Mais reforços? Analisamos o que falta para o Flamengo fechar o elenco

O ano de 2016 será fundamental para o futebol rubro-negro e a esperança por grandes reforços toma conta da torcida. Sem dúvidas, a maior contratação até o momento foi para o banco de reservas. Muricy chega depois de um ano de descanso, para assumir a responsabilidade de colocar ordem na casa e trazer o espírito vencedor para um elenco que parece cabisbaixo.

Como proposta de jogo, espera-se um Flamengo ofensivo e que controle o jogo, tendo em vista o discurso na busca por uma identidade rubro-negra feita pela diretoria e do período de experiência que Muricy teve no Barcelona. Por tanto, o esquema esperado seria um 4-4-3 ou até mesmo um 4-1-4-1, com um volante a frente da zaga, dois meias para controlar o meio campo, 2 pontas que darão profundidade e um centroavante.

Sendo assim, fizemos uma análise sobre as opções que o elenco apresenta para cada setor e avaliamos se ainda há a necessidade de fazer uma contratação.

GOLEIRO – FECHADO

Alex Muralha

Com a contratação de Muralha, a diretoria mostra que não possui a mesma segurança que já teve em Paulo Vitor. Foram R$ 4 milhões para tirar o goleio do Figueirense, onde fez um excelente campeonato em 2015. Agora a disputa será intensa para saber quem ficará com a vaga de titular.

ZAGUEIROS – FALTA 1

Juan

Para muitos este setor era o grande problema de 2015. A falta de uma liderança técnica na zaga fez a diretoria correr atrás de um novo velho reforço: Juan. O experiente zagueiro chega para dar tranquilidade ao setor e para, possivelmente, assumir a braçadeira de capitão da equipe, já que Wallace teve alguns problemas com a torcida no último ano.

Porém esse não é um setor que já está completo. Com a venda de Samir e a perda na disputa pelo zagueiro Henrique, para o rival Fluminense, a atenção está no mercado sulamericano, para encontrar um zagueiro que chegue para atuar ao lado de Juan no time titular.

LATERAIS – FECHADO

Rodinei

As laterais do rubro-negro carioca foram um ponto de contraste no ano de 2015. Enquanto Jorge tomou conta do lado esquerdo, a lateral direita não teve a mesma sorte. Ayrton (que foi dispensado) e Pará não convenceram.

Uma prova desse diagnóstico está nas contratações feitas. Para a esquerda, veio Chiquinho do Santos, que na maior parte do tempo foi reserva na equipe do litoral paulista. Na Gávea ele também vem para ficar no banco de Jorge. Para a direita, a busca foi por algum jogador que chegasse para ser titular. Para isso, o Flamengo investiu em Rodinei, destaque da Ponte Preta. As laterais rubro-negra estão fechadas!

VOLANTES – FALTA 1

Marcelo Díaz

Como as opções no elenco atual para esse setor são Marcio Araujo e Jonas, a direção corre atrás de alguém para assumir a vaga de titular. O nome que se cogita é o de Marcelo Díaz. As negociações com o volante do Hamburgo e da seleção chilena pareciam bem encaminhadas, mas uma lesão na perna esqueda do volante está atrasando o acerto. A diretoria rubro-negra estuda se deve trazer o chileno mesmo com a lesão, por isso retarda a contratação até encontrar uma solução.

MEIAS – FECHADO

Mancuello

Essa é outra posição que estava carente no elenco rubro negro, que no ano passado viu apenas Alan Patrick mostrar um bom futebol. Ederson não conseguiu ter sequência por causa das contusões e Canteros oscilou muito durante a temporada. Por isso, a diretoria trouxe duas peças que chegam para assumir a titularidade do meio: William Arão e Mancuello.

O primeiro chega para assumir a posição de Canteros e dar dinamismo ao meio de campo. O segundo irá ajudar na organização do time e municiar o ataque, que esteve isolado no ano anterior.

PONTAS – FECHADO

Gabirel, Cirino e Everton

O que não faltava para o Flamengo em 2015 eram pontas de velocidade. Everton, Paulinho, Cirino e Gabriel começaram o ano e nenhum teve grande performance. Sheik chegou para dar mais experiência e depois de um bom começo, também teve uma queda de rendimento.

Porém, com a chegada de Muricy, houve uma reviravolta na estratégia de montagem do elenco. Tirando Paulinho, que foi negociado com o Santos, todos ganharam um voto de confiança do treinador e permaneceram. Portanto a necessidade não está em reforçar o setor e sim, recuperar o futebol de jogadores como Cirino, Sheik, Everton e Ederson, que na nova formação deve ganhar espaço para atuar aberto, como nos seus bons tempos na Lazio.

