e uma copa. Um campeonato estadual longo, turno e returno, mas com os grandes disputando com equipes sub 23, durante as datas do brasileirão. E uma copa estadual no inicio do ano, 16 times, mata mata 8 datas.

    Copa do Brasil com 124 times, ano todo, 14 datas. 48 times das series A e B mais 76 via estadual, 2 ou 3 por estado

    Libertadores ou copas regionais (sul minas, rio sp, nordeste, verde) 14 datas

    Sul americana ou copa dos campeões estaduais, 10 datas

    Serie C e D: 32 times, regulamento similar libertadores, 14 datas, paralela aos campeonatos estaduais

    total: 69 jogos por time

  • Minha idéia de campeonato é muito similar a sua, já tinha exposto isso em um comentário em sue último post.
    Não tinha pensado nessa possibilidade de haver um time com mais pontos e que não fosse campeão de turno nenhum. A inclusão desse time em um triangular traz mais justiça desportiva. Contudo entendo que esse triangular precise ter jogos de ida e volta, pois a vantagem de jogar em casa em jogo único é muito grande. E isso traria um problema de calendário, pois ao iniciar o campeonato não se saberia quando terminaria. Assim, na minha opinião seria melhor um jogo final entre os dois clubes campeões dos turnos em jogo de ida e volta, somente.

  • Já tem uma competição com uma grande final: Copa do Brasil.
    É mata-mata, tem ida-volta, tem jogos espetaculares na reta final e atrai muito público.
    Pontos corridos em que um rebaixado vira campeão? Sério isso? Vai me convencer que um time que foi uma vergonha em todo o campeonato vira campeão? Mais ridículo do que isto só mesmo os torneios da extinta CBD em conluio com a ARENA!
    E ainda chama isso de “evoluir”?
    Volta pra prancheta e rabisca tudo de novo. Essa ideia aí é um frankstein de todas as tabelas e regulamentos e casuísmos dos velho e fedidos campeonatos da CDB/CBF.
    Sem ofensas, com todo o respeito, mas pontos corridos é auto-explicativo.
    Pontos corridos: ganha o melhor após os dois turnos.
    Híbrido: acaba com a Copa do Brasil, acaba com o Brasileirão. Cria um troço que misture os dois e acrescente uma bizarrice: o rebaixado é campeão.
    Não, meu caro. Não tem como ser sério isso aí.
    Sinto muito, mas nem que a vaca tussa!

    • Como pode um time campeão de um turno ( time com mais pontos em 19 rodadas…metade do campeonato só…) Poderia ser vergonha do campeonato inteiro? Sem falar q ele não estaria rebaixado por q estaria previsto em regulamento previamente combinado que o campeão do turno não estaria mais passível de rebaixamento….o combinado nao sai caro…

      Precisamos tornar nosso produto mais atrativo de alguma forma….A minha sugestão só tenta fazer isso…aí daqui a pouco mais um time é campeão com rodadas de antecedência e vamos novamente ficar fazendo festa pra vaga na libertadores e pra rebaixamento… Aí o interesse dos patrocinadores cai e a gente não sabe o porque….

      O fato mais importante do campeonato é o título. Se possível e dentro do razoável seria bom manter essa decisão o mais pro final possível….

      Abraços!!!

      • Valeu Luiz, mas combinar essa “coisa”? Sai caro, sim! Nem combine para não ter que ser vergonhoso admitir que uma equipe SEM CAPACIDADE de se manter, hoje, entre os 16 melhores na série A terá um privilégio desses; quando aquele “infeliz” que se classificar em 16º, que fez mais pontos TOTAIS perde o seu legítimo (entende o que significa legítimo?) direito!!!
        Ora, se o que acumula mais pontos, na sua hipótese, ganha um privilégio de poder decidir em casa etc, por quê o que acumula mais pontos do que o horroroso do 17º, ou seja, o que ficou em 16º não tem o mesmo direito? Em vez disso, leva um tiro na testa e cai pra série B! Há mais “critério” do que isso? E você acha que é simples: basta combinar… não, não combine porque vai ficar muito feio.
        Cara, ainda com todo o respeito, releia isso que você escreveu, reflita bem e se redima, pois não é vergonha reconhecer nossos erros e evoluir com isso.
        Não se ofenda. Abração SRN!

