5 atalhos para palmeirenses e rubro-negros acreditarem na vitória

Mesmo ainda a 14 rodadas do fim do Campeonato Brasileiro, a partida entre Palmeiras e Flamengo tem cara de final. Além da diferença de apenas um ponto do líder ao segundo colocado – o Verdão tem 47, e o Rubro-Negro, 46 -, os times fazem campanha segura nos últimos jogos e chegam em pé de igualdade para duelar. Nesta disputa parelha, Cuca e Zé Ricardo certamente já têm consigo pontos fracos e fortes de seu respectivo adversário. A reportagem do GloboEsporte.com não dispõe de treinadores, mas elegeu atalhos entre virtudes e deficiências que podem levar os times à vitória. A bola rola às 21h45, na arena do Palmeiras, que receberá apenas torcedores do time mandante – a não ser que rubro-negros assistam ao duelo disfarçadamente.

Em boa fase, os palmeirenses não são derrotados no torneio há sete partidas (a invencibilidade, considerando a Copa do Brasil, é de oito jogos). Com 47 pontos em 24 jogos, o time do técnico Cuca terminou a rodada na liderança 15 vezes e chega empolgado. Após o empate sem gols contra o Grêmio, o Verdão tenta aproveitar o confronto direto para ampliar a vantagem na primeira colocação.

Carregado no colo por sua torcida no embarque rumo a São Paulo na terça-feira, o Flamengo venceu seus últimos quatro jogos pelo Brasileirão. Lidera o returno da competição ao lado do Botafogo e só foi derrotado uma vez, pelo Sport, na 20ª rodada. Soma-se a isso o fato de a equipe de Zé Ricardo ser o melhor visitante do campeonato, com 20 pontos conquistados em 36 possíveis (seis vitórias, dois empates e quatro derrotas).

MAPA DA MINA DO PALMEIRAS

LANÇAMENTOS DE RAFAEL VAZ
Em bom momento no combate, Rafael Vaz tem sido um pilar defensivo rubro-negro. Em contrapartida, o fato de ser bem dotado tecnicamente joga contra si em determinados momentos. Abusa dos lançamentos em profundidade, o que pode dar ao Palmeiras a chance de ligar um contra-ataque com os velozes Dudu e Roger Guedes. Se Vaz é o líder de desarmes do Flamengo, com 110 no total, ele também é quem mais erra passes na equipe (91).

LATERAIS CONTIDOS
Dois responsáveis pelo crescimento do Flamengo no Brasileiro são os laterais Pará e Jorge. O primeiro tem o hábito de passar em velocidade e fazer boas triangulações com Everton e Diego. Lidera o quesito assistências, com quatro. Jorge, com sua cadência e dribles curtos, geralmente deixa os pontas em boas condições de chegar à linha de fundo. Mas as constantes investidas dos velozes Dudu e Roger farão a dupla ficar mais conversadora em relação aos avanços. Jorge, inclusive, vacilou na rodada passada contra o Vitória ao dar condições para Zé Love abrir o placar em partida que terminou em 2 a 1 para o Fla.

E, diferentemente do Flamengo, sétimo time que mais erra passes na competição (781), o Palmeiras não entrega facilmente a bola de volta – é o sexto que menos erra.

PRESSÃO EM MÁRCIO ARAÚJO
Velho conhecido da torcida palmeirense, Márcio Araújo é outra figura importante do Flamengo no Brasileiro por ser dinâmico na marcação e surpreender meias adversários com roubadas de bola em que chega correndo por trás dos rivais. Seu ponto fraco é errar passes simples na saída de bola. No primeiro turno, por exemplo, Gabriel Jesus aproveitou erro bobo de César Martins, e a constante movimentação dos palmeirenses na marcação sob pressão pode fazer o volante rubro-negro errar à frente da defesa.

