Fla faz mais cruzamentos, mas Palmeiras é que depende da bola aérea

Segundo o Footstats, o Flamengo cruza mais e pior que o Palmeiras no Brasileiro: são 600 no total e apenas 130 corretos, enquanto o time de Cuca acerta 138 de 527.

Mas quem trabalha com análise de dados sabe que é necessário cruzar uma informação com outras para compreender o contexto.

As estatísticas também mostram que os rubro-negros são superiores ao líder do campeonato em posse de bola, passes certos, inversões de jogo e dribles. Portanto, entra mais no campo adversário, trabalha as jogadas e busca a linha de fundo através de tabela e triangulações. E mantém a proposta dentro ou fora de casa. Erra mais porque ataca mais e o adversário, postado na defesa, tem mais chances de cortar.

Outro fator que contribui para o maior número de cruzamentos é que os centros nos escanteios a favor são computados e o Fla tem ampla vantagem: 148 a 115. Parece claro que a equipe de Zé Ricardo tem uma ideia de jogo mais ofensiva e alinhada ao futebol atual. Com Diego, ganhou confiança e talento, além do amadurecimento do trabalho do jovem treinador. Cruzar é só mais uma opção no repertório.

Já o Palmeiras muda bastante de acordo com o mando de campo. Em casa joga no campo de ataque, no “abafa” e usa muito mais os cruzamentos, ainda mais quando precisa se recuperar no jogo – o colega Mauro Cezar Pereira da ESPN Brasil já tratou disso em seu blog no post intitulado “Cucabol” . A grande maioria destes centros sem chegar à linha de fundo. Levanta a bola na área.

Fora de casa trabalha muito mais nos contragolpes e recorre muito menos às bolas alçadas na área, embora elas continuem decisivas, inclusive nas cobranças de lateral de Moisés. Contra o Flamengo no Allianz Parque levantou 34, na vitória sobre o Corinthians em Itaquera, apenas oito. Na média o número naturalmente será menor. Mas são 14 gols de cabeça contra dez do Fla. O alviverde depende mais deste tipo de jogada.

Propostas diferentes dentro e fora de casa. É um jogo mais físico, direto. Menos vistoso, a menos que o talento de Gabriel Jesus apareça. Legítimo e, inegável, eficiente. Nenhum time no Brasileiro finaliza e marca mais gols que a equipe de Cuca.

Fonte: André Rocha

Veja também

  • Ótima análise!

Comentários não são permitidos.