        • É uma extrapolação pensar que o time que ganhou um turno vai fazer 10 pontos ou menos no outros e ser rebaixado. A regra só prevê que esse rebaixamento altamente improvável não estaria previsto. Até por que o time “cumpriu” o papel de vencer o turno. É uma “combinação” bem simples a meu ver. Sinceramente não vejo problema algum nisso. Mas respeito sua opinião contrária. Porém gostaria de ver essa idéia discutida mais a fundo e de forma mais generalizada para ver o que poderia acontecer…

          Abraços!!!

          • Olha só estou respondendo por que não te acho um irracional e até deseja ampliar a discussão.
            “Altamente improvável”. Olha só o que você escreveu, cara!
            Se um paciente vai de mal a pior e o que você recomendaria colocasse um risco “altamente improvável” de morte, isso seria um bom argumento? Admitir um risco é razoável, mas fugir do risco com um argumento desses?
            Não precisa. É esdrúxulo só o fato de se ter um time rebaixado e campeão no mesmo torneio. Nem que se escreva uma regra ou regulamento com caneta de ouro. É uma convicção de total falta de noção do que significam todos estes anos em que o meio esportivo, e o futebol em particular, deseja para a evolução daquilo que se deseja como um futebol profissional, com todos os atributos referentes ao melhor produto enquanto confiabilidade e respeitabilidade.
            Se você ainda tivesse proposto algo como: somente entre os times do G4 bla-bla-bla… poderia trazer um pouco de razoabilidade, pois são os 4 melhores etc…
            Mas fazer um time rebaixado (e aí nem importa se está previsto no RG) ser campeão? (esquece o “Altamente improvável”, meu caro).

            Você não olha como eu vejo: toda a imprensa caindo de pau, “vergonhoso”, “coisa de brasileiro”, “retrógrado”…
            E com toda a razão. Pense em outras alternativas e poderia melhorar a sua ideia e talvez torná-la mais sensata.
            E, sério, não tente inventar argumentos para dizer que o rebaixado é campeão. Não há um pingo de senso moral nas pessoas que acham o casuísmo uma oportunidade. Isso é coisa de Eurico e cia.

          • Obrigado por não me achar um irracional!!! É sempre bom termos um diálogo sobre esse assunto que as vezes parece tabu no nosso futebol….

            Ora…Eu estou admitindo um risco “altamente improvável” em prol de tornar o produto mais comercial e mais interessante. Pra mim vale a pena.

            Rebaixamento só existe quando e como previsto em regulamento. Continuo não vendo problema na existência desse fato que é muito…mas muito difícil de acontecer. Afinal…está previsto em regra ç. E mais…o cara não é um rebaixado… Ele protagonizou metade do campeonato….ganhou um turno. Isso pra mim é uma questão conceitual apenas. Pode ser superado sem maiores problemas.

            Eu tanto tenho noção de tudo q os pontos corridos trouxeram de evolução que pensei em algo pra tentar manter tudo o que de melhor tem nos pontos corridos e tentar tb trazer algo que dê mais interesse comercial ao produto. Afinal, o que mais deveria importar é o campeão e não quem vai pra libertadores ou quem vai cair….Isso definitivamente não deveria dominar o final do nosso campeonato como vem acontecendo em vários anos passados….

            Se eu falar em semifinais entre os 4 primeiros os advogados dos pontos corridos vão chorar um bocado dizendo que é altamente injusto o 4 colocado poder eliminar o primeiro…. O que eu tentei fazer foi juntar o melhor de 2 mundos.

            A imprensa caindo de pau? Lógico. Afinal, a” Europa faz assim”. “é o mais justo e pronto”.” é um retrocesso e pronto”. Eles não enxergam o potencial que temos para fazer algo ainda justo e com atratividade comercial enorme. Eu imagino aqui um evento espetacular na final do nosso campeonato… Algo q era torne tradicional… Tipo a final do super bowl ou as 500 milhas de indianapolis… Ali sim…ao invés de olharmos só pra Europa por que não olhar pros EUA? Eles sim sabem fazer dos seus eventos esportivos shows altamente rentáveis….