ATACANTE – FECHADO

Guerrero

Depois do alto investimento feito em Guerrero seria uma loucura trazer um grande reforço para o setor. A grande aposta do time para essa temporada é na recuperação do futebol do peruano, que depois de um começo arrebatador, caiu muito de produção. Cabe a Muricy Ramalho montar um esquema que aproveite o melhor do artilheiro.

Para o banco, Kayke mostrou bom futebol e recebeu voto de confiança para continuar. Apesar de sua contusão nesse início de temporada, a diretoria, salve uma grande oportunidade, não deve fazer investimentos para o setor. O ataque está garantido!!!

E você, concorda com nossa análise?

Fonte: 90min

Veja também

  • Será que vale a pena trazer o Ralph do Corinthians? multa rescisório R$ 4,4 milhões.

  • Não concordo com meias, laterais e pontas; a diretoria poderia trazer mais um lateral direito; um meia de verdade como o Alan, tinha o Marquinhos Gabriel – Santos ou até mesmo o Lucas; e um ponta, pois o Gabriel esta desgastado demais, a não ser que nessa temporada ele venha a vingar!!! Lateral poderia ter tentado o Fagner do Curintia, e ponta poderia ser alguem do Santos ou do Palmeiras, eles tem ótimos pontas!!

    • Já tem, o Rodinei e o Pará, além disso. Poderia aproveitar o Lateral Direito do SUB-20. E… já chega de jogadores do corinthians. E Creio que será um meio campo bem criativo. Apesar de não ter um meia clássico, tem criadores de jogadas, com ótimo passe e visão de jogo.

  • Belíssima avaliação, JP…

  • Discordo sobre Mancuello. Ele não é meia-armador, mas sim um volante que tem criatividade, apenas isso. Os próprios argentinos falam isso. Querer fazer com que esse jogador seja meia-amador será dar um tiro no pé, pois não irá render. Sou a favor que tragam o Diaz para atuar como primeiro volante, ao lado de Mancuello (como segundo), e colocando o Allan patrick como armador. O meio de campo ficará consistente, já que a deficiência e irregularidade de Allan Patrick será suprida pela criatividade dos dois bons volantes que o mengão terá, e, ao mesmo tempo, teremos um meio de campo marcador.

    • pelo que vejo o murixy pretende fazer uma trica de volantes, com mancuello e arao, que tem uma boa subida, chegam a area finalizando de fora ou dando assistências, e concordo com essa formaçao pois da mais liberdade para os laterais subirem, pois havera sempre a cobertura, so falta mesmo o primeiro volante, no caso que seja o diaz, mas que tambem nao é bem de marcaçao, tem um bom passe e é pensante

      • Exato, o Diaz ajuda na marcação mas não é um grande marcador, é um cara pra iniciar a construção se jogadas e valorizar a posse de bola. Costuma jogar mais de segundo volante que de primeiro, mas se saiu bem nessa função recentemente pelo Chile, às vezes atuando quase como um líbero, justamente pq não tem tanta velocidade pra dar combate. Numa marcação por zona ele fecha bem, tem uma boa leitura tática, mas não faz muitos desarmes. O Arão teria um papel importante nesse esquema que você falou por dar mais proteção.

    • Como matheus Andrade falou ai, são três volantes, com o fla jogava com Elias,
      Eram Amaral, Luiz Antônio e Elias.
      Deu muito certo mesmo com o pereba do cadu no time, o brocador fez muito gols e a defesa não tomava tanto gols igual a de 2015.

      Tentaram fazer com Márcio Araújo, Jonas e canteiros mas não rendeu. Díaz, Arão e mancuello tem muito mais qualidade e junto com muricy vai dar certo

      • Acrescento o Alan Patrick no lugar do Éderson, caso ele não possa jogar! Cirino e Éverton pra mim só segundo tempo.

    • Exatamente isso. O Mancuello no inicio da carreira jogou de lateral esquerdo, meia e ponta não conseguia se firma e foi emprestado pelo Independiente. No entanto, quando voltou começaram a usá-lo como segundo volante e começou a se destacar.

    • O Mancuello joga como meia também, no caso como um terceiro homem de meio-campo, e começou a se destacar inclusive quando passou a ter mais liberdade. Sobre o Diaz, ele pode jogar de primeiro volante, mas não é um jogador rápido e pela pouca estatura tem alguma dificuldade pra marcar jogadores velozes e fortes. Precisa de jogadores rápidos e com boa pegada ao lado dele. Um meio com ele, Mancuello e Alan Patrick acho que ficaria desprotegido. Apostasia no Arão ao lado do Diaz pela direita e Mancuello pela esquerda.

Comentários não são permitidos.