RECOMPOSIÇÃO FREANDO CONTRA-ATAQUES DO FLA

Os pontas Everton, Gabriel, Fernandinho e Marcelo Cirino – os dois primeiros começam o jogo nesta quarta – têm papel fundamental na marcação. Os jogadores rubro-negros não concordam que jogam no 4-3-3, mas sim num 4-2-3-1. Com o Flamengo sendo atacado, dois deles voltam para fechar uma linha de quatro, às vezes de cinco com Diego no combate. O time fica compacto, mas essa aproximação às vezes prejudica nos contra-ataques. Sem o espaçamento, Diego fica com menos opções de fazer um lançamento em ponto futuro para estes pontas, e o toque para o lado acaba sendo a opção mais procurada. Se por um lado essa composição repele possíveis surpresas em alta velocidade, ao mesmo tempo ela facilita o controle da posse de bola.

FATOR DIEGO

Que Cuca vai colocar marcação forte em cima de Diego ninguém tem dúvidas, é elementar, mas o acréscimo de qualidade gerado pelo principal reforço do Flamengo permitiu o crescimento de outros atletas. Um dos melhores rubro-negros no primeiro semestre, Willian Arão teve queda de rendimento no fim do primeiro turno. A entrada do camisa 35 deu mais liberdade a Arão, que voltou a virar bolas com qualidade e tentar passes em profundidade. Além disso, ele evoluiu defensivamente para permitir os avanços do astro. Pará é outro que tem se entendido com Diego. Depois da entrada do meia, deu três assistências, duas para o próprio Diego e outra para Fernandinho. Quando vê o lateral passando pela direita, o cérebro do time não hesita em passar a bola.

Vale destacar que, com Diego em campo, o Flamengo tem 100% de aproveitamento (quatro vitórias em mesmo número de jogos) e passou a finalizar mais de fora da área. Dito isso, é bom o Palmeiras ficar ligado no ex-santista e nos espaços que abrirá para companheiros menos marcados.

MAPA DA MINA DO FLAMENGO

Quando é contra-atacado, Fla se aproxima demais e tem dificuldade de se rearmar ofensivamente (Foto: GloboEsporte.com)PELA ESQUERDA
O Palmeiras tem uma das melhores defesas do campeonato com apenas 23 gols sofridos, mas também tem problemas atrás, principalmente pelo seu lado direito. Com Everton e Jorge – e uma possível entrada de Fernandinho no decorrer do jogo -, o Flamengo pode explorar os espaços deixados por Jean, volante improvisado na lateral desde o início do Brasileiro e que sobe com frequência ao ataque. Foi por este lado que a equipe paulista sofreu mais nos últimos jogos. Uma evidência da preocupação de Cuca com esta área do campo foi a entrada do volante de marcação Thiago Santos e o deslocamento de Gabriel para a lateral na partida do último domingo contra o Grêmio.

ATENÇÃO ÀS BOLAS AÉREAS
Mina e Vitor Hugo compõem uma zaga com média de 1,91m de altura e têm ótima impulsão para ganhar pelo alto. Não é bom para o Flamengo insistir nas bolas aéreas com a bola rolando, já que Leandro Damião provavelmente ficará sozinho no meio dos defensores. Com a bola parada, no entanto, os zagueiros rubro-negros não ficam atrás – a média de altura da dupla é apenas 1 cm menor. Réver é quem deve ficar de olho em Mina nas bolas paradas adversárias (1,92 cm x 1,95 cm). Em cinco jogos pelo Palmeiras, o colombiano marcou duas vezes, e em jogos importantes: os clássicos contra Santos e São Paulo, ambos na casa palmeirense.

MAIS PEGADA NO MEIO-CAMPO
Se o duelo desta quarta-feira opõe times que estão parecidos na classificação do Brasileiro, em uma estatística Flamengo e Palmeiras estão em extremos opostos. E isso é bom para o Rubro-Negro, que é a equipe que mais desarma na competição, com 714, e terá como rival o pior no mesmo quesito, com “apenas” 486. Se Márcio Araújo e Willian Arão – dois dos que mais roubam bola na competição, com 59 e 46 respectivamente -, além dos laterais, mantiverem a pegada, a vida dos atacantes palmeirenses não será nada fácil.