            “e o ano em que o campeão ganhar os 2 turnos e não tiver final? ”

            Aí entra a recopa. Aí a recopa seria disputada na data da final do brasilerao, mantedo o evento comercial e esportivo.

            Acredito em termos um produto justo e comercialmente atrativo na mesma medida. Hj temos um produto mais “justo” do que comercialmente atrativo. Não é uma boa.

            Abraços.

          • Você não está se ouvindo mais. Está obcecado pela sua fórmula e não pensa mais.
            Se preocupa que o 4º colocado possa roubar o campeonato, mas não vê nada de mais que 0 17º seja um zumbi declarado campeão porque o “combinado não sai caro”.
            Sai muito caro, mau caro. O 16º ainda seria mais “razoável” que o 17º! Mas o 4º colocado, oh! que absurdo!!!
            É por pontos corridos. Logo, não tem 4º, nem 17º, nem outra bizarrice qualquer.
            Campeão é o que somou o maior número de pontos ao final da temporada. Ponto.
            Vai lá, cara. Vai procurar outra coisa pra fazer, pois esta sua sugestão se mata, se suicida, se pendura na corda que traz consigo.
            Tente achar uma melhora pra Copa do Brasil. Acho mais promissor esse caminho.
            Abraços e ponto final.

          • Eu vou ver se consigo calcular a chance real de um time que é campeão de um turno do campeonato ter pontuação suficiente no final pra ser rebaixado. Essa % que faz a fórmula porposta ser tão esdrúxula na sua opinião.

            No mais…viva a diversidade de opiniões. Obrigado pela atenção e conto com sua presença em colunas futuras, seja para discordar, para elogiar…

            SRN!!!

  • Ai, digamos que em dois desses jogos, o juiz erra a favor digamos do (curinthia), como já acontece Hj, ou pode ser qualquer outro time, os dois prejudicados ficariam como ? Prefiro não ver como antes, o time luta, joga bem, se torna o melhor, mas, tem que disputar uma final, dai aquele terceiro clube que não foi tão bem assim, faz um gol de mão, ou pênalti inexistente e acaba ganhando o campeonato. Como é que fica pro outro time que foi bem melhor é fez por merecer ? Abraços…

    • Erros de arbitragem já acontecem hoje e já são motivos de reclamação de “manchas” no campeonato de todo lado….Não é novidade…nada mudaria.

      Sobre “ser melhor”… Isso é contestável. Ambos que chegaram a final nesse modelo foram bons….melhor é algo muito relativo. Copa do mundo, libertadores, champions, NBA, Super Bowl… Não vejo esse tipo de contestação sobre o campeão não ser o melhor… E não são disputados em pontos corridos…

      Abraços!!!!

    • Não vi esse aue todo por conta de erros de arbitragem quando se fala sobre as copas de 66 e 86…

  • Bom primeiro que eu gosto dos pontos corridos,e pra mim ta bom do jeito que ta,agora analisando essa tua idéia acho que quase nunca haveria essa final visto que baseado nos últimos anos somente no ano de 2009 quando o flamengo foi campeão haveria essa sua final e se me recordo bem o palmeiras foi o campeão do primeiro turno e tbm acho que seria muito chato essa classificação pra libertadores se fosse pra ter mata mata teria que ser os quatro primeiros fazendo semi e dps final pois não ea formula que faz o campeonato interessante ou emocionante e sim os clubes que fazem vou dar um exemplo o campeonato carioca hj saiu a noticia que vai mudar a formula de novo que ate e legalzinha mais ngm num ta nem ai pq sabem que os times são uma bosta e a liga sul minas rio vai fazer uma copa cm uma formula bem simples que e dois grupos semi e dps final a formula do carioca e melhor mais a sul minas rio como tds sabem vai ser bem mais interessante e emocionante por causa dos clubes disputando então acho que a discussão tem q ser entorno de como melhorar os clubes e não o campeonato pq quem faz o campeonato são os clubes

    • A minha proposta é justamente no objetivo de agregar pontos corridos e mata mata. Por isso a possibilidade de não termos a final. E no ano que não tivéssemos a final o “grande evento” seria a final da Recopa Brasileira, que seria disputada na data prevista para a possível final do Brasileirão!!!!
      Abraços!!!!

    • A final de 2009 seria Inter X Cruzeiro. Já postei aqui, amigo.

