“Sete fatos que explicam por que não há favorito no Brasileiro-2016”

Compartilhe com os amigos

É um clichê dizer que o Brasileiro é um campeonato imprevisível em que qualquer um pode conquista-lo. É uma meia verdade, mas é fato que a competição é bem mais equilibrada que as ligas europeias. E, na edição de 2016, acentuou-se ainda mais esse nivelamento neste início, deixando a sem favorito.

Como mostrado pelo blog do PVC, há 13 anos o campeonato não terminada a segunda rodada sem nenhum time com seis pontos. Claro que esse é um quadro inicial e podem haver modificações durante o percurso: um elenco/time pode encaixar e se distanciar. Mas, no momento, isso não parece ser a maior probabilidade. E há alguns fatores que explicam por que não há um favorito no Brasileiro.

E por que o meia verdade escrito lá em cima? Embora não exista um favorito, dificilmente o título deixará de ficar nas mãos dos 11 maiores clubes do país, talvez o Botafogo possa ser excluído desse grupo. Desde 2003, nos pontos corridos, foi sempre um dos grandes que ganhou o Nacional.

Bem, então, vamos elencar algumas explicações para a falta de favorito do Brasileiro:

1. Desmonte de equipe por falta de recursos: Foi o que ocorreu com o Corinthians, campeão do ano passado. Isso obrigou o técnico Tite a remontar a equipe, o que está claro que demandará mais tempo do que esperavam os corintianos.

2. Troca de técnicos constantes já no início de temporada: Até agora, Palmeiras, Fluminense, Atlético-MG e Cruzeiro já trocaram de técnicos pelos maus resultados no início da temporada. É possível que ocorra também com o Flamengo. Isso significa que o estilo do novo treinador será imposto com o Brasileiro em curso, o dificulta saber até onde podem ir esses times.

3. Danos provocados pela seleção e pela janela de transferência: Campeão Paulista, o Santos foi destroçado pelas convocações da CBF e pode perder jogadores para o exterior. Outros clubes como o Corinthians e Atlético-MG também têm jogadores visados.

5. Foco na Libertadores: O São Paulo é um time que cresceu na temporada, embora esteja longe de ser regular para um campeonato de grande fôlego. Apesar da parada da Libertadores, está claro que sua prioridade é o torneio continental, o que afetará sua campanha.

6. Não há dinheiro de sobra: Houve clubes que investiram bem na temporada como Flamengo, Palmeiras, Atlético-MG e Fluminense. Ainda assim, os seus gastos giram no máximo no patamar de R$ 30 milhões cada, muito interiores aos estrangeiros e europeus. Dá para montar bons times se bem gasto, mas nunca para sobrar na temporada.

7. Calendário apertado: Como já mostrado pelo blog, os times jogam com intervalos mínimos, o que os impede desempenhos 100% em toda temporada. Isso é outro fator para nivelar o campeonato. Os erros de arbitragem, mesmo que não sejam direcionados a nenhum time específico, tornam os resultados imprevisíveis.

Fonte: Rodrigo Mattos

Compartilhe com os amigos

Veja também

  • Esta história de que se joga mais no Brasil do que no exterior (quantidade de jogos) é história da carochinha. Um time como o Barcelona, por exemplo, joga quase, ao mesmo tempo, três competições. Aliás, todas as grandes equipes europeias disputam campeonatos, copas e ligas. Juntando todas as competições, é comum dois jogos por semana. Na realidade, jogador brasileiro é preguiçoso. Certamente, falte disciplina tática num primeiro momento. Contudo, o preparo físico é o problema do futebol tupiniquim. Enfim, o Brasil ainda vive no berço esplêndido do futebol. É uma pena!

  • A gente reclama demais, a imprensa mostra uma falsa realdade do time: ontem por exemplo, ninguém comentou que foi a primeira vez que aquele time jogou junto, isso é um fato curioso e que esta se repetindo constantemente; os últimos jogos do fla é a mesma coisa, a ESCALAÇÃO NÃO se repete, isso tem prejudicado o time;

    —-Time contra o Confiança dia 20/04/ PV – Rodinei-Juan-Wallace-Jorge-Willian Arão
    Cuéllar-Mancuello(Alan Patrick)-Marcelo Cirino(Gabriel)Paolo Guerrero-Fernandinho
    (Ederson)

    ———-Contra o Vasco: PV-Rodinei-Wallace-César Martins-Jorge-Cuéllar-Willian Arão- (Ederson) Mancuello;Gabriel;(Alan Patrick)Marcelo( Felipe Vizeu)Paolo Guerrero

    ———–Contra o fortaleza:

    Paulo Victor-RodineiLAD-WallaceZAD-JuanZAE-JorgeLAE-CuéllarVOL-Willian ArãoVOL-MancuelloMEC-Marcelo CirinoATA( Ederson)-Paolo GuerreroATA
    Fernandinho( Gabriel)

    ————Segundo jogo:Paulo VictorGOLRodineiLADLéo DuarteZADJuanZAE
    JorgeLAE-CuéllarVOL-Willian ArãoVOLEvertonMEC-(Marcelo Cirino) ATA-MancuelloMEC-(Alan Patrick) MEC-EdersonMEC-EmersonATA-(Fernandinho) ATA

    ———-estreia do brasileiro:

    Paulo VictorGOL-RodineiLAD-Léo DuarteZAD-JuanZAE-JorgeLAE-CuéllarVOL
    Willian ArãoVOL-MancuelloMEC-(Alan Patrick MEC)-EmersonATA-(Marcelo Cirino)
    Paolo GuerreroATA-(Ederson)-EvertonATA

    ———-Derrota para o gremio:

    Paulo VictorGOL-RodineiLAD-Léo DuarteZAD-JuanZAE-JorgeLAE-Márcio AraújoVOL-CuéllarVOL( Willian Arão)-Alan PatrickMEC-GabrielMEC-( Marcelo Cirino)EvertonATA- (Ederson)-Paolo Guerrero
    ———CURIOSAMENTE : AS SUBSTITUIÇÕES SÃO PRAGMATICAS OS MESMOS JOGADORES ENVOLVIDOS, SEM NADA DE OUSADIA, A EXCEÇÃO FOI O ARAUJO NESTE ULTIMO JOGO E O LEO (POR NECESSIDADE)

    NÃO CONSIGO ENTENDER:
    ——–JOGADORES: COMO CANTEROS; RONALDO;CHIQUINHO;PAQUETA; QUE POSSUEM CARACTERISTICAS DE JOGO DIFERENTE NÃO SÃO APORVEITADOS

  • CTRL + X CRTL + V

  • Faltou o item 4 colonista.

  • Cade o item 4?

Comentários não são permitidos.