AUXÍLIO PARA DIEGO
O camisa 35 certamente terá o primeiro volante adversário, seja ele Gabriel ou Thiago Santos, como sombra na Arena Palmeiras. É aí que Arão, Gabriel e Everton precisarão fazer diferente em relação ao que aconteceu no primeiro tempo contra o Vitória, para buscar maior aproximação ao meia rubro-negro.

OLHO EM DUDU
O camisa 7 é a arma ofensiva mais perigosa do Palmeiras. Versátil, pode cair pelos lados e até mesmo tornar-se armador. Dudu é o líder isolado de assistências do Brasileiro, com nove passes para gol. Além disso, ainda é o jogador mais solidário, ou seja, quem mais deixa os companheiros com chance real para marcar.

E as estatísticas não ficam por aí: o atacante é o quarto jogador que mais sofre faltas – e daí podem surgir as oportunidades na boa bola aérea palmeirense. É bom destacar, porém, que o Flamengo é o time menos faltoso da competição, com 286 cometidas.

Fonte: GE

Veja também

  • Bom. Se eu fosse o cuca quem eu escolheria no time do Flamengo para ser atacado (pontos vulneráveis):

    * Márcio Araújo: fraco fisicamente, fraco aéreo, passes quase sempre para trás ou para os lados (bote nesses passea);

    * Jorge: inexperiência.

    * Rever: vem comentando algumas falhas maís comprometedora do que o Vaz;

    * Pará: cobertura aérea.

    * Muralha: saída na bola longe da pequena área.

    * Gabriel, Fernandinho, Cirino. Perdem a bola com facilidade que podem gerar um contra-ataque (ainda bem que temos o William Arão que tem muita visão de jogo e o Diego).

    * Guerrero: não escalaria para esse jogo, pois Leandro Damião ajuda mais na marcação, controle emocional maior que Guerrero, mais finalizador do que Guerrero.

    Muralha, Pará, Rever, Vaz, Márcio Araújo(não jeito pq Zé vai escolher), Arão, Mancuello, Diego, Everton, Cirino, Leandro Damião.

    • Concordo com boa parte das suas colocações… Porém creio que o Cirino atualmente perde muito mais bolas que o Gabriel. Na verdade ele tem perdido quase todas rs… Colocação perfeita em relação ao Guerrero (instabilidade emocional), e acho que ele pode entrar talvez no segundo tempo em caso de necessidade (espero que não haja essa necessidade). Muralha é ridículo jogando com os pés. Ele precisa treinar muito isso. Ele consegue se complicar quase sempre e num momento de pressão pode haver problemas por ali. Acredito em um jogo truncado. Palmeiras não vai se arriscar tanto porque o empate lhe mantém na liderança. Flamengo de Zé Ricardo sempre se preocupou muito com a defesa (embora tenha tomado uns gols até certo ponto bobos).

  • Ponto fraco do Márcio Araújo é só errar passes simples?
    Acertar passes simples é o básico ou o mínimo que um jogador profissional que treinam todos os dias há milhares de anos deve fazer. Se é ruim no passe simples não merece nem estar nos juniores.

    Bom. Estou evitando de dizer há tempos mas vamos na minha análise(posso estar errado) sobre o Márcio Araújo.

    * Horrível no passe curto, médio e longo.
    * Horrível na cobertura aérea (não tem tamanho para 1° volante);
    * Horrível na cobertura corpo a corpo com jogadores pouco mais resistente (corpo fraco para 1° volante);
    * Nenhuma criatividade;
    * Sem visão de jogo;
    * Não sabe apoiar em um contra-ataque(passe para trás ou para o lado em 99,99% das vezes);
    * …

    Porque escolhem ele como titular:
    * Não se machuca (pq não tromba com adversários fortes);
    * Evita cartões (de propósito para não perder a vaga);
    * Faz o que o treinador pede (pouca ou única alternativa que lhe resta);
    * velocidade na recomposição (sua única função em campo pq nem armar um contra-ataque sabe);
    * Desarmes sem uso de faltas maís fortes (será pq é fraco fisicamente tb?).
    * Obediente;

    • Falou tudo rsrs

      • Se espremer sai mais. Kkkkkk
        Tipo não tem raça z não transmite empolgação no desarme como o Pará etc

Comentários não são permitidos.