      • Ora…mas ai o Flamengo, que foi o time com mais pontos mesmo sem vencer um turno, estaria na fase final de alguma forma segundo a minha proposta…

        Abraços!!!!

  • Antes de você ter escrito a sua sugestão, eu já tinha escrito algo parecido no meu comentário ao 1º texto. Penso igualzinho a você sem tirar nem pôr. O campeonato por pontos corridos é mais justo mas pode se tornar muito sem graça. Essa fórmula seria a ideal, ao meu ver, pois na pior das hipóteses, se o melhor time do campeonato não for o campeão, ele será vice ou 3º lugar. E o campeão será o melhor time do 1º turno ou o melhor do 2º turno. Poderá ser até o melhor de todo o campeonato mesmo, porém com muito mais emoção. A sugestão é muito melhor do que o que está aí e é melhor do que um mata mata que beneficiaria sempre os times de maiores torcidas…

  • Sinceramente, Luis Henrique Amorim. Vejo a minha proposta como mais eficiente. A mudança seria para sempre ter uma final, logo, da forma como coloquei nunca haveria um campeão direto. Vou repeti-la com mais detalhes:

    Seriam dois grupos com 10 participantes cada.

    Do sorteio dos grupos:

    – Clubes separados pelo Estado de origem, colocados em uma mesma urna. Sorteados em alternância com os grupos A e B.

    Ex: Urna 01 clubes de SP – Urna 02 clubes do RJ- Urna 03 clubes do RS- Urna 04 clubes de MG – Urna 05 clubes do PR. ( obs. Estados com apenas um representante ficam agrupados em uma única urna seguindo o mesmo critério de alternância de grupos)

    Do 1º chaveamento:

    – Os participantes de cada grupo disputam entre si com partidas de ida e volta ( 18 rodadas) classificando para o 2º chaveamento os 06 primeiros colocados de cada grupo.

    – Os participantes que não se classificarem para o 2º chaveamento disputam o chaveamento de permanência onde os 04 últimos serão rebaixados.

    Do 2º chaveamento: (cruzamento entre os grupos A/B).

    – Os 06 participantes do grupo A enfrentam os 06 participantes do grupo B. Partidas de ida e volta ( 10 rodadas). Classificam os 02 melhores colocados de cada grupo para a libertadores e para a semifinal.

    – Os participantes que não se classificarem jogam a sulamericana.

    Semifinal:( 02 rodadas )

    – 1º do grupo A X 2º do grupo B (vantagem do empate para o 1º)(ida e volta)

    – 2º do grupo A X 1º do grupo B (vantagem do empate para o 1º)(ida e volta)

    Final:( duas rodadas)

    – vencedores dos confrontos. Partidas de ida e volta

    total= 32 rodadas
    ————————–//——————————————–

    Chaveamento de permanência( lá do primeiro chaveamento) define os que serão rebaixados em confrontos de ida e volta.

    Simples assim.

    • Eu não acho sua idéia ruim não…gosto dela. Mas os “advogados da justiça dos pontos corridos” vão choramingar um monte por que podemos ter classificados em um grupo com menos pontos do que desclassificados em outro…
      Abraços!!!!

      • Luiz Henrique Amorim. Se existe a possibilidade de alguém questionar pontos em um campeonato com chaveamento cruzado, imagine o que irão dizer de uma final entre dois times que tenham menos pontos no total. Sim, um time pode ser campeão de um turno disputado fazendo poucos pontos, relaxar e terminar por exemplo em 10º no geral. No 2º turno um time vem lá de trás emplaca e ganha o turno ficando no geral em 7º. Teremos uma brilhante final entre o 7º melhor time contra o 10º. Isso que vc chama de um produto atraente?( repare que nem estou focando a questão do rebaixamento)

        • Lembrando que continuo com a opinião de que pontos corridos é a melhor fórmula. Estamos de maneira informal discutindo outras possibilidades.

          – Um ponto que não sei se observou no modelo que propus é o fato do time que for mal no 1º chaveamento estará fora da disputa pelo título. Além de não servir de muleta para os que seguem, disputará com outros que estão no mesmo nível para ver quem desce.
          – Somente os melhores times seguem na competição( só vai ter jogão)

          • Eu achei a sua proposta interessante também. Não teria
            problemas com ela.
            Sobre os pontos corridos…só acho que temos que achar uma maneira de valorizar mais o final do campeonato. Não cola muito pra mim esse papo de “todo jogo é uma final”. Isso não é comercialmente interessante.

