“Desculpe o transtorno, preciso falar do Zé Ricardo”

Lá estava ele no Sub-20. Os jovens rubro-negros, aspirantes ao time principal, conseguiam aliar as suas técnicas ainda em desenvolvimento com um padrão tático que nem mesmo o time que eles almejavam estar tinha. Sim, estou falando do técnico Zé Ricardo, que apenas em seis meses de trabalho conseguiu um resultado superior a qualquer Flamengo desde o ano de 2009 graças a organização, comprometimento, intensidade e talento. Este é o resumo da equipe que briga pelo título.

Assim como essa coluna sempre pediu a efetivação do Zé Ricardo, desde a saída do Cristovão em 2015, também cobramos durante esse período todo um futebol moderno e onde a organização fosse a principal característica. Hoje o Flamengo tem tudo isso e ainda um grupo que consegue demonstrar satisfação com os resultados alcançados. Até mesmo quem fica na reserva e sabe que, na verdade, está ali de forma provisória. São os casos dos decisivos Fernandinho e Gabriel ou Mancuello e Alan Patrick.

A equipe consegue apresentar uma organização defensiva que, quando recupera a bola, rapidamente faz a transição ofensiva. E mesmo quando sai atrás no placar, como em algumas partidas, não desmonta seu padrão tático e tem tranquilidade para virar através das jogadas exaustivamente treinadas pelo Zé. E isso, o clube não tinha há muitos, mas muitos anos… Principalmente nos dois últimos, onde trocou seis vezes de treinador e todos sem uma filosofia definida de como jogar.

Mas não é só dentro de campo que o técnico conseguiu colocar sua cara. Fora dele ganhou o grupo de forma que todos tiveram suas chances em algum momento da temporada. Assim que assumiu, ao invés de sair barrando todo mundo e ouvir a torcida (que não vive o dia a dia do Flamengo e conhece os jogadores), testou diversos atletas e deu oportunidade até a quem estava esquecido, como Pará. Desta maneira achou a formação tática ideal e implantou o seu pensamento de forma que cada um que entra mantém o padrão.

Com a chegada do Diego, Zé Ricardo ganhou ainda mais em termos de liderança interna. Junto com Juan, Arão e outros, o grupo se tornou mais forte neste aspecto e conseguiu mesclar o espírito também com diversos jovens que foram incorporados. É um trabalho que, mesmo em pouco tempo, se tornou maduro e futuramente ainda vai se desenvolver mais.

E a torcida percebeu isso com a estrela do técnico nas substituições decisivas. É difícil não sentir o cheirinho. Talvez ele nem se espalhe pelo Brasil, mas já perfumou a Gávea como há tempos não se via.

Bruno Guedes

Fonte: Goal

Veja também

  • Acho que agora alguns estão entendendo porque eu foi chamado de burro e ricardete…..infelizmente alguns ainda não entenderam, mas é cedo ainda, mas algo já se apresenta……e que São Judas Tadeu continue nos ajudando

  • Esse zé ricardo entende mesmo de futebol, pq ele muda as pecas e o padrão, a mecanica e o desempenho se mantém, ele tira o craque do time e o time ainda rende contra o lider, os contestados pontas, sejam lá quem jogar, o ataque ainda rende, é brincadeira a quantidade de jogadas q o fla cria, gracas ao trabalho do zé, vida longa ao zé.

    • Lucas, você vê tudo isso nele mesmo? – Você é um “vidente” único!!
      O que o cara não inventa pra repetir os comentários dos “grandes especialistas”, justificando que os bons resultados do FLAMENGO são única e exclusivamente mérito do Zé que é um mágico, um estrategista, um especialista, um estudioso e um sem número de adjetivos inventados pra isso!

      Eu vejo o melhor elenco do Brasil ganhando os jogos com a qualidade técnica superior da maioria dos jogadores(VSQ à parte), só isso. Os jogadores são que estão ganhando os jogos em campo, fazendo gols com jogadas individuais apesar das escalações e substituições equivocadas do Zé!!!!!!!

      Aquele abraço

      • Verdade, são os jogadores que fazem tudo, eles treinam sozinhos, montam as jogadas sozinhos, não recebem orientação de ninguém é cada um por sí pois não temos um bom técnico que entende de futebol…
        É cada coisa que se vê.

        • Exatamente, pois, um treinador de verdade não escalaria um VSQ como titular absoluto, ele e + 10 formando o time!!

          • Creio que não entendeu minha irônia, amigo futebol é momento, os que estão em fase melhor estão jogando e o flamengo faz essa campanha não só pelo elenco mas pelo técnico que tem, pois tinhamos basicamente o mesmo time com exceção do Diego, Vaz e Rever no começo do ano e tinhamos um futebol sofrível, acho que Zé já passou da fase de dúvida ele já é de fato um bom técnico e aconselho você a deixar esse orgulho ferido de lado e assumir que temos um bom técnico, não é o melhor do mundo mas é o melhor que o flamengo tem.

          • Imagine a qualidade dos outros!

          • Vai se tratar Douglas, isso não é normal.

      • Douglas meu amigo, deveria saber que escalações e substituições sõ muito subjetivas, claro que ninguém faz um omelete sem ovos, mas é nitido o dedo do zé no time, a maioria das jogadas do time, as tabelas, as movimentações sao todas treinadas pelo zé á exaustão, as jogadas pelo lado, os pontas saindo para o meio pra receber entre as linhas, olha como o time ficou depois que o zé ricardo foi expulso contra o corinthians, e eu não acho que seja possivel um time brigar pelo titulo com 3 jogadores contestados pela torcida e o time com um só “craque”. e além disso não temos nenhum destaque individual, todos fazem gols, dois dos 3 artilheiros do time no campeonato são reservas, vizeu e alan patrick.

        • Vejo bem nitidamente “o dedo do Zé” na escalação do VSQ.
          Fora disso eu “não consigo ver o dedo do Zé”!

  • Vida longa ao nosso treinador!!

Comentários não são permitidos.