            Toparia até uma possivel final entre os 2 melhores colocodos ao final dos 2 turnos caso a diferença de pontos entre eles fosse menor que 3 pontos…ou que 6 pontos… isso pra tentar fazer do título algo mais apoteótico…e mais ‘vendável”. Eu fico imaginando o Show que podemos fazer em uma final de campeonato dessa… do torneio mais importante do país…
            Abraços!!!

        • Mas na minha proposta o time que fizer mais pontos no geral, mesmo sem ganhar um turno, estaria na fase final de alguma forma a ser definida entre algumas sugestões feitas…

          Abraços!!!

          • Sua opção tem muitas brechas para questionamentos, Luiz Henrique Amorim. Ainda que dê chances para que o maior pontuador vá a final, continua possibilitando que times menos brilhantes, ou até mesmo com pontuação de rebaixado, conquistem o título. Um campeonato nesses moldes está fadado ao fracasso.

            Penso que o formato deve ter a preocupação de se aproximar o máximo possível da justiça dos pontos corridos, ter critérios bem definidos que lhe dê credibilidade e mostre algum avanço.

            Gostaria que comentasse sobre a ideia de cisão que propus.

            -Não acha que seria interessante os clubes terem a preocupação de chegar prontos já na primeira fase?
            -Acha interessante que as primeiras 18 rodadas( ou 22 rodadas tendo 24 clubes no 1º turno) sejam classificatórias/eliminatórias?

            Como uma seletiva de jogos interessantes já na 2ª fase, com os melhores times se enfrentando em busca do título e os times menos preparados disputando um campeonato à parte para saber quais realmente devem ser rebaixados.
            – O que me diz de um formato que possibilita a entrada de mais 04 clubes sem inflar o calendário?

            Dentro do formato que propus os 20 clubes atuais utilizariam 32 rodadas ( hoje são 38 nos pontos corridos)
            Com a entrada de mais 04 clubes poderiam facilmente serem acomodados dentro das 38 rodadas. Obviamente iniciando com dois grupos de 12 clubes teríamos 22 ao invés de 18 rodadas na primeira fase. Ainda assim chegaríamos ao total de 36 rodadas.
            Seria um campeonato ainda mais difícil? certamente que sim.
            Aumentariam os riscos do rebaixamento? Também.( passaria de 20% para 30%) ( na opção de rebaixar apenas 2 times passaria para 24%).

            E aí. O que me diz de um campeonato que afunila para os 12 melhores times e com semifinais e finais garantidas?

      • Isso é fácil de resolver, se desejar. Mantém o cruzamento e altera a classificação. Classificam os 04 que somarem mais pontos no geral dos cruzamentos, independente do grupo, com os critérios desempate. Ao invés de somar pontos como grupo A ou B. Nesse caso não importa a que grupo pertença, e sim o desempenho. Se pensa em mudar mantendo a justiça única dos pontos corridos. Desista.

        • Tento manter o máximo de coisas boas que os pontos corridos trouxeram e trazer alguma atratividade comercial maior para o fim do campeonato…algo como a final do Super Bowl seria maravilhoso….

          Abraços!!!!

    • País divido em 2 regiões:
      A: sul; sp; centro oeste;
      B: norte; nordeste; rj; mg; es

      Terceira divisão estadual
      Campeões da terceira jogam com 3 piores da segunda um mata-mata por 3 vagas na segunda divisão;

      Segunda divisão regional: 18 times em turno e returno. 3 piores jogam a copa seletiva. Campeão sobe direto e outros 3 jogam mata-mata com o penúltimo da primeira pela outra vaga;

      Primeira divisão:
      12 times por região:
      Abertura: um grupo contra o outro em turno único, passam os 2 primeiros de cada grupo direito pras quartas de finais e outros 4 pras oitavas. Mando de campo e vantagem de empate sempre pra melhor campanha;

      Encerramento: Turno e returno dentro do grupo e mata-mata igual ao do abertura;

      Super copa da liga:
      Os dois campeões dos mata-mata + os times com melhor campanha de cada grupo (contando tb os resultados dos jogos dos mata-mata)

      Repare que cada time disputa:
      Abertura;
      Encerramento;
      Melhor campanha do grupo;
      Melhor campanha geral.

      Ganhou as 4 disputas-> campeão;
      Ganhou 2 ou 3-> ta na final;
      Ganhou 1-> ta na semifinal

  • O estilo adotado do Brasileirão é bom, só não é bem executado. Primeiro deveria acabar com os jogos em períodos de amistosos. Depois deveria promover uma redução no período dos estaduais e, consequentemente, aumentar a pré-temporada e os períodos de recesso.

    • Estaduais devem ser etapa da copa do brasil.
      Todos em mata, jogo único onde só avançam as fases nacionais os campeões. Da primeira rodada di estadual a final da copa do brasil, 10 jogos.

  • Gostaria q os Estaduais continuassem com os grandes jogando com o Sub-23 e os pequenos com mais chances de serem campeões , em 3 meses no máximo , simultaneamente aos Estaduais uma super copa do Brasil , sendo disputados com os 20 da série A + os 20 da série B + os dois melhores pequenos de cada Estadual pra se valorizarem , em um sistema de mata mata atéa grande final em jogo único, começaria em fevereiro e terminassem em junho , o campeonato brasileiro em abril com jogos somente nos finais de semana até dezembro , criando assim espaços para amistosos, o calendário seria esse com espaços para a Libertadores ! O Brasileirao seria nos moldes atuais sendo campeão o q conquista mais pontos e uma grande jogo no final de ano com o campeão da super copa do Brasil e mais o campeão do Brasileiro e quem sabe o campeão da libertadores sendo brasileiro é claro !

  • Toda e qualquer boa sugestão deveria, teoricamente, ser bem recebido e melhorado. Como a sua, por exemplo.

    • Penso exatamente dessa forma!!!
      abraços!!!!

  • Passamos mais de 30 anos com vários modelos e formatos. Agora que encontramos um, vamos mudar? A Espanha que só tem 2 equipes seria a primeira a querer uma final, mas não é assim. Itália e Inglaterra idem. O nosso problema é o jeitinho brasileiro. Até no futebol. Meu time não é o melhor, mas vamos arranjar um jeito dele se classificar e quem sabe ser campeão, mesmo não sendo o melhor no campeonato.
    Na minha opinião, o melhor deve prevalecer. E para se descobrir quem é o melhor, só havendo dois turnos (ida e volta) e quem fizer mais pontos é o campeão.

    • Bem, acho q a estrutura da eua não da espaço para o famoso jeitinho br hue, e lá tem mata-mata nas finais de seus campeonatos.

    • Eu acredito que podemos evoluir. Minha proposta é evoluir o que já existe. Tornar o produto comercialmente mais atraente sem perder tudo de bom que os pontos corridos trouxeram…Não vejo nada de jeitinho ou de querer que o melhor perca….até por que esse negócio de “o melhor em 2 turnos” e muito relativo. Não vejo ninguém contestando a copa do mundo, o libertadores, a champions, a NBA, o Super Bowl por não serem pontos corridos… E repito: o objetivo é tornar mais atrativo do ponto de vista comercial sem perder o que de bom temos nos pontos corridos… E trazer mais equilíbrio entre justiça e atratividade comercial. Imagine o evento que podemos fazer em uma super final dessa??? Ou mesmo em uma final da recopa??? Pode ser um evento espetacular…algo q se torne tradicional… Que seja sucesso de público, renda, audiência… Acho que vale a pena ao menos pensar a respeito… Senão for,por

  • Gostei da idéia, interessante.Mas ainda fico com a preferência dos 4 ou 8 melhores fazerem as finais. Pouco me importa a justiça. Eu quero é emoção.

    • Eu tentei agradar a “gregos e troianos” com essa proposta. O melhor de 2 mundos…
      Abraços!!!!

      • Sim, eu entendi. Sua ideia e válida. No seu conceito existe a chance de ter um campeão direto? Simulando isso no campeonato atual, o time de lula seria campeão?

        • Existe. O campeão dos turnos é campeão direto. Acho q o Corinthians é líder do segundo turno…E como foi “campeão” do primeiro… Seria sim campeão direto.
          Abraços!!!!

          • Está parecido com o estadual do RJ com relação a este comentário.

          • Tá não puxa… O meu tem todos contra todos em turno e returno. O meu considera o time q fez mais pontos nos turno e returno independente de ter sido campeão do turno…

            Que maldade… Rs
            Abraços!!!

          • Kkkkkk

  • Não entendo essa insistência em mudar o correto (tentar). Todos os grandes campeonatos do mundo são em pontos corridos. Aqui tá funcionando otimamente bem!. Os clubes que se organizem!. Pq pontos corridos é pra clube organizado, talvez esse seja o motivo da insistência em mudá-lo aqui (a zona q impera em tudo no País). Portanto, PONTOS CORRIDOS DE REGULAMENTO E DO INÍCIO AO FIM E PONTO FINAL. EBM por mais tres anos!. Saudações st..

    • A idéia é evoluir. Evoluir até para evitar qualquer retrocesso como a proposta do Grêmio. Porque devemos nos manter na zona de conforto??? Somos incapazes de fazer algo melhor???

      A minha proposta não desestimula em momento algum que os clubes se organizem. Nada de bom que foi ganho com os pontos corridos seria perdido….

      Eu espero mesmo que não aja mais lugar para pessoas como essas citadas por você… Mas não é o que eu vejo todos os dias…E isso é mais um motivo para nós discutirmos esse e outros assuntos do nosso futebol….para que não sejam discutidos apenas por Euricos, Marins, Del Neros e afins….mas dando uma olhada em alguns dos nomes envolvidos na criação de liga Sul Rio Minas eu ainda fico em dúvida….

      Abraços!!!!

  • Ja não tem datas suficientes para dois turnos… Imagina ainda disponibilizar datas pra finais?

    • Pra esse problema eu dei solução no texto. Os estaduais estão para morrer. Em algum momento as mais de 20 datas hoje ocupadas por esses estaduais poderão ser melhor redimensionadas.
      Abraços!!!

      • Eu ja penso em diminuir de 20 para 16 clubes… Iniciaria a temporada com o Brasileirao… E estenderia por toda temporada… O Brasileiro já esta começando a gostar dos pontos corridos.

        • O problema de diminuir pra 16 clubes é que todo ano teríamos equipes ditas grandes cairiam….afinal…São 12…
          Eu já penso que pelas dimensões e peculiaridades do nosso país deveriamsos ter 22 ou 24 times…mas isso é outra discussão…

          Não acho q a minha proposta perca a essência dos pontos corridos…acho as pessoas poderiam gostar…E do ponto de vista comercial acredito que seria um sucesso!!!

          Abraços!!!

        • Neisson Almeida. O formato que propus utiliza apenas 32 rodadas. Significa que teria ainda uma sobra de pelo menos + 06 rodadas. O que daria para incluir até mais 04 clubes.

  • Eu gostei da ideia. Claro que ainda é uma idéia em fase de desenvolvimento, consegue sim atingir o objetivo. Concordo que uma final e muito bom pro futebol… acirra as rivalidades, eleva o lucro e as emoções.

    • Obrigado por entender a essência da proposta. Acredito que essa idéia bem desenvolvida pode sim se tornar algo bem plausível!!!!
      Abraços!!!!

  • Para mim o problema não passa pelo formato do Brasileirão, mas pelas datas que outros campeonatos tomam dele. Gosto muito mais do modelo do Bom senso.

    • Também gosto do modelo do bom senso. Mas não achei minha idéia de toda ruim…Abraços!!!!

  • nem li todo, e ja te dou uma resposta: vai procurar o que fazer.

    • O que eu posso dizer? Obrigado pela atenção!!! Abraços!!!

      • Eu prefiro que os 4 primeiros colocados do brasileiro disputem o título havendo semifinais e final 2 jogos de ida e volta sendo que o primeiro colocado geral tenha vantagem de decidir em casa e empate seria muito mais interessante e daria muito mais audiência….

        • Eu gosto disso mas os defensores dos pontos corridos são raivosos em relação a essa algo assim. Só tentei trazer algo que tenha as vantagens dos pontos corridos e a emoção de uma final…Abraços!!!

Comentários não são